VIDA DE CASADO

Versão para impressão

A peça em pauta, tenta retratar a felicidade e o drama iniciais de um jovem casal, que com a ajuda de um casal amigo, consegue se reencontrar .

P.S. Observem que é um casal amigo, as parcerias normalmente agem diferente.

 
O jovem casal entra no palco com as malas da viagem.
Mulher: - Ah querido! Que bom estar com você em nossa casa. Agora somos só nós três.
Marido: - Nós três quem? Você não trouxe sua mãe, né?
Mulher: - Não querido. Nós três: eu, você e o amor.
Marido: - Ah bom! Vamos guardar as nossas malas e recordar a nossa viagem de lua-de-mel.
Mulher: - Vamos, vamos, vamos.
Os dois saem de cena. Logo em seguida voltam ao palco.
O marido já vai para o trabalho e a mulher fica em casa cuidando do lar. As despedidas são as de sempre:
Marido: - Tchau, amor. Até de tarde.
Mulher: - Se cuida tá. Vê se almoça direito.
Marido: - Pode deixar.
A mulher começa a limpar a casa:
Mulher: - Bom, vou dar uma arrumada em tudo.
Em seguida recebe a visita de uma velha amiga:
Amiga: - Ô de casa. Posso entrar ?
Mulher: - Margareth ! Entra. Que surpresa. Você é a nossa primeira visita. Vamos entrando.
Amiga: - Como foram de viagem? E a vida de casada, tudo bem?
Mulher: - Ah Margareth , a viagem foi tudo o que eu sonhei. Apesar do carro ter quebrado, tudo correu bem. E o Cido é o príncipe que eu sempre quis. Tão romântico.
Amiga: - Fico contente que tudo está indo bem. Mas não quero atrapalhar. Sempre que vocês precisarem, procurem a gente tá? Afinal de contas, a nossa amizade é muito grande.
Mulher: - Ah! Muito obrigada. E volte sempre.
Acontecem as despedidas. A mulher continua a limpeza. Vê as horas e resolve ir cuidar da comida.
Passou-se o dia, e à tarde o marido chega:
 
 
Marido: - Querida! Cheguei!
Mulher: - Ah! Já tava ficando com saudades. Me diz como foi o seu dia.
Marido: - O pessoal no serviço ficou perguntando os detalhes da viagem, etc. Aquilo de sempre. E você como foi?
Mulher: - A Margareth veio me visitar. Fiquei super contente. Foi a nossa primeira visita. Ela é uma ótima amiga.
Marido: - É mesmo. Bom, o que tem pra jantar, que eu tô morrendo de fome.
Mulher: - Surpresa! Vem vê, vem.
Os dois saem de cena. Passa-se um cartaz, mostrando o tempo de casados : 01 ano Depois.
Mulher: - Poxa bem! Você roncou esta noite, hein?
Marido: - Eu? Você tava sonhando.
Mulher: - Tava nada. Parecia um terremoto.
Marido: - Que nada. Bom deixa eu ir trabalhar. Tô atrasado.
Mulher: - Hei! Não vai me dar um beijo?
Marido: - É mesmo. Tchau. Até de tarde.
Saindo do serviço, o marido encontra-se com um velho amigo da época em que era solteiro e frequentava bares:
Amigo: - Cido! Quanto tempo. Como vai?
Marido: - Ismael, tudo bem?
Amigo: - Poxa, fiquei sabendo que você casou. Nem lembrou dos amigos, hein?
Marido: - Que é isso. É que foi uma coisa só pra família.
Amigo: - Bom, deixa pra lá. Só que vamos tomar uma cerveja pra comemorar.
Marido: - Eu não posso hoje. Vamos deixar pra outro dia.
Amigo: - Porque não? A mulher não deixa?
Marido: - Não é isso. É que eu não avisei nada e ela pode ficar preocupada.
Amigo: - A mulher tem que ir acostumando. Senão, logo você tá com um cabresto.
Marido: - Então tá bom. Uma só e depois eu vou embora.
 
Amigo: - Tá feito. Só que isso tem que se repetir. Afinal de contas, a gente já aprontou muito juntos, lembra?

Em casa, a mulher já começa a ficar preocupada:

Mulher: - Nossa! Já são 09:00 da noite e o Cido ainda não chegou. O que será que aconteceu.
Nisso, o marido chega:

Mulher: - O que aconteceu, bem?

Marido: - Nada. Só atrasei um pouco.
Mulher: - Um pouco? Aonde você tava?
E começa a “vistoriar” o marido e percebe o cheiro da bebida:
Mulher: - Tava bebendo né? Com quem?
Marido: - É que eu encontrei com o Maé e resolvemos tomar uma cervejinha pra matar a saudade.
Mulher: - Com o Maé ? Pra matar saudade? Você sabe que eu não gosto dele e nem que você beba, né?
Marido: - Eu sei, bem. É que não teve jeito de eu sair fora. Mas prometo que isso não vai se repetir. Dá um beijo, dá.
Mulher: - Que beijo o que. Vai escovar os dentes primeiro, pra ver se esse bafo diminui. E vem jantar pra eu arrumar a cozinha e ver a novela.
Marido: - Tá bom, bem. Já tô indo.

Dias depois, o marido sai como sempre para trabalhar.

Mulher: - Bom serviço, e vê se não atrasa.
Marido: - Pode deixar.
A mulher se lembra que tem de comprar algumas coisas:
Mulher: - Bom, vou aproveitar hoje para comprar o que tá faltando, e dar uma olhadinha no Shopping.
Já de tarde, a mulher chega com alguns embrulhos. Em seguida chega o marido:
Marido: - Benheê ! Cheguei !
A mulher indiferente:
Mulher: - Ah! Oi !
O marido pergunta:
Marido: - O que aconteceu?
 
 
A mulher responde:
Mulher: - Nada.
O marido:
Marido: - Já que não é nada, vamos jantar.
A mulher rebate:
Mulher: - Ah Cido! Você só pensa em comer! Eu sai hoje, cheguei agora pouco e não fiz comida. Se vira, frita um ovo e come.
O marido:
Marido: - Ovo?
A mulher:
Mulher: - Deixa eu ir ver a minha novela.
Os dois saem de cena com o marido indignado.
No outro dia, os dois se despedem, e o marido se admira de ver a mulher pronta logo cedo:
Marido: - Aonde você vai logo cedo?
Ela responde:
Mulher: - Vou passar o dia com a minha mãe e não sei se vai dar para fazer o jantar hoje.
Ele fala:
Marido: - Porque não?
Ela responde:
Mulher: - Eu posso sair com a minha mãe e me atrasar.
Ele diz:
Marido: - Eu não vou comer ovo de novo não! Bom deixa ei ir. Tchau.
Ela responde:
Mulher: - Tchau. Vai com Deus !
Acontece que no mesmo dia, o marido e seu amigo se encontram novamente. E acontece o esperado:
Amigo: - Cido ! Tava pensando em você mesmo. Vamos tomar uma?
 
 
Marido: - Eu não posso. Aquele dia a minha mulher ficou uma fera.
Amigo: - Xii! Já tá assim em um ano de casamento? Se você continuar deixando, tchau liberdade. Todo homem tem direito a bater um papo com os amigos, a se divertir. Vamos lá.
Marido: - Tá bom. Você tá certo. Vamo nessa, ela tá com a mãe dela mesmo.
A mulher chega e começa a se preocupar, pois é tarde:
Mulher: - Meu Deus! Será que aconteceu alguma coisa?
O marido chega, levemente embriagado.
Mulher: - O que é isso?
Marido: - Ah! Não enche o saco.
Mulher: - Você sabe que eu não gosto disso.
Marido: -Dá licença que eu vou dormir.
No outro dia, o marido sai para trabalhar, e tudo se repete, marido e amigo se encontram:
Amigo: - E ai Cido? Tudo bem ontem?
Marido: - Tudo. A mulher começou a querer encher, mandei ela calar a boca e fui dormir.
Amigo: - É assim que se faz. E hoje tem uma surpresa. Dá uma olhada.
Marido: - O que é isso?
Amigo: - Descolei dois convites para hoje à noite na Momentu’s na festa da espuma, vamos?
Marido: - Mas é tarde e se alguém me ver e contar para minha mulher?
Amigo: - Você fala que ficou trabalhando até tarde e depois foi jantar com o pessoal do trabalho, e nega que você foi lá. Não dá outra. Já fiz isso um monte de vezes.
Marido: - Tá feito. Vamos nessa.
Mas em casa é só choro e desespero. Já são tantas da madrugada a hora que o marido chega.
Mulher: - Cido! O que tá acontecendo? Esqueceu que tem casa e mulher?
Marido: - Não enche. Você tem que entender que eu tenho que me divertir também. E dá licença que eu tô som sono.
No dia seguinte, os dois nem se olham. O marido sai para trabalhar. A mulher desesperada começa a rezar, pedindo ajuda de Deus. Nisso chega um casal de amigos:
Amigo 2: - Oi Solange, tudo bem?
 
Mulher: - Bem nada. Tudo péssimo. ( chorando).
Amiga: - Mas, o que aconteceu?
Mulher: - É o Cido. Já faz tempo que deu para parar em bar e chegar de madrugada. O nosso casamento tá indo para o buraco. Só existe o bar e os amigos.
Amigo 2: - Poxa Não sabia que as coisas estavam assim. Vocês não conversaram?
Mulher: - De que jeito? Chega que nem um cavalo. Sempre meio alto e valente.
Amiga: - Nossa. A gente pode vir falar com ele, não é . Quem sabe a gente, ele ouve.
Mulher: - Ah! É mesmo! Ele tem tanto respeito por vocês. Vocês fariam isto por nós?
Amigo 2: - É claro. Hoje mesmo à noite a gente vem.
Chega a noite e o marido chega. A mulher avisa:
Mulher: - Vê se não vai dormir, que hoje tem visita.
Marido: - Quem vem enche o saco hoje? A sua mãe ?
Mulher: - O e a . E eles não enchem nada. Tenha mais educação.
Logo em seguida o casal de amigos chega; acontecem os cumprimentos. Logo o amigo entra no assunto:
Amigo 2: - Eu gostaria de falar muito sério com você Cido. Nós fomos seus padrinhos de casamento e acho que posso lhe falar isso. A gente tem percebido que as coisas não estão indo bem entre vocês.
Marido: - Que nada. É coisa dela.
Amiga: - Não é não Cido. Eu e o , já várias vezes temos visto você no bar Chupeta . E isto está atrapalhando seu casamento.
Marido: - Mas pera aí! Eu tenho direito a tomar uma cerveja com meus amigos. É ela que esquece de mim. Já tô enjoado de comer ovo todo dia.
Amigo 2: - É claro que tem. Desde que isto não atrapalhe seu casamento. Em primeiro lugar o lar, depois os amigos, que pelo jeito, são amigos da onça. E você também Solange, tem que colaborar e não dar motivos.
Amiga: - Vocês não podem esquecer do compromisso que firmaram com Deus no dia do seu casamento. Foi para toda vida.
Amigo 2: - Nos problemas de sua casa, não tem amigo nenhum que vem te ajudar. Você se casou com uma mulher excelente, não pode perder isso tudo. Pense bem nisto e converse com sua mulher, e você com ele Solange.
O casal vai embora. O marido reflete e resolve se reconciliar com a mulher. Ele a chama:
 
 
Marido: - Solange. Eu preciso te falar uma coisa.
A mulher choramingando:
Mulher: - Eu também. Fala você primeiro.
Marido: - E que eu.... eu sei que andei pisando na bola e o e a me ajudaram e enxergar as coisas e sei o quanto errei. Me perdoa.
Há um momento de silêncio. Logo a mulher diz:
Mulher: - Eu sei que ando meio relaxada. Você me perdoa também ?
Marido: - Perdôo! Perdôo!
Mulher: - Eu também te perdôo!
Os dois se abraçam, e
 
FIM.
Peça do GRUPO MILENIUM

Divulgada no site do GRUPO VIVARTE

Datas: 
Estilos: 
Diversos: