O TEMPO DE DEUS

O TEMPO DE DEUS

Gabriel é um adolescente que passa por problemas intensos em seu lar.

Seus pais não são cristãos, eles estão em processo de separação, mas com o passar dos dias ele descobre que tudo aquilo foi o tempo do Senhor.

 

Personagens

2 Garotos

1 Garota

Gabriel

Pai (Sr. Jorge)

Mãe (Sr. Lúcia)

Líder dos Adolescentes

 

(Adolescentes estão em um semicírculo e conversando, estudando a bíbkia e orando)

LÍDER: Bom pessoal. Já nos alimentamos da palavra do Senhor, vimos que Deus é fiel para cumprir aquilo que ele nos prometeu.

Sabemos que tudo há um tempo determinado pelo Senhor, agora gostaria de abrir oportunidade para vocês comentarem o que o Senhor tem feito em sua vida, contar um testemunho.

Quem começa?

GAROTO 1: Eu!

É que a alguns meses eu venho pedindo ao Senhor um trabalho, né?

Eu estava entregando currículo e nada, passava os dias e nenhuma empresa me dava a resposta.

Já tinha até desistido, mas mal sabia eu, que o Senhor ainda estava para abrir uma porta de emprego bem pertinho de casa. E com um salário bom, ai dá pra comprar umas roupa legal e levar a Marcela no cinema.. rsrsrs.

(todos dão risada)

GAROTO 2: Eu estava com uma doença como todos aqui sabiam.

Para os médicos não havia cura, fui totalmente desenganada por eles, até que eu comecei a pedir para o Senhor se for da vontade dEle, se é para engrandecer o seu nome, que ele me curasse e tomei posse da minha cura. Quando eu volto no médico para fazer novamente os exames o médico começou a brigar comigo querendo saber qual foi a macumba que eu fiz; Porque no meu sangue não havia nada de impureza. Foi nesta hora que eu comecei a chorar e disse para ele que eu tenho um Deus que pode tudo, ele pode curar os enfermos e libertar os cativos.

GAROTA: Bem, o meu parece bobo. Mas sempre tem algum propósito do Senhor em cada coisa;

Eu queria muito ver minha prima tomar um rumo na vida, ela se tornou adolescente agora, tem umas amizades nada legal, que acaba prejudicando, estava na igreja mais era um tipo Raimundo né?

E era isso que me preocupava, quando foi a semana passada ela me disse que estava indo numa igreja lá perto de casa e que as meninas chamaram ela pra fazer parte da dança; Fiquei muito feliz por estar indo na igreja e esquecendo um pouco do mundinho lá fora. É isso o que eu tenho a dizer.

LÍDER: Amém, é muito bom ouvir coisas assim... e você Gabriel não tem nada para dizer, algo que o Senhor tem feito pela sua vida, algum testemunho?

GABRIEL: Não Carlos, não tenho nada a dizer, que por acaso minha vida está uma droga meus pais estão discutindo muito.

Não param de brigar sempre quando chego da igreja eu encontro eles todos os dias brigando eu já não aguento mais isso.

Gostaria também de pedir oração por eles e por mim.

LÍDER: Amém. Pessoal vamos interceder pela vida do Gabriel orar pedindo ao Senhor que ele venha se resplandecer na família dele, não autorizar que o maligno venha se tornar rei no lar dele.

Todos estendam as mãos em direção ao Gabriel.

Vem aqui Gabriel fique no meio para orarmos por você.

(Gabriel vai para o meio do circulo, se ajoelha e o líder começar a orar. O líder começa com a oração.)

(Depois que oram. O líder começa o “Pai Nosso” para se despedirem todos se despedem e Gabriel continua em cena. Logo entram os pais dele discutindo alto)

JORGE: Você está vendo o que seu orgulho e o seu ciúmes besta fez?!

Agora a minha mãe não vai me emprestar o dinheiro porque você pensa que é a dona da razão!

DONA LÚCIA: Ah!!! O meu orgulho fez isso?

É você que não sabe ser um bom pai, um bom marido, nem para conseguir um emprego melhor você presta.

JORGE: Agora você vem falar do meu emprego, você sabe muito bem se eu pedir as contas vamos ter que morar debaixo da ponte e nem conseguir quitar estar casa vamos conseguir.

É isto que você quer?

Morar debaixo da ponte?

DONA LÚCIA: Lógico que não, se eu casei com você é porque eu sabia que não iria passar fome, mas bem que você poderia conseguir em trabalho melhor para ganhar muito mais e não ter que ficar pedindo emprestado para seus pais!.

JORGE: Tudo bem Lúcia, acho que já chega.

Vou dormir por que você já me tirou do sério (sai de cena)

DONA LÚCIA: Arrogante!

(Mãe sai de cena, Gabriel fica assistindo toda a cena da discussão dos pais. Quando mãe sai ele começa a orar.)

GABRIEL: Senhor!

Por quê?

Eu não aguento mais ver toda essa discussão, vem com a tua providência, como diz na tua palavra eu e minha casa serviremos ao Senhor. Eu já decretei isto, mas onde está?

Passaram-se meses e não vi nada mudar na minha família;

Todos recebem bênçãos, cura, libertação e a minha vida continua do mesmo modo!

Eu não aceito isto, vem com a sua providência manifesta o teu espírito sobre a minha casa, meu coração está aflito Senhor, não consigo mais suportar toda essa história. “Vem com a tua Graça Pai!” (desespero) (sai de cena abalado, chorando)

(Apagam-se as luzes)

 

Cena II

 

(Filho está em cena lendo algo, os pais entram e começam a conversar sem ver ele por perto.)

DONA LÚCIA: E ai já decidiu o que vai fazer?

Se continuar deste modo pode esquecer nosso casamento; Já passei muitos anos aturando você perto de mim e se você não mudar pode ir atrás de seu advogado que pra mim já chega.

JORGE: Ô sua louca?

Mudar o que?

Eu sou um marido atencioso, largo o meu trabalho para correr com você para hospital e é assim que você me agradece?

Dando patada... deixa eu ficar quieto senão vou começar a falar coisas que não vale a pena...

DONA LÚCIA: É... deste jeito mesmo larga trabalho para correr comigo para hospital, é mais que sua obrigação e ainda por cima me leva com uma cara de nojo.

Se necessitasse de obra de caridade seria fundadora de uma ONG.

JORGE: Pronto, já chega eu não tenho que mudar, se você ainda me quer como seu marido vai ser deste jeito, bem que eu poderia te dar alguns tapas, mas ainda te amo, pode não parecer... Mas já que você quer assim, estou indo arrumar minhas coisas, não vou conseguir mais suportar suas crises.

DONA LÚCIA: Vai, demorou...

GABRIEL: (Com voz de choro) Pai, Mãe não façam isso eu imploro, Deus quer mudar a nossa história, como ele vai cumprir as promessas em nossas vidas se vocês estão quebrando uma união consagrada a ele?

Minha vida tem sido um inferno com vocês brigando todos os dias.

JORGE: Não tem como filho, já está decidido, quando sua mãe mudar pode até ser que eu volte. Beijos Filho, te amamos muitos mas me perdoe, é melhor para todos.

(Mãe dá um beijo no filho e sai de cena, Gabriel volta no meio da cena e começa a clamar)

GABRIEL: Senhor, tudo tem um propósito, se for da tua vontade que seja, mais eu não quero que isto ocorra.

Tenho todo esse tempo buscado a união e a salvação deles, me ajude a aceitar isto se for da Tua vontade. (sai)

(Sai, toca a campainha mãe vai atender)

DONA LÚCIA: Olá, quem é você?

GAROTA: Olá, Dona Lúcia, sou da igreja do Gabriel.

Ontem estávamos em uma reunião com os adolescentes e o Gabriel me disse que você e seu marido estavam com uma situação difícil em casa.

Eu sei que não tenho idade suficiente para dar conselhos, mas posse te dizer algo?

Não faça a vontade do inimigo!

Teu filho tem sofrido com tudo isto, quantas vezes ele tem chorado pedindo a Deus que a família dele seja restaurada...

DONA LÚCIA: Tudo bem garotinha, mas isso não é hora de me encher as paciência o pai do Gabriel já é bem grandinho e eu também é isso e não tem mais como voltar atrás...

Muito obrigado pelo seu conselho, mas tem que ser assim.

GAROTA: Está bem, vou deixar a senhora em paz.

Mas vai no seu quarto e peça perdão ao seu marido ele te ama muito e tenho certeza que não quer que tudo isto acabe de um dia para o outro.

Tchau.

Fique com Deus

DONA LÚCIA: Poxa, essa menina deve estar falando a verdade, acredito que estou sendo muito dura com o Jorge, vou falar com ele.

(mãe esta saindo quando entra o pai)

DONA LÚCIA: Jorge, me desculpe.

Eu estou sendo muito arrogante, tinha até ligado para o meu advogado para arrumar os papeis da separação. Mas uma amiguinha do Gabriel, da igreja, veio me falar algumas coisas e percebi que tudo isto não iria me trazer nenhuma felicidade.

JORGE: Eu volto a dizer Lúcia, eu te amo e o Gabriel quer ver a nossa felicidade, vamos conversar com ele.

(Gabriel entra)

JORGE: Filho eu e sua mãe conversamos melhor. Também ficamos sabendo de seu sofrimento com a nossa possível separação e nada disto iria te ajudar; Somente iria fazer a vontade do inimigo.

A partir deste momento queremos te pedir perdão e dizer que vamos estar junto com você na casa de Deus.

Se o Deus do qual você tem nos dito pode salvar a nossa vida e reconstruir o nosso lar, queremos buscar e conhecer muito mais.

(Pai e mãe se ajoelham e abaixam a cabeça e Gabriel fala.)

Gente eu tenho um testemunho para contar! É assim...

(Apaga a Luz e uns 3 segundos acende novamente ou fecha a cortinar se houver uma.)

 

 

 

Cia “Judah” Teatro e Dança

Diversos: