O Texto

O Texto

Vamos começar do começo por uma questão de princípio. (risos).

É no texto que a técnica começa a ser desenvolvida. Cada frase, cada palavra ali escrita tem um obejetivo, por isso, não pense que é só chegar no dia da apresentação e falar “aquilo que vier na telha”. O Texto precisa ser estudo, entendido e aprendido.

Entender e Aprender

“Tem que decorar o texto!”, “tem que decorar o texto!”, quem nunca ouviu isto em se tratando de teatro? Mas esqueça isto, você tem que entender e aprender o texto, não decora-lo.

“Isto significa que eu não tenho que ler o texto diversas vezes?”, errado, isto significa que você tem de ler até entender o texto, o que ele quer ensinar, qual sua mensagem principal, quais são as mensagens secundárias, enfim, entender o que ele é e aonde quer chegar. E depois aprende-lo, de onde ele sai, por onde passa e quando termina.

“Dããã, então é o mesmo que decorar, oras!” errou de novo. Simplesmente decorar o texto vai tirar bastante do seu poder de interpretação, pois estará simplesmente repetindo um texto vazio, sem no entendo saber o que está falando, igualzinho um papagaio.

Quando você entender texto vai saber o que e o porquê está falando, e quando aprender, saberá quando irá falar. Ou seja, terá liberdade para VIVER o personagem e não simplesmente repeti-lo.

Ainda terá a vantagem de modificar o texto, sem sair do contexto ou mesmo improvisa-lo se alguém errar as falas na hora, pois sabe muito bem onde está e aonde quer chegar.

Vamos separar as coisas para facilitar.

Entendendo o Texto

A Mensagem

Qual é a história?

Qual é a mensagem principal?

Quais são as outras mensagens (secundárias)?

As Falas

Porque isto foi escrito?

Qual é o propósito desta fala?

Qual a importância desta fala?

Personagem

O nome

As características

A função na história

O ápice (entrada ou fala crucial na história)

Como entra, o porque entra na história.

Como se desenvolve e o que causou o desenvolvimento?

E como termina na história.

Estes três últimos são fundamentais quando um personagem passar por mudanças na história, exemplo: Começa crente, se desvia e depois retorna para a Igreja.

Parece difícil né? Mas acredite, na prática é bem mais fácil do que mostra a teoria.

Aprendendo o Texto

Quando você entende cada elemento do texto, fica mais fácil aprende-lo. De forma que você precisará apenas memorizar o ENREDO.

Exemplo: João sai da Igreja, se envolve com drogas, encontra sua ex-namorada, desabafa com ela, ela o despreza, ele tenta se matar, encontra um velho amigo que o evangeliza, mas recebe a mensagem com aspereza, mandando que o amigo nunca mais fale com ele, desiste de se matar, vai na Igreja, ouve mais uma vez o Evangelho, volta pra Jesus, ora, encontra novamente sua ex, fala de Jesus pra ela e ela se converte.

Ufa! Primeiro você entendo o que vai falar e o porque vai falar, depois aprende quando vai falar.

 

Imaginação na Dose Certa

Antes de interpretar um personagem você o imagina ou mesmo tem uma certa noção de como ele será: Alegre, emburrado, fofoqueiro, etc.

Isso é muito bom, pois te dá uma base do que irá fazer no palco. Porém, isto pode nos levar a cometer erros, como investir em estereótipos.

Não tem coisa mais chata do que uma imitação mal feita, fica parecendo gente famosa fazendo comercial, aquela coisa dura, forçada, por isso, seja ORIGINAL, represente com a máxima realidade possível.

As pessoas se identificam com a realidade, invista nos detalhes, mas não deixe que o detalhe seja maior do que todo o personagem.

Exemplo: Vais interpretar um fofoque iro? Errado, vais interpretar o João, que é invejoso, bisbilhoteiro, é apaixonada pela Maria e para tirar todos do seu caminho, faz fofocas.

Não resuma seu personagem a uma característica, coloque nele, tiques, manias, um jeito de falar diferente, o incremente, sem sair do natural.

Use a sua imaginação para visualizar toda a apresentação, não só o seu persongem, pense em cada detalhe, no seu companheiro de cena, enfim, imagine! Seja o primeiro crítico do seu trabalho.

A imaginação é o primeiro exercício do teatro, mas tem que ser na medida certa.

 

A Importância das Deixas

 

Deixa é a palavra ou expressão que deixará a idéia a ser seguida na próxima fala. Em outras palavras, deixa é a palavra ou expressão que você não pode deixar de falar, pois tornará a próxima fala sem sentido.

Exemplo: - Ah, Jesus, ninguém merece viu! – Ah, Jesus, digo eu Drika, porque você acha que não serei missionário?

 Já pensou se o intérprete dissesse “Eu mereço” ou “Dããã” ao invés de Ah, Jesus? Iria deixar a outra fala sem sentido, ainda que esteja dentro do contexto.

Preste atenção nas deixas, identifique-as no texto e não deixe de fala-las.

Por isto, o estudo, entendimento e aprendizado do texto são tão importantes, pois você diminuirá a chance de pular as deixas e se caso alguém pular as suas, conhecerá tão bem o texto, a ponto de improvisar sem fugir do assunto.

 

Ana Caroline Rodrigues de Olinda
Depto. de Teatro – CAAD
Imagem Principal: