O PECADO PARALISA

Versão para impressão
Mão travada pela serpente

Chiquinho e Juquinha são grandes amigos, certo dia um deles se nega a perdoar o outro. A falta de perdão traz serias consequências. Tristeza e falta de motivação.. Com o apoio dos pais do Juquinha partem em busca do perdão e o pecado que estava paralisando o menino é vencido.

Personagens: Chiquinho, Juquinha, mãe, pai.

CHIQUINHO: a partir de hoje eu não sou mais seu amigo. Nunca mais fale comigo.

JUQUINHA: mas foi sem querer, por favor, me desculpa...eu não sabia...

CHIQUINHO: você nunca sabe de nada. Toda vez é assim. Teve aquela vez que você quebrou o meu carrinho novinho, de controle remoto, que o meu pai tinha me dado de aniversário.

JUQUINHA: foi sem querer...como é que eu ia saber que ele tava debaixo do boné, em cima do sofá, com duas almofadas por cima...

CHIQUINHO: não importa, mas hoje não tem conversa, você não podia ter feito isso...chutou a minha bola de futebol pra casa da dona doida, você sabe que quando alguém chuta uma bola lá ela não devolve nunca mais...

JUQUINHA: dizem que no quintal da casa dela tem um poço sem fundo cheinho de bolas de futebol, de voley, de ping pong, de plástico, da barbie...

CHIQUINHO: se você sabia disso, não podia ter chutado...

JUQUINHA: o que eu sei é que se você não me perdoar, é porque não é meu amigo, e agora sou eu que não quero mais papo com você...tchau!

Juquinha sai.

CHIQUINHO: pode ir, eu não tou nem aí, quer saber? Eu vou brincar com o Lipe de play station...

Entra o pai do Juquinha.

PAI: Juquinha, meu filho, vem aqui, eu preciso que você vá á venda do baiano comprar uma coisa pra mim.

JUQUINHA: eu não posso pai.

PAI: o quê? Você ta dizendo que não vai? Vai me desobedecer senhor Juca Amaral de Siqueira.

JUQUINHA: nem adianta falar o meu nome todo pai, porque eu não vou porque eu não posso. A minha perna não anda mais.

PAI: como assim?

JUQUINHA: eu não sei pai, mas eu estou todo duro, não consigo sair do lugar. Só mexo os olhinhos e a boca.

PAI: mas como isso aconteceu? É porque você fica muito tempo sentado, jogando, sem fazer exercício nenhum. Anda logo, levanta e vamos lá comigo.

JUQUINHA: eu não consigo pai.

PAI: então eu vou te carregar para o hospital. Vou só esperar a sua mãe chegar.

Os dois saem. O pai e a mãe entram em cena.

MÃE: Nestor, eu não aguento mais, nós já fomos no pediatra, no ortopedista, no cardiologista, é tanto ista e ainda não descobrimos nada...eu não aguento ver o meu filho assim, paralisado...

PAI: alguma coisa aconteceu. Ele caiu?

MÃE: não.

PAI: ele comeu alguma coisa estragada?

MÃE: não.

PAI: alguma coisa aconteceu...desde quando ele está assim?

MÃE: desde o dia em que ele brigou com o amigo dele, o Chiquinho.

PAI: será que o Chiquinho deu uma surra nele que o deixou assim? Porque se for...

MÃE: não, a briga deles não foi de mão, foi só de boca.

PAI: e porque eles brigaram?

MÃE: o Juquinha chutou a bola dele para a casa daquela vizinha da esquina, ela não devolveu a bola, o Chiquinho ficou com raiva, o nosso filho pediu desculpas e ele não desculpou, o Juquinha ficou com raiva por que o amigo não o desculpou...Desde este dia ele ficou triste, triste, só sentado, calado, até não conseguir mais andar...

PAI: então já sei, o Juquinha precisa perdoar o amigo que não quis desculpá-lo, só assim ele vai melhorar...

MÃE: eu vou chamar o Chiquinho aqui em casa e você traga o Juquinha pra sala. Vamos deixar eles conversarem...

Entram Juquinha e Chiquinho.

MÃE: Chiquinho, eu te chamei aqui porque você é o melhor amigo do Juquinha, e não é certo vocês ficarem brigados. Um precisa perdoar o outro. A falta de perdão é um pecado que impede as pessoas de serem felizes.

JUQUINHA: Chiquinho, me desculpa por ter chutado a sua bola pra longe?

CHIQUINHO: é claro, eu nem me lembrava mais disso...e você me desculpe por não ter aceito suas desculpas aquele dia?

JUQUINHA: é claro que sim. E você me desculpa por eu ter ficado com muita raiva de você?

CHIQUINHO: tá perdoado. E agora, vamos brincar?

JUQUINHA: vamos...

Os dois saem. A mãe entra com o pai.

MÃE: uai, cadê o Juquinha?

PAI: saiu correndo com o Chiquinho. Foram brincar.

MÃE: mas ele não estava paralisado?

PAI: estava, mas você se esqueceu que o amor cura? E o perdão liberta?

MÃE: é verdade, só quem ama perdoa. Eu quero aproveitar este clima de amor e te convidar pra me ajudar a lavar a louça. Vamos?

PAI: vamos, né. Eu sei que se eu for não vai ter perdão, você vai passar o dia todo reclamando que eu não ajudo...

MÃE: então vamos? Tchau crianças...

 

Fim

Fonte WEB Teatro e Liturgia Infantil

Estilos: 
Idades: 
Diversos: