FILHO PRÓDIGO

Compartilhe

The story of the Prodigal Son needs no synopsis… The youngest son goes… spends… understands, comes back… The father doesn’t give up (like the daddy in heaven, he doesn’t give up on you and me)…

See too

The Prodigal Son (Returning at Christmas)
COMES HOME

DISOBEDIENCE

THE PRODIGAL DAUGHTER

PRODIGAL SON – in Modern Version

BACK HOME!

Scene 1 (house)
The mother appears inside the house, packing things for the start of the day.
The employee appears next, also at the beginning of the daily work.
The father enters, with his children, following him.
FATHER: See, my children, what a beautiful day the LORD gives us. We will be able to work hard on this day!
YOUNGER SON: Wow, it may be a beautiful day, but working today… for what? (all dissatisfied)
ELDER SON: Stop complaining.
They pass by the employee, the children move on, the father stops to talk.
EMPLOYEE: Good morning, boss! Beautiful day!
FATHER: Hello, beautiful day, yes, GOD gave us a wonderful day to get ahead with our tasks.
FATHER: See you later…
(And he continues on his way to the house. The children enter and kiss their Mother, then the Father also kisses their mother. The children are already seated. The father sits down and the mother serves them coffee. )
FATHER: So, my dear, did you wake up early too?
MOTHER: With a wonderful day like this, we should enjoy every minute of it.
FATHER: Let’s be grateful for this day and for the food that the LORD provides us.
(The youngest son sits sloppily. The father and the others bow their heads to thank him for the food. The youngest son eats while the others pray. The father finishes thanking him, opens his eyes and reproaches him with his eyes. Without words. )
FATHER: (patiently) My son, we must be grateful for the food.
YOUNGER SON: Don’t start, dad, if we don’t work, we won’t have food… this story about GOD doesn’t come to me.
FATHER: (trying to explain) son, the LORD gives us the land, the seed, the health to work, life… everything comes from him, for our benefit.
YOUNGER SON: (with a fit of indignation) – THE LORD, THE LORD…. (pause) Dad, this was in 1900 and back in the day… get real!
MOTHER: Boy, watch how you talk to your father!
FATHER: (patiently) What do you want, my son? (The youngest son looks thoughtful, looks at the floor. Then he speaks; )
YOUNGEST SON: I know what I don’t want!
FATHER: And what you don’t want, can we know?
YOUNGEST SON: I don’t want to live here anymore, narrow-minded (gets up), I want the world!
MOTHER: And the family, my son?
YOUNGER SON: What a family, mother… this is a prison – the LORD this, the LORD that… please… I’m already a man. (pause)
FATHER: (patiently) My son, what do you really want, what can we do for you?
YOUNGER SON: Father, give me my share of the inheritance, I want to manage my share… but away from here…
FATHER: (gets up)… okay, we’ll do as you ask. We are done with this discussion.
(father leaves)
Cena 2
(Ficam os três na mesa. O Filho mais velho tenta falar com o Filho mais novo)
FILHO MAIS VELHO: meu irmão…
FILHO MAIS NOVO: Me larga! Me deixa! Eu sou um homem, e não um frouxo que nem tu…
MÃE: não precisa ofender tua família, meu filho!
FILHO MAIS NOVO: Mãe, não me entenda mal, mas o pai me trata como uma criança… eu preciso crescer, e ele me sufoca, assim eu nunca vou amadurecer…. ele já tem a história dele, eu quero fazer a minha história. (pausa) Ele é muito exigente…
MÃE: Não meu filho, ele não é exigente, ele quer que vocês cresçam e estejam preparados para assumiram a fazenda e os negócios da família…
FILHO MAIS NOVO: Mãe, eu não quero ser fazendeiro, eu quero escrever a minha história (enfatizar o final)
Sai o Filho mais novo, ficam a mãe e o Filho mais velho. Volta o Pai, com um maço de dinheiro. Volta também o mais novo. Pára em frente ao pai.
FILHO MAIS NOVO: E então?
PAI: Vamos resolver esta questão. Faremos como você quer.
(Pai coloca o dinheiro sobre a mesa, e o Filho mais novo pega apressadamente. Confere o maço e coloca ligeiro dentro da mochila. O pai estende a mão com uma bíblia.)
PAI: Meu filho, queria que levasse esta bíblia também…
FILHO MAIS NOVO: Pai, eu acho que tu não ta entendendo… eu to cansado de fazer o que tu manda eu fazer, o que tu manda eu pensar, o que tu manda eu ler…
PAI: Meu filho,…
FILHO MAIS NOVO: Pai, fica com ela, pra onde eu vou, não precisarei de bíblia…
(O Filho mais novo vai saindo, a mãe ainda tenta abraça-lo.. )
FILHO MAIS NOVO: Por favor, mãe sem despedidas…
(Ele sai. Os pais se abraçam, desconsolados. )
MUSICA E COREOGRAFIA -FILHO PRÓDIGO – SHIRLEY CARVALHAES
Cena 3
(O amigo e as amigas no bar. Chega o Filho mais novo , olhando para a cidade, deslumbrado. Depois que ele entra em cena, ouve-se os risos da mesa. Ele se aproxima do grupo. )
FILHO MAIS NOVO: Com licença…
O grupo pára com os risos e olha para ele.
FILHO MAIS NOVO: vocês sabem de algum hotel… recém cheguei nesta cidade, e não tenho onde passar a noite…
AMIGO: Cara, tu ta vindo de onde?
FILHO MAIS NOVO: De longe, bem longe, mesmo
AMIGO: Senta aí, depois nós te ajudamos a achar um lugar para passar a noite.
FILHO MAIS NOVO(Tira o maço de dinheiro da mochila, e pergunta:): Quanto é um refrigerante?
(O amigo arregala os olhos, junto com as meninas. )
AMIGO: Cara, tu não vai ficar em hotel, coisa nenhuma, vai ficar lá em casa…. temos lugar para você.
FILHO MAIS NOVO: Obrigado, não conheço ninguém nesta cidade, e que sorte, encontrar vocês logo de início.
AMIGO: Sorte nossa, não é meninas?
(E todos se olham cúmplices. )
Cena 4 (Na casa)
(O pai sai, anda, passa pelo empregado, mas mal cumprimenta, cabisbaixo. Entra na casa, senta. Desanimado. Entra a mãe. )
MÃE: Bom dia, querido! Acordaste cedo, hein?
(A Mãe percebe o ar de desanimo do pai. Para seus afazeres. )
MÃE: Não estás bem?
PAI: Nada, mulher, estou bem, sim… (silêncio)
MÃE: Estás com saudade, não é?
(O pai acena positivo. A mãe se senta. )
MÃE: Eu também. Também ando preocupada. Onde estará nosso menino?
Cena 5 (no bar)
(O Filho mais novo e as garotas estão sentados, gargalhando. Quando chega o amigo. )
AMIGO: Nossa, cara, pelo visto tu já ta bem enturmado.
OS TRÊS RESPONDEM: E aís????!!!
AMIGO: Nossa, qual motivo desta festa?
AMIGA 1: olha que eu ganhei!
(E mostra um relógio. )
AMIGO: Nossa, que barato…
AMIGA 1: Barato, nada, caríssimo…
(Risos. )
AMIGA 2: Eu também ganhei um presente…. e mostra um celular.
AMIGO: Cara, eu não sabia que tu era o papai Noel?
FILHO MAIS NOVO: Senta aí, vamos tomar alguma coisa…
AMIGO: Cara, será que tu poderia me emprestar uma grana, semana que vem, eu te pago…
FILHO MAIS NOVO: (meio tonto já com a bebida) pode pegar, meu amigo….
(O amigo pega da mochila uma maço de dinheiro. E põe nos bolsos. )
FILHO MAIS NOVO: (não se sentindo bem)
AMIGO: Cara, deixa que a gente de ajuda… amigos é para isso….
(E saem com o Filho mais novo. )
NARRADOR
HÁ GRANDE DIFICULDADE NAQUELE LUGAR
CENA 6
FILHO MAIS NOVO: Nossa, que dificuldade…. meu dinheiro acabou…. preciso arranjar alguma coisa para fazer…
O amigo vai passando, e vê o Filho mais novo , e desvia para outro lado. O Filho mais novo vê, e vai ao encontro dele.
FILHO MAIS NOVO: Cara, que bom que te encontrei. ( amigo com cara de contrariado)… cara, eu to falido… sabe, aquele dinheiro que te emprestei…. não podia me adiantar uma parte dele..
AMIGO: Não me fale em dinheiro…. meu pai e minha mãe vivem brigando por causa do dinheiro…. cara, não tenho um centavo….
FILHO MAIS NOVO: Cara, precisa me ajudar… quem sabe se eu ficasse na tua casa?
AMIGO: Ta louco, lá em casa está o maior banzé… não tem jeito, lá em casa de maneira alguma.
FILHO MAIS NOVO: Mas eu estou precisando da tua ajuda….
AMIGO: Cara, eu tenho meus problemas, que já são bastante… não posso te ajudar…
(E sai rispidamente. As garotas vão passando, do outro lado… O Filho mais novo se aproxima, afoito, das garotas…. )
FILHO MAIS NOVO: Garotas, garotas… (Pausa… elas se olham… )
FILHO MAIS NOVO: Preciso da ajuda de vocês… estou com sérios problemas…
AMIGA 1: Que houve?
FILHO MAIS NOVO: Estou falido.
AMIGA 2: Obrigado por nos avisar.
(E saem rapidamente as duas. O Filho mais novo fica desolado. Procura a simpatia da platéia. )
FILHO MAIS NOVO: – Estou falido… abandonado… que será de mim? Os amigos, que amigos, nada, eram uns aproveitadores. (Pausa )
FILHO MAIS NOVO: E agora?
CENA 7
(Entra a Granfina, e o Filho mais novo se aproximam dela. )
GRANFINA: Que significa isso? Não se aproxime de mim… (Com desdém. Nisso vem o Granfino)
GRANFINO: Que foi, mulher? por que este escândalo todo?
GRANFINA: Esta criatura… desprezível se aproximou de mim!
FILHO MAIS NOVO: Senhor, Senhor, por favor, não me entenda mau… estou com fome
GRANFINA: Fome, fome, é só isso que pobre sabe dizer.
GRANFINO: Se eu for ajudar todo mundo que tem fome, eu vou acabar pedindo esmola na rua, também.
GRANFINA: Vai trabalhar, vagabundo…
FILHO MAIS NOVO: Senhor, por favor, me ajude… eu posso trabalhar pela minha comida…
GRANFINO: Olha, eu sei que vou me arrepender… mas posso tentar arrumar alguma coisa para tu fazeres na minha fazenda.
GRANFINA: Nossa, vai levar isso para nossa casa?
GRANFINO: Mão de obra barata, mulher, deixa que eu administro as coisas…
GRANFINO: Vem, vou te arranjar algo para fazer
FILHO MAIS NOVO: Obrigado, Senhor!
(Saem os dois orgulhosos, e o FILHO MAIS NOVO: atrás, em posição de consternação. )
NARRADOR : A SITUAÇÃO SE AGRAVA NA FAZENDA , FOME E EXPLORAÇÃO
CENA 8
FILHO MAIS NOVO: Estou com fome, meu patrão não me paga…
(Nisso chegam o Granfino e a Granfina)
FILHO MAIS NOVO: Senhor, Senhor, por favor… podes me pagar… estou com fome…
GRANFINA: Fome, fome… pobre vive para comer…
GRANFINO: Cara, eu paguei as contas da madame…. to sem dinheiro… tu não sabe como é caro manter a madame….
FILHO MAIS NOVO: Mas, senhor, eu trabalhei… todos estes dias sem receber nada…
GRANFINO: Vamos ver o que me sobrou… mas te aviso, não é muito não…
(Granfino procura nos bolsos, há um clima de expectativa no ar… e tira umas moedas dos bolsos e joga no chão… o Filho mais novo cata as moedas… humilhado… junta as moedas, de joelho… )
FILHO MAIS NOVO: Senhor, isso não dá um almoço…
GRANFINA: Seu ingrato, eu te avisei que esta gente é ingrata… (diz pro marido )
(E saem o Granfino – e Granfina. o filho mais novo pega o balde da comida dos porcos, olha, olha…
FILHO MAIS NOVO: Estou com fome, fui enganado e explorado, só me resta acabar com minha fome comendo esta ração dos porcos.
(Olha para o balde, nisso chegam os assaltantes. O Filho mais novo se levanta para conversar com eles… mostrando as moedas… )
FILHO MAIS NOVO: Por favor, não podem me ajudar, a completar para um almoço?
(O Assaltante 2 agarra-o pelas costas e o Assaltante1 chega pela frente Assaltante1 – Vamos te livrar deste peso. Roubam e o jogam no chão. Saem correndo, mas voltam, e o Assaltante 2 o segura de novo e o Assaltante1 lhe arranca os tênis. )
ASSALTANTE 1: Vamos ver se conseguimos alguma coisa por este teu “chulé”.
E saem correndo. O Filho mais novo fica no chão. Pausa. Permanece caído. Fala,
mirando a platéia.
FILHO MAIS NOVO(falar pausadamente): Eu aqui, em dificuldades, rejeitado, explorado, com fome, na casa de meu pai, até os empregados tem o que comer, e eu aqui… neste estado (pausa )
FILHO MAIS NOVO: Mas, me levantarei, e irei ao meu pai e direi ; Pai, pequei contra DEUS e contra Ti, não sou digno de ser chamado teu filho,
mas me trata apenas como um dos teus empregados…
(Se levanta e sai…. )
CENA 9
O Pai entra em cena. Senta à mesa. Aparece a MÃE: . Passa as mãos pelas costas do Pai. Silêncio.
MÃE: Estás com saudade?
(Pai em silêncio, acena positivo. )
MÃE: Ele voltará, confie em DEUS.
PAI: É só isso que tenho feito… mas tem sido difícil
(Pausa. )
PAI: Tenho orado, tenho pedido, mas DEUS está em silêncio… e eu me desespero com o silêncio de DEUS…
MÃE: DEUS vai agir…
PAI: Tenho medo quando ele se cala… (Sai a mãe )
COREOGRAFIA , QUANDO DEUS SE CALA
SCENE 10
(Father gets up, leaves the house. Approaches the employee. )
EMPLOYEE: Good morning, boss.
FATHER: Good morning…
(The youngest son appears in the distance, staggering and falls.)
FATHER: Who’s coming there, my employee?
EMPLOYEE: He’s nobody, not my boss, a beggar, I’m going to expel him from his land…
The Servant goes out to expel him, but his father interrupts…
FATHER: Wait, I recognize that way of walking…
(The son is approaching…)
FATHER (shouting): It’s my son, It’s my son
(Father goes out to meet his son. They find the son kneeling. Wait for the father to move away a little, to talk to him)
YOUNGER SON : Father,… (pause) I have sinned against GOD and against You… I am not worthy to be your son…
FATHER: quickly (to the waiter) quickly… bring clothes for my son and have the table prepared …. quickly
(They get up and go to the house. The mother arrives and hugs each other. The youngest son sits down.
The servant leaves and the eldest son comes along.)
ELDER SON: What’s the reason for all this commotion?
EMPLOYEE: Your brother is back and your father is happy.
ELDER SON: My brother has returned and my father welcomes him with joy… that wastrel… that… that one (with fury) then the father arrives
FATHER: My son, come, rejoice with us…
ELDER SON OLD MAN: But, father…
FATHER: My son, let us rejoice, this brother of yours was dead and came back to life, he was lost, and was found… come, my son.
And they both enter, the brothers hug. Everyone hugs.
End.
Text: Jeferson Silva jeff@sinos.net
Group: Young people from the Betel Baptist Church – Sapucaia do Sul
Authors: 
Several: 
Autores:
admin admin