UMA NOITE

Versão para impressão

UMA NOITE(De Drogas e Violência) - Teatro CristãoO texto aborda a realidade dentro das favelas do Rio de Janeiro. Ou de qualquer outra cidade grande. Drogas, tráfico, violência e conversão.
A historia gira em torno dos preparativos para um grande baile funk que irá acontecer na comunidade. Todos os personagens estão envolvidos nesse acontecimento. A história mostrará a vida de cada um. Todos tem ligação com o tráfico de drogas e alguns são viciados.
Através da evangelização, alguns aceitaram a Cristo, outros morreram.
A peça tem 9 atos, porém na realidade são mostradas 3 situações. Antes do baile, durante o baile e após o baile. Cada uma dessas 3 cenas é mostrada 3 vezes, em 3 perspectivas diferentes, cujo foco em cada cena será alguém ou uma situação que estará acontecendo.

PERSONAGENS
TENÓRIO DE OGUM – é o dono do Morro. Vai ser assassinado por A. F.
A. F. – É o gerente no trafico. É traiçoeiro. Mata a todos que cruzam seu caminho.
MÃE MARA: – Mãe de Ogum. Vive angustiada e alerta seu filho sobre os perigos que o cercam. Quer seu filho longe do trafico. Se converte.
CARLA: – uma das mulheres de Ogum. Se converte.
GUILHERME – No trafico é o vapor. Vai matar um bandido sem autorização do dono do morro e será morto por A. F. : .
TEREZA - Atua no trafico como vapor. Se converte.
LIA - Usuária de drogas, amiga de Bárbara, vai morrer de overdose.
AFONSINHO: – no trafico é químico. Ele que vai violentar e matar bárbara.
BÁRBARA - No baile vai dar um fora em AFONSINHO: e será violentada e morta por isso.
TONICO – viciado. Não tem como pagar a divida que tem com o traficante e vai trabalhar no trafico para pagar a divida. Se converte.
RAVANA – soldado do tráfico.
CRISTIANO: – Cristão e melhor amigo de GUILHERME: e irmão de TEREZA: .
CENA 1 – ANTES DO BAILE “TRAFICO” CENÁRIO – FAVELA
A. F. : Aí irmão. O Ogum ta loco pra por as mãos em tu. Ele já ta sabendo que tu matou o Jojoi. Tu sabe como funciona o esquema por aqui. Ninguém mata ninguém sem a ordem do Ogum. E tu vacilou irmão.
GUILHERME: Que isso A. F.? Tu me dedou pro Ogum?
A. F. : Guilherme, hoje tu dança. Camarão que dorme na praia a onda leva meu irmão. E hoje a onda vai te levar.
GUILHERME: Você é safado cara. (saca a arma)
A. F. : (saca a arma mais rápido e aponta na cabeça de GUILHERME: ) Quietinho otário, senão te mato agora.
OGUM ENTRA EM CENA
OGUM: Opa! Opa!!! Que ta pegando?
A. F. : Ta na hora de apagar esse mane ai. Foi ele quem matou o Jojoi sem tu mandar. E ai? Posso ou não posso?
GUILHERME: (olha pra Ogum) Eu pensei que tu era meu amigo cara.
A. F. : Não existe amizade na bandidagem, meu irmão.
OGUM: Eu confiei em você Guilherme! Você apronta uma dessas? Pode queimar ele. Não.. aqui não... leva pro valão. Chama o Gregório e queima ele. E tira logo esse safado daqui. Tu vai morrer porque eu sou o dono do morro, eu mando... e você resolveu agir por conta própria.
A. F. e Guilherme SAEM DE CENA
MARA: Oh. Meu filho eu vi o Guilherme saindo daqui com aquele sujeito. Você sabe que eu não vou com a cara dele...
OGUM: Deixa disso mãe o A. F. é meu braço direito. Você sempre implica com o maluco. Fica na tua.
MARA: Meu filho. Essa vida não é pra você. Eu não te criei pra isso.
Nunca te faltou nada.
OGUM: Mas você nunca pode me dar o que eu te dou agora. Meu serviço traz muita grana e vida boa pra gente.
MARA: Meu filho, você é odiado. Eu não gosto desse A. F. : . Não gosto dele mesmo. Ele não é pessoa que presta.
OGUM: E qual bandido presta mãe?
MARA: Não fala assim.... eu fico desesperada e aflita...nunca sei se vou acordar com a noticia de que te mataram. Meu filho sai dessa vida.. Quanta gente tem se destruído por causa dessas coisas ai que vocês vendem...
OGUM: Quem compra é porque quer comprar. Não é problema meu. Eu vendo, e vendo caro, muito caro, se quiser comprar, paga e leva. Dane-se o resto. Pra mim o que vale é o dinheiro e as armas que dá pra comprar... muita e da boa. Falo mãe, vô nessa que o baile que eu organizei vai começar daqui a uma hora... hoje as vendas vão ser altas. Vô te dar um presente que você vai curtir.. Valeu. Fui.
APAGA AS LUZES.
CENA 2 – O BAILE “VENDENDO ILUSÕES”
CENÁRIO – BAILE
Tonico, Tereza e Ravana, estão em cena. Cada um num ponto.
A. F. entra em cena e distribui as drogas para Tonico e Tereza.
A. F. chama Ravana pro lado, eles conversam em particular.
Afonsinho entra em cena.
Entram outros jovens em cena e compram drogas com Tonico, Tereza e Ravana.
Bárbara e Lia entram em cena.
Afonsinho fica tirando Bárbara.
Bárbara compra drogas com Tonico.
Bárbara e Lia saem de cena demonstrando que vão cheirar a cocaína que compraram.
Afonsinho pede a Tereza que peça a Bárbara pra ficar com ele.
Ogum e Carla chegam no baile.
Ogum paquera todas as mulheres do baile, Carla observa indignada ele dando em cima de outras mulheres e sendo correspondido.
Ogum fica andando de um lado pro outro supervisionando as vendas.
Bárbara e Lia entram em cena. Lia dá em cima de Ogum que corresponde.
Afonsinho se aproxima de Bárbara e eles discutem e Bárbara o humilha. Ele sai de perto dela demonstrando ódio.
Ravana e A. F. ficam rindo dele por causa do fora que levou de Bárbara.
Bárbara e lia se aproximam de Ogum demonstram estar contando alguma coisa pra Ogum sobre Afonsinho.
Afonsinho sai de cena.
O baile segue.
APAGA AS LUZES
CENA 3 - DEPOIS DO BAILE “A MORTE DE OGUM”
CENÁRIO – BAILE
Ogum, Ravana e A. F. em cena.
OGUM: Fizeram o serviço? Deram fim no maluco?
A. F. : Guilherme? Já ta com o capeta a essas horas...
OGUM: Clientes novos?
A. F. : Conseguimos sim. Mas pô, o Duda e o Nando bateram as botas. overdose. Ta sabendo?
OGUM: Mas que droga! Meus dois melhores compradores. Pó aí, vamos ter que ganhar mais gente. Perder eles dois é muito prejù.
A. F. : Mas não se preocupa com isso não. O que você tinha que fazer pelo morro, já foi feito. Agora ta na hora d’eu assumir isso aqui.
A. F. : puxa a arma e dispara um tiro na cabeça de Ogum que agoniza e morre.
A. F. : Ta comigo, ou quer morrer também?
RAVANA: Contigo.
A. F. : Então avisa pra geral que eu sou o dono do morro agora e que o Ogum ta morto. E quem cruzar meu caminho leva bala. Já tenho gente comigo o bastante pra matar quem quiser me impedir.
RAVANA: Eu to contigo. APAGA AS LUZES
CENA 4 – ANTES DO BAILE “DISCÓRDIA”
TEREZA: , bárbara e lia estão em cena.
BÁRBARA: Tu não vai dar uma de vacilona agora né Tereza?
LIA: Cara, que tem? Vende pra gente... Pô. Tamo afim de ir pro baile já na onda.
TEREZA: Não.
BÁRBARA: Garota, tu é vacilona. A vida é minha. Vende logo isso aí. O Ogum não vai gostar de saber que você não ta vendendo as paradas.
TEREZA: Vocês são minhas amigas. Não vou vender drogas pra vocês.
LIA: Valeu então, a gente compra no baile com o TONICO: .
TEREZA: Vocês estão se matando. Não vou ajudar a viciar vocês.
BÁRBARA: garota, qual é o teu problema, hein? O Ogum não te dá a mínima, e você fica aí querendo sacanear os outros?
TEREZA: Isso não tem nada a ver com o Ogum.
LIA: se você fosse menos burra, podia ficar até com ele.
TEREZA: Porque vocês insistem em me chatear com isso. Eu não to mais a fim dele, não.
BÁRBARA: Até parece. Se você curtisse umazinha. Ia ficar até mais descolada pra abrir o jogo pra ele.
TEREZA: cala a boca! Bárbara Ridícula
Bárbara e Tereza começam a se empurrar Cristiano entra em cena e aparta a confusão.
CRISTIANO: calma gente. Pelo amor de Deus! TEREZA: que confusão é essa? Bárbara tua irmã é uma otária, CRISTIANO: .
CRISTIANO: Ei, não fala assim não.
BÁRBARA: (para TEREZA: ) Me esquece não falo mais contigo.
Bárbara e Lia saem de cena iradas.
CRISTIANO: Que houve hein?
TEREZA: Nada, deixa essas duas pra lá. Eu só quis ajudar... pelo menos elas.
CRISTIANO: e TEREZA: saem de cena. APAGA AS LUZES.
CENA 5 - O BAILE “O EFEITO DAS DROGAS”
TONICO: , TEREZA: e RAVANA: estão em cena. Cada um num ponto.
A. F. entra em cena e distribui as drogas para os três.
Afonsinho entra em cena. Entram outros jovens em cena e compram drogas com TONICO: , TEREZA: e RAVANA: . Bárbara e Lia entram em cena. Afonsinho fica tirando Bárbara.
Bárbara compra drogas com Tonico
BÁRBARA: quero a da boa. Tereza não quis vender pra mim.
TONICO: Problema é dela que ganha menos.
LIA: Ai, BÁRBARA, aquele AFONSINHO: não para de olhar pra você. Bárbara Olha ele é um porre.
Bárbara e Lia saem de cena demonstrando que vão cheirar a cocaína que compraram.
AFONSINHO: TEREZA: ... tu conhece a Bárbara né? Fala pra ela que eu to afim dela.
TEREZA: Olha só. Ela já falou que não ta a fim de você. Alem do mais, ela não quer mais falar comigo.
AFONSINHO: tu é maior imprestável, garota.
TEREZA: você que fica insistindo. Não vai dar em nada e você ainda vai ficar mal.
Ogum e Carla chegam no baile. Ogum paquera todas as mulheres do baile, Carla observa indignada ele dando em cima de outras mulheres e sendo correspondido. Ogum fica andando de um lado pro outro supervisionando as vendas. Bárbara e Lia entram em cena. Lia dá em cima de Ogum que corresponde. Afonsinho se aproxima de Bárbara.
AFONSINHO: Oi. Bárbara que foi?
AFONSINHO: Tu ta linda hoje.
BÁRBARA: E daí?
AFONSINHO: E daí que eu to afim.
BÁRBARA: mas eu não to e nunca vou estar.
LIA: (ri escandalosamente)
AFONSINHO: Que isso garota, não sabe o que ta perdendo.
BÁRBARA: Eu não to perdendo nada. Mas daqui a pouco vo perder a mão na tua cara.
AFONSINHO: (segura o braço dela) fica comigo.
BÁRBARA: Me larga. (empurra ele e se afasta) Deixa de ser ridículo.
Ravana e A. F. ficam rindo dele por causa do fora que levou de Bárbara. Bárbara e lia se afastam dele e se aproximam de Ogum demonstram estar contando alguma coisa pra ele sobre Afonsinho.
BÁRBARA: Ogum, esse cara não me deixa em paz. Todo baile é isso.
OGUM: Vou mandar o A. F. falar com ele.
AFONSINHO: sai de cena demonstrando medo de Ogum. O baile segue. APAGA AS LUZES
CENA 6 – DEPOIS DO BAILE “BÁRBARA MORRE”
CENÁRIO – BECO DA FAVELA
Lia e Bárbara estão drogadas. Lia começa a passar mal, no caminho para casa, elas encontram AFONSINHO: que demonstra estar alterado mentalmente.
AFONSINHO: Ninguém me humilha, garota.
BÁRBARA: O que você quer?
AFONSINHO: (saca uma arma) anda pra cá rápido. Vem logo.
BÁRBARA: me larga!!! me larga!!!
Lia esta passando muito mal e assustada corre e abandona a amiga sozinha com Afonsinho.
BÁRBARA: Lia, não me deixa sozinha aqui.
AFONSINHO: (coloca a arma na boca de bárbara). Ninguém me faz de otário.
Agora eu vou fazer contigo o que já devia ter feito há muito tempo.
APAGA A LUZ
BÁRBARA: (grita e chora) por favor para! Para!
AFONSINHO: ta gostando? Você vai ser minha.
Barulho de tapas
BÁRBARA: Não. Por favor. Não. Alguém me ajuda. Por favor. Barulho de tiro.
Bárbara se cala.
CENA 7 – ANTES DO BAILE “PRESSENTIMENTO”
MARA: Carla, minha filha, eu já falei com ele. Hoje mesmo. Pedi pra Ogum largar essa vida. Ele não me ouve.
CARLA: Nem a mim ele ouve, mãe MARA: . Já falei com ele. Mas ele nem me respeita mais.
MARA: Ai meu Deus...
CARLA: Ele tem outra. E vai tá no baile hoje. Eu sei. Eu vou deixa ele. Vou deixar seu filho.
MARA: meu Deus... Eu nem sei o que fazer... ai meu filho.
Cristiano entra em cena.
CRISTIANO: oi.
MARA: Oi Cristiano. Carla, que cara é essa?
CRISTIANO: Peguei Tereza e bárbara no maior pega pra capá.
CARLA: Que?
CRISTIANO: Tereza não me falou nada. Mas eu sei que era por causa de droga. Seu filho, dona Mara, faz muito mal em vender drogas, ele é usado por satanás para destruir a vida de muitos jovens.
MARA: (fica muito nervosa e aflita) ai. Eu não queria me sentir assim... mas eu to com pressentimento. Não queria que Ogum fosse pro baile hoje.
APAGA A LUZ.
CENA 8 - O BAILE “AS ALMAS”
Tonico, Tereza e Ravana estão em cena. Cada um num ponto.
A. F. entra em cena e distribui as drogas para Tonico e Tereza.
A. F. chama Ravana pro lado, eles conversam em particular.
A. F. : ta comigo ou não?
RAVANA: To contigo.
A. F. : E hoje depois do baile. E pode contar que tenho apoio de outros alem de você.
RAVANA: tá na boa.
A. F. : Eu vou ser o dono e tu fica no meu lugar como gerente da boca.
Se me trair, tu morre. Pela minha mão, ou pela mão de um dos meus.
RAVANA: Confia. Confia.
Afonsinho entra em cena. Entram outros jovens em cena e compram drogas com Tonico, Tereza e Ravana.
Bárbara e Lia entram em cena.
Afonsinho fica tirando Bárbara.
Bárbara compra drogas com Tonico.
Bárbara e Lia saem de cena demonstrando que vão cheirar a cocaína que compraram.
Afonsinho pede a Tereza que peça a Bárbara pra ficar com ele.
Ogum e Carla chegam no baile.
Ogum paquera todas as mulheres do baile, Carla observa indignada ele dando em cima de outras mulheres e sendo correspondido.
Ogum fica andando de um lado pro outro supervisionando as vendas.
Bárbara e Lia entram em cena.
Lia dá em cima de Ogum que corresponde.
Afonsinho se aproxima de Bárbara e eles discutem e bárbara o humilha. Ele sai de perto dela demonstrando ódio.
Ravana e A. F. ficam rindo dele por causa do fora que levou de Bárbara.
Bárbara e lia se aproximam de Ogum demonstram estar contando alguma coisa pra Ogum sobre Afonsinho.
Afonsinho sai de cena. O baile segue.
APAGA A LUZ
CENA 9 – DEPOIS DO BAILE “AS TRAGÉDIAS DE UMA NOITE”
CARLA: a gente tem que sumir daqui, eles vão nos matar.
MARA: : Eu sabia... eu senti. Sabia que ele ia ser morto. Sabia que o A. F. iria trair meu filho. Nunca fui com a cara dele.
CARLA: Mãe Mara... Ogum está morto. Vamos sair do morro senão vão matar a gente também.
Tonico e Tereza entram em cena desesperados.
TEREZA: Meus Deus que noite. Que inferno! Alguém matou a Bárbara.
Encontraram o corpo no beco. Meu Deus.
CARLA: Isso aqui ta fora de controle. Eu vou embora daqui.
TONICO: Foi o Afonsinho que matou ela. Ele fugiu do morro. Eu sei que foi ele.
CRISTIANO: A Lia ta internada. Parece que teve overdose. O medico falou que ele não passa de hoje.
TEREZA: oh meu Deus. Lia... minhas amigas... Tonico cara, eu vendi droga pra elas.
TEREZA: A culpa é sua. A lia morreu por sua culpa.
TONICO: e a Bárbara morreu por sua culpa. Se você tivesse convencido ela a ficar com o AFONSINHO: , ele não teria matado a garota.
TEREZA: Cala a boca! Tonico Cala você.
CARLA: Eu vou embora daqui. Mara (começa a chorar)
CRISTIANO: Calma gente... não adianta culpar um ao outro. Carla, não adianta fugir. Se eles quiserem te matar eles vão te achar, onde você estiver.
CARLA: Aqui que eu não fico.
CRISTIANO: Cada um de vocês ta colhendo o que plantou. Mas ainda não é tarde para se arrependerem e buscar o perdão de Deus. Mesmo se vocês foram responsáveis pelas mortes da Bárbara e da Lia, Deus sempre espera que nós venhamos a nos arrepender dos nossos erros. CARLA: , você quer recomeçar uma nova vida, mas não adianta mudar de casa. Só há recomeço real com Cristo.
CARLA: Eu quero deixar tudo isso pra trás. Não sei como fazer....
CRISTIANO: Deus faz novas todas as coisas. E você minha irmã... quando decidiu sair da igreja e escolher o caminho mais fácil eu te avisei que ia doer. Olha pra você agora.
TEREZA: Eu sei. Eu não aguento mais isso. Não consigo dormir pensando nas pessoas que morreram por causa da droga que vendi pra elas. Eu não tenho paz.
MARA: Meu filho, ninguém consegue sair dessa vida. Eles vão nos matar.
CRISTIANO: Dona Mara , eles podem até matar, mas se a senhora entregar a vida pra Jesus, vai receber paz e eles nunca mais poderão oprimir sua alma.
TONICO: Cristiano, esse teu Jesus pode realmente ajudar a gente?
CRISTIANO: depende de vocês. Depende se vocês querem continuar sofrendo assim, ou querem uma nova vida. Entrega a vida pra Jesus, e ele cuida de tudo.
CARLA: Eu entrego a vida pra Jesus, mas aqui eu não vou ficar.
CRISTIANO: Se não é seguro ficar, não fica. Mas não adianta mudar de casa se o coração continua o mesmo. Porque na verdade nada mudou. Mas se você aceitar Jesus. Você verá a mudança que ele faz. E você pode estar aqui, em outro bairro ou em outro pais. Ele vai operar na sua vida esteja onde você estiver.
TEREZA: Meu irmão, eu não vou fugir. Mas acho melhor mesmo a CARLA: e a mãe Mara irem embora. Eu vou na igreja com você... de onde eu nunca devia ter saído.
MARA: Cristiano, acha mesmo que Deus pode curar a dor da perda de um filho?
CRISTIANO: Deus não só pode curar, como ele já sentiu a dor que a senhora ta sentindo. Deus quer restaurar seu coração e te dar nova vida. Eu tenho certeza da vontade dele nesse sentido. Confia que Deus cura as feridas.
Mara e Carla se despedem de Cristiano , Tereza e Tonico e saem de cena.
CRISTIANO: (para o público) A cada dia, Deus espera que venhamos a nos arrepender dos nossos pecados e desejar uma nova vida. Chega um dia, que é inevitável uma decisão nossa. Porque você sente que nada mais tem sentido e só a morte espera. Talvez esse dia para você seja hoje. Talvez, você esteja no limite das suas forças. Você pediu a Deus uma resposta. A resposta veio. Deus te dá uma opção para que você encontre paz e tenha uma nova vida. Mas cabe a você escolher se aceita ou não que Jesus entre em seu coração e mude sua vida.
 

Texto que faz parte da coleção O ÚLTIMO ATO/ Luiza Regina Reis  download aqui São 5 EBooks(peças e roteiros pra cinema)

A Luiza é autora do site Arena de Cristo

Ministra cursos e oficinas de teatro

 

Estilos: 
Temas: 
Diversos: