Um Servo Como Jó

Versão para impressão

A história Bíblica de Jó, recontada nos dias de hoje. A história da pessoa temente a Deus, que o Diabo mais a sua turma tentam desviar o servo do Senhor.

Música de início: Dj Alpiste – Qual é a Diferença

Narrador: “Em uma cidadezinha qualquer, onde haviam costumes desagradáveis aos olhos de Deus, existia um jovem chamado Mateus. Jovem bonito, reto e temente a Deus. Vivia muito bem com a sua família, porém um dia... Satanás insatisfeito com a sua felicidade foi falar com Deus...”
(entra Satanás)
Deus (voz no fundo): “O que queres Satanás?”
Satanás: “Senhor, não acreditas realmente que aquele jovem é tão honesto quanto parece, né? Afinal... Tu tens dado tudo que pode deixá-lo feliz, dinheiro, uma bela família, casa... mas, deixe que o mal venha sobre ele e verás que ele irá resmungar!”
Deus: “Tudo bem Satanás, permitirei que faças o que queres e verás que esse meu servo é fiel! Porém, não permitirei que toques no meu servo.”
(Diabo sai de cena)
(A família de Mateus entra em cena, todos contentes, quando entra o pai com uma cara triste)
Sr. Pedro: “Querida família, aconteceu algo terrível na empresa hoje, por causa da queda das vendas, tiveram que demitir algumas pessoas. E... bem, eu estava em um dos setores que ganhava um dos melhores salários, então decidiram nos demitir para a contenção de despesas. Sem dinheiro para pagar as contas, que venceram ontem, resolvi dar o carro, o barco, a fazenda, o salário e todos os seguros que tínhamos para ver se conseguia quita-las, mas não consegui... eles disseram que ficariam com a casa e tudo que tem dentro e nos deram 12 horas pra sair de casa...”
(Dona Joana tenta consola-lo)
Joana: “Amor, não fique triste, tudo vai melhorar!”
(Mateus o abraça)
Mateus: “É pai! Não fica triste, Deus sabe de todas as coisas!”
Pedro: “Deus? Que Deus? Aquele Deus que fez isso com a gente? Uma família que andava nos seus caminhos? Ele não ouve as nossas orações. Talvez ele nem exista! Joana pegue esse endereço, é um barraco no Morro da Cenoura que um amigo me emprestou por um tempo. Vou ao bar, quando estiverem prontos me chamem!”
Joana: “Não amor, não vá! Você não bebe!”
Pedro: “Você não me conhece!”
(Pedro sai de cena batendo tudo, Joana começa a chorar e Mateus a abraça)
Mateus: “Mãe, não fica triste não. Deus, Ele dá e Ele tira... Louvado seja o nome do Senhor!”
(Joana o olha com raiva e se afasta)
Joana: “O que você ainda está fazendo aqui? Vai se arrumar seu moleque imprestável! Deus não te ouve, presta atenção nisso!”
(Todos saem de cena e voltam com uma bolsa nas costas)
Joana: “Mateus, vá buscar seu pai! Ele está ali no bar da esquina.”
(Mateus e Pedro. Pedro cambaleia e cai)
Mateus: “Pai, por que você fez isso?”
Pedro: “Me deixa moleque! O que eu faço não é da sua conta! IC! E sai daqui, eu quero beber mais!”
(eles lutam porém Mateus o puxa)
Mateus: “Não pai! Temos que ir! Vamos!”
Pedro: “IC! Me deixa moleque! IC!”
(Pedro bate no rosto de Mateus)
Mateus: “Pai, eu não entendo porque você fez isso... mas... eu ainda te amo!”
Pedro: “Ah... IC! Sai daqui!”
Mateus: “Não pai, vamos, vou lavar o seu rosto!”
(Os dois saem de cena. Fecham as cortinas e aparece alguns pedaços de madeira, o que indica ser o barraco. Pedro já está melhor, só anda um pouco torto)
Joana: “Nossa! Que barraco horrível! Ninguém merece! Esse bando de pobre aqui do lado! Tinha que ser coisa do seu pai!”
Mateus: “Não mãe, Deus nos mandou esse barraco para não ficarmos na rua! Devemos glorificar a Deus!”
Joana e Pedro: “Ah, cala a boca moleque!”
(Todos saem de cena)
Narrador: “Os dias se passam e Mateus continua sempre buscando a Deus e sendo fiel a ele, porém o Diabo vê isso tudo e se revolta. Volta novamente a presença de Deus.”
Deus: “O que queres novamente Satanás? Ainda não estas convencido da fidelidade do meu servo?”
Satanás: “Ah Deus, assim é muito fácil... por mais que ele tenha perdido os bens materiais, ainda é o mais belo dos garotos já visto e ainda tem os melhores amigos que uma pessoa pode ter, porém quero ver se ele perder toda essa beleza e ter amigos como os meus... Há! Há! Há!”
Deus: “Pois bem Satanás, faça o que queres, porém não toques no meu servo!”
(Diabo sai de cena)
Narrador: “Os dias se passam, Joana arrumou um emprego como diarista; Mateus matriculou-se em um colégio perto de casa e fez muitas amizades na escola e no morro; e seu pai Pedro estava enchendo a cara todas as noites, e em algumas manhãs quando conseguia acordar, lavava o rosto e saia atrás de emprego. Tudo caminhava normalmente, quando em uma manhã de domingo...”
(Mateus entra em cena com uma Bíblia na mão, e ouve um grito)
Joca: “MATEUS!”
(Joca se aproxima)
Joca: “Mat, meu amigo, ta afim de ir a praia, bagunçar umas minininhas aí que já tão na fita e depois tocar a maior zorra?”
(Mateus faz cara de confuso)
Mateus: “Hã?! Tocar a maior zorra? Bagunçar mininhas? O que é isso?”
Joca: “Pô irmão, roubar uns gringo, fazer um arrastão, comer umas minas... sabe qual é?”
(Mateus olha para ele, amostra a Bíblia)
Mateus: “Não vou não! Não gosto disso! Esse lance de ficar, não é legal! É brincar com os sentimentos dos outros e com os nossos, quando você fica com alguém, e não quer compromisso sério, você não está se preparando para o futuro, não esta cumprindo um mandamento de Deus. To indo pra igreja agora, é bem melhor! Vamos?”
Joca: “Pô Mat, faz isso não! A parada agora é Prostituto! E pastor é tudo ladrão! Vamos nos divertir enquanto a gente somo novo!”
Mateus: “Não, não pô! Irmão, se você soubesse que a prostituição é uma coisa abominável aos olhos de Deus, acho que você não iria querer fazer essas coisas. E mesmo que pastor seja tudo ladrão, é ele com Deus, eu não posso julgar ninguém, dízimos e ofertas são do Senhor, cara, ele me dá tudo, saúde, vida, família e só pede 10% do que Ele me dá, o que são 10% comparado a minha vida?! E também sou jovem sim, eu sei, mas eu prefiro me garantir hoje, afinal... e se você morrer amanhã, para onde você irá? Pô, prefiro garantir meu futuro hoje ao lado de Jesus!”
Joca: “Pô irmão, prostituição é quando você recebe pra fazer, eu faço isso por prazer! Amigo, Deus guarda os meus passos e eu sei que Ele não vai me levar hoje e nem amanhã”
Mateus: “Mas, quando você pronuncia cada palavra de maldição, cada uma delas é uma profecia para a sua vida e mesmo que seja por prazer, a fornicação também é um pecado terrível aos olhos de Deus! Pô irmão, agora vou indo porque já estou atrasado, mas vou orar pela sua vida!”
Joca: “Ah, valeu seu caretão! Eu vou é me divertir enquanto você vai lá ficar dando dinheiro pro pastor, olha o ditado, hein: dinheiro que cai do céu é do Senhor, dinheiro que cai no chão é do pastor!”
(Se despedem e Mateus sai de cena muito triste)
(Cortinas se fecham. Entram algumas pessoas e fingem que estão em um culto)
Pastor: “Irmãos, Deus está aqui e quer ter um encontro com vocês e com as pessoas que estam próximas de vocês! Ore neste momento por todos aqueles que vierem a sua cabeça nesse momento!”
(Mateus está orando, sente uma forte dor no peito sua mão começam a gelar, suas pernas começam a bambear, não consegue mais falar direito, porém antes que fosse desmaiar, puxa todo o ar que podia...)
Mateus: “DEUS SEJA LOUVADO!”
(Cai e bate com o rosto na cadeira da frente)
Narrador: “Satanás inconformado com o que tinha acontecido, foi falar novamente com Deus.”
Satanás: “AAAAHHHH!!!!! Isso não é justo! Falta algo!... Já...”
Deus: “Cale-se Satanás! Chega! Já vistes que o meu servo é fiel e reto em meus caminhos, porem não contentou-se e fez-lhe muito mal, está na hora de isso tudo acabar e ele ser restituído. Volte para o já para o inferno!”
(Todos saem de cena e entra a sua mãe e senta-se na escada e ouve um barulho de algo caindo)
Joana: “Mateus, é você meu filho?”
Mateus: “Sou eu sim mãe, mas o que é isso no meu rosto?”
Joana: “Meu filho, esse foi o resultado de uma cirurgia que você fez...”
Mateus: “Cirurgia, por quê?”
(Joana o ajuda a tirar a tala)
Joana: “Porque, no dia em que você desmaiou lá na igreja, você bateu agressivamente com seu rosto no banco que estava na sua frente, foi descoberto que você tinha suspeitas de HIV.... porém, oramos a Deus, e olhe o seu rosto que estava desfigurado está perfeito, e você, graças a Deus está curado!”
Mateus: “Mas o que aconteceu? Quanto tempo eu fiquei assim? E cadê o meu pai? Vocês oraram? Eu, HIV? Por que a gente está nesta casa que parece com a nossa?”
Joana: “Filho, seu pai ele voltou pra igreja no dia em que aconteceu isso, ele ficou tão desesperado porque poderia te perder, que foi pedir a Deus uma nova chance com você e me levou junto com ele pra igreja, naquele mesmo dia ele se rendeu aos pés de Jesus. Quando voltamos para casa, era umas 9 e pouca, ligaram de uma multinacional que tinha acabado de se instalar aqui e por meio de boas referencias a respeito do seu pai o contrataram. Com o dinheiro do contrato de 7 anos, seu pai comprou tudo de volta em um leilão. Bem, você ficou assim durante 5 dias, mas 5 dias abençoados por Deus, porque foi muita oração e muito clamor! Agradeço a Deus por tudo que ele fez com a gente!”
Mateus: “Que legal! Graças a Deus! Eu tinha certeza que Deus ouvia as nossas orações, não falei?”
Joana: “É verdade meu filho, e a gente sempre brigando com você! Me perdoa, ta? Eu te amo!”
Mateus: “Tudo bem mãe, eu também te amo!”
Joana: “Ah, e você lembra do Joca?”
Mateus: “Lembro sim, por quê? Ele está bem, né?”
Joana: “É meu filho... por pouco... vou deixar que ele te explique o porquê, afinal, ele tem vindo aqui todos os dias, está louco pra te ver e te contar, não vou estragar a surpresa!”
(TOC, TOC, TOC)
Joana: “Deve ser ele, vou atender a porta!”
(Joana sai de cena, Mateus fica com uma cara supercontente admirando tudo ao seu redor e se ajoelha pra agradecer a Deus quando entra Joca)
Joca: “Fala Mat! Meu irmão! Que saudade, hein? Orei muito por você!”
Mateus: “Orei? Como assim?”
Joca: “Pô, calma! Sua mãe ainda não te contou?...”
Mateus: “Não me contou, afinal, contar o que?!”
Joca: “Calma aí! Voltando, e aí, como você está?”
Mateus: “Estou bem! Estou bem, mas o que que minha mãe tinha que me contar??”
Joca: “Pô! Lembra aquele domingo que você ia na igreja e eu ia para praia?”
Mateus: “Lembro sim, mas o que que tem?”
Joca: “Então, eu fui lá, já comecei não encontrando as meninas, até aí tudo bem. Me encontrei com o pessoal que eu ia fazer o arrastão, umas 20 cabeças, só que antes de a gente começar, eu senti que era pra eu ir dar um mergulho, não sei pra que, foi de repente, acho que foi Deus mandando eu me refrescar, daí, do nada a polícia apareceu mandando tiro pra todo lado... A única coisa que eu pude fazer é ir mais pro fundo e olhar o que estava acontecendo... Irmão, tinha que ver, foi horrível, eu vi 5 dos meus amigos sendo mortos e 14 indo preso, foi horrível! Naquela mesma noite, eu me lembrei das suas palavras, e fui na igreja que você me convidou, pô, naquela hora que o pastor perguntou quem queria aceitar um tal de Jesus eu senti um negócio tão estranho no peito, uma vontade de levantar a minha mão... então, eu levantei o mais alto que eu pude e gritei: ‘Quem é Jesus?’ Pra mim, ele ia me zoar, mas não, ele me respondeu: ‘Jesus é o filho de Deus, aquele que sofreu na cruz pelas nossas vidas, aquele que te dá paz e te conforta, e é ele que está te incomodando neste momento, pois ele está à sua porta a bater, querendo cuidar de você!’ Aí, naquela hora eu comecei a chorar e falei que queria aceita-lo, foi maravilhoso!”
Mateus: “Que legal Joca! Orei tanto por você naquele dia!”
Joca: “Ainda nem terminou... naquela mesma semana, deixei o tráfico e as menininhas e encontrei a Marta, uma benção grandiosa na minha vida! Pô irmão, agradeço muito a Deus por Ele ter te usado para falar comigo... eu, uma pessoa que não merecia tanto amor, que zombava do nome dele... às vezes fico pensando... se você não tivesse obedecido ao chamado dEle, acho que eu não estaria aqui!”
Mateus: “Muito obrigado! Também agradeço a Deus pela sua vida, meu irmão!”
(Eles se abraçam. Fecham-se as cortinas. Todos entram em cena)
TODOS: “Você tem sido um servo bom e fiel? Tem obedecido ao chamado de Deus?”
Personagem 1: “Esta história foi fictícia, porém quantos servos tementes a Deus não encontramos na Bíblia?”
Personagem 2: “E quantos jovens pelas nossas ações ou falta delas têm se envolvido com drogas, bailes ou com fornicação?”
Personagem 3: “Quantos jovens têm recebido o seu salário...”
Todos: “A MORTE...”
Personagem 4: “Precisamos mudar este quadro, ouça a voz de Deus no seu coração, pessoas precisam ouvir o que Deus tem a dizer...”
Personagem 1: “E você, tem sido um instrumento nas mãos de Deus?”
 
Autores: 
Diversos: