UMA VIDA SEM HALLOWEEN

UMA VIDA SEM HALLOWEEN

Uma professora pede que seus alunos pesquisem sobre o Halloween.

Quando eles trazem o dever de casa, todos comentam o que pesquisaram.

Uma jovem garota explica que Deus não se agrada com o dia das bruxas.

Personagens

Rafael
Professora Doris
Sandra
Joana
Eloá
Lúcia
Bertha(mãe)
Soledade
Alessandra
Carlos


1 ATO

(Todos estão na sala de aula, quando…)


RAFAEL:    Aí vem a professora, corram!
PROFESSORA:   Bom dia! Hoje trouxe duas notícias pra vocês, uma boa e uma ruim. Qual vocês querem primeiro?
TODOS:   A boa!
PROFESSORA:   A boa é que hoje vocês não vão ficar aqui na aula, eu não estou me sentindo muito bem… e a ruim é que terão que fazer uma tarefa.
RAFAEL:   Tenho uma solução para sua doença. Pare de nos dar lição de casa e tire umas férias.
SANDRA:   Ah não professora. Não deixe um trabalhão assim pra nós.
PROFESSORA:    Mas a tarefa é muito fácil. Vocês devem pesquisar com parentes, vizinhos e amigos sobre a origem da comemoração do Halloween
RAFAEL:   Façam de conta que eu sou a professora: Quero dizer uma coisa para vocês; Hoje não temos tarefa nenhuma.
(Todos riem)
PROFESSORA:   Rafael, por favor!  Então? Combinado? Agora não temos aula e vocês fazem a tarefa que eu falei.
TODOS:   Tá O.K. professora.
RAFAEL:    Mas a senhora já vai, não?
PROFESSORA:   Sim, Rafael. Nos vemos na próxima aula. E não esqueçam de fazer a tarefa.
(Todos pegam seus materiais e saem da sala, exceto Joana, Eloá e Lúcia)
JOANA:   Não sei como vou fazer este trabalho.
ELOÁ:   Porque Joana?
JOANA:    Porque eu acabei de me mudar e não conheço ninguém. Além disso na minha casa não comemoramos esta data.
LÚCIA:   Não comemoram na tua casa? Estranho, isso é muito estranho. Nós todos festejamos, nos vestimos de bruxas e pedimos doces de casa em casa. Você é muito esquisita. Yeah, Halloween!
ELOÁ:      Deixa ela em paz! Você nem sabe porque não festejam. (dirigindo-se para para Joana) Não te preocupe. De qualquer forma tenta pesquisar se tiver alguma dificuldade me liga. (Dá o número do telefone)
JOANA:   Muito obrigado, vou levar em conta o que você disse
(As três saem)

II ATO


(Joana chega em casa, sua mãe está na cozinha)

JOANA:   Já cheguei, mãe.
MÃE:   Como foi na escola hoje, filha?
JOANA:   Foi bem…
MÃE:   Como assim? “Foi bem...” O que que aconteceu?
JOANA:   Pois é mãe… na realidade o que aconteceu foi que tenho que fazer uma tarefa sobre o Halloween. E, na verdade eu não sei direito o que é isso, já que nós não comemoramos. Ah! Teve também uma colega que disse que sou esquisita, uma tonta por não festejar o Halloween.
(A mãe para com o almoço e vai até a Joana)
MÃE:   Não te preocupa filha, nós vamos te explicar porque nós não comemoramos.
JOANA:   Obrigada mãe. Obrigada porque sei que vai me ajudar.
(Saem de cena)

III ATO

(Todos entram na sala de aula, se cumprimentam e chega a professora)


PROFESSORA:   Bom dia crianças. Oi, eu disse: “Bom Dia!”
TODOS:   (Em coro) Bom Dia!
RAFAEL:   Já passaram 15 minutos professora, podemos ir?
SOLEDADE:    Não está certo Rafael. A professora chegou faz tempo e não está fazendo nada de mal.
PROFESSORA:   Ordem por favor.
(Todos fazem silêncio)
PROFESSORA:   Como foram com a tarefa?
TODOS:   Bem; Mais ou menos; Regular;
PROFESSORA:   Bom! Certo!  Vamos começar. Pode vir alguém voluntariamente?
(Carlos levanta a mão, a professora lhe dá a palavra)
CARLOS:   Professora, eu não pude vir na aula da semana passada porque estava doente, não podia sair de casa.
(Rafael se levanta e vai em direção a Carlos)
RAFAEL:   Sempre apresentando um pretexto. Se vai inventar, inventa algo melhor. Diz alguma coisa que a gente possa acreditar. Tipo, meu cachorro comeu algo que fez mal...
(Alessandra fala pro Rafael)
ALESSANDRA:   Deixa de ser idiota, Rafa. Já vai começar? Deixa o Carlos em paz!
TODOS:   Ummmmmm... Beija, beija, beija!
ALESSANDRA:  Chega! O Carlos e eu somos somente amigos...
PROFESSORA:    Calma pessoal! Alessandra, pode apresentar a tua tarefa.
ALESSANDRA:   Um instante professora, vou pegar. (Pega algumas folhas de dentro de seus cadernos)
ALESSANDRA:   Eu descobri que na festa do Halloween todos podem vestir-se do que quiser. Nada do que é feito pode ser considerado mau. Todos, todos mesmo podem participar das comemorações.
PROFESSORA:   O.K., Alessandra, obrigada. Pode voltar pro teu lugar. Agora o Roberto, como foi sua investigação?
ROBERTO:   Não pesquisei nada.
PROFESSORA:   Porque Roberto?
ROBERTO:   Porque tinha que pensar primeiro o que ia pergunta; Segundo a quem ia pergunta; Terceiro, se eu não compreendia o que me explicavam ia ter que começar de novo; Ah, e quarto...
TODOS:   Chega!!!!!!!!!
PROFESSORA:   O que você pensa a respeito?
SOLEDADE:   De que professora?
RAFAEL:   Como sempre, o Roberto nunca está onde deve estar.
SOLEDADE:   Porquê?
RAFAEL:   Porque se não presta atenção não adianta vir pra escola. Deveria faze como eu faço.
SOLEDADE:   Bom, eu investiguei e descobri neste dia podemos ir de casa em casa para pedir doces grátis.
RAFAEL: A para! Isso todos nós sabemos, Soledad
PROFESSORA: Vamos ouvir o Rafael, e parar de perturbar a colega.
RAFAEL:   Nas minhas investigações descobri que neste dia podemos jogar ovos nos vizinhos, jogar papel higiênico, podemos fingir que tudo foi acidente e ficar tranquilo. Ah! Podemos também assustar as pessoas.
(Eloá levanta a mão, a professora dá a palavra)
ELOÁ:   Rafael, as tuas vontades são somente fazer maldades! Te liga! Quando chegar na maioridade vai acabar indo pra cadeia.
LÚCIA:   Deixa que eu continuo. Eu pesquisei sobre as origens do  dia de Halloween, e pra começar, a palavra Halloween significa “noite das bruxas, dos espíritos, fantasmas…  E se transformou numa oportunidade para brincarmos de assustar os outros
(Joana levanta a mão)
PROFESSORA:   Pode falar Joana
JOANA:   Esta informação da Lúcia está correta, mas falta uma coisa muito importante.
RAFAEL:   Eu pensei que a colega nova não falava.
ALESSANDRA:   Rafael! Está advertido! Pare de perturbar-nos. Parece que tem prazer em implicar com todos.
RAFAEL:   É, eu errei. Bom, é… Continue Joana, continue
JOANA:   Como muitos de vocês sabem, Deus existe e Ele nos cuida e nos ama muito. Mas também existe o Diabo que só quer nos fazer mal.
SANDRA: Que medo!
JOANA:   Mas não precisam se preocupar com isso. Como Deus nos ama muito ele cuida de nós. Nós devemos sim tomar cuidado pra não fazer as coisas que desagradam a Deus
TODOS: Como?
JOANA:   Como a Lúcia estava falando, Halloween significa “Noite das Bruxas”. Neste dia os adoradores do Diabo fazem uma festa. Na festa tem sacrifício de animais e até humano como oferenda para o diabo.
CARLOS:   Então? O que acontece quando nos fantasiamos?
JOANA:   Quando estamos fantasiados parece que estamos de acordo, participando da festa das bruxas.
SOLEDADE:    Mesmo sendo fantasia de princesa?
JOANA:   Não tem nada de mal usar fantasia de princesa. Mas não façam essas coisas que são próprias do dia de Halloween, porque isto desagrada a Deus. Ele fica triste ao ver que as crianças estão mostrando estar de acordo com as coisas más criadas pelo Diabo
LÚCIA:   Mas e porque é o dia das bruxas?
JOANA:   Olha só. Há muitos e muitos anos a celebração do Halloween era feita para celebrar Samhim “O Senhor da Morte” e seus demônios. Era um dia para festejar e recordar os mortos
PROFESSORA:   Muito bem Joana. Estou de acordo contigo, Halloween é uma coisa do mal que desagrada a Deus. Então se nós amamos a Deus, e sabemos que ele tem cuidado de nós… Não vamos participar desta celebração.
SANDRA:   Está certo! Também não vou colocar as fantasias para evitar confusões.
JOANA:   Devemos lembrar de celebrar a vida, e não a morte, como acontece no Halloween.
TODOS:  E como se faz pra celebrar a vida?
JOANA:   Vamos celebrar a vida cantando!
(Todos cantam uma canção sobre a vida)

Fonte WEB Dramas Cristianos

nº de personagens: