Material de Apoio

Introdução

 

Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. (1 Co 9:21)

A definição mais conhecida de “teatro evangélico” é a que diz que, este é o responsável por trazer “Jesus em Cena”. E está aí a principal diferença entre o teatro secular e o teatro evangélico: Jesus, tanto na mensagem como nas pessoas que levarão a mensagem.

 

A questão agora é: Como levarei a mensagem de Deus através do Teatro?

 

Pense numa rádio, você está ouvindo música, até aí tudo certo, porém, bem na hora que toca a sua música predileta começa a dar interferência. Você põe “bombril” na antena, dá uns tapas no rádio, tenta sintonizar a estação, e nada, “A Voz do Brasil” (aquele programa chato) ou as notícias da CBN insistem em atrapalhar a transmissão da música.

 

Sabe porque a ilustração da interferência? Porque uma vez que o mais importante no teatro evangélico é a mensagem, ela não pode ser passada com “interferências”, muito pelo contrário, tem de ser espiritual, ungida e nítida.

 

Mas o que é necessário para se passar uma mensagem espiritual, ungida e nítida? Cuidar de três aspectos: O espiritual, o grupo e a técnica, e as interferências ocorrem justamente quando omitimos ou negligenciamos quaisquer destes aspectos.

 

Espiritual – Como vamos encenar sobre Jesus e Sua Palavra se você não está em “sintonia” com Ele?

 

Grupo – Nenhum trabalho é feito sozinho, Deus “ordena a benção” onde há união e concordância.

 

Técnica – Você já viu um jogo de futebol onde todo mundo corre atrás da bola e não sai nada? Pode até ser engraçado no princípio, mas depois se torna entediante, pois ninguém ali sabe ao certo o que está fazendo. Como as pessoas prestarão atenção se nos mostrarmos despreparados, tal como o jogo citado?

 

"Ser bênção para a vida dos outros é criar os meios para que a graça de Deus os envolva trazendo salvação, reconciliação, cura e libertação. É agir para que o cansado encontre alívio, para que o doente ache consolo, para que o perdido seja achado. É usar os dons e talentos que Deus nos deu para criar novas esperanças e para alimentar a fé de outros" (Pr. Ricardo Barbosa de Souza).

 
Ana Caroline Rodrigues de Olinda
Depto. de Teatro – CAAD