QUANDO CRISTO VOLTAR

Versão para impressão

QUANDO CRISTO VOLTARO tema é controverso, há: pré milenistas; pós milenistas; milenistas e amilenistas(tem mais algum?). Pra tornar a peça mais polêmica, quase toda ela é o diálogo do "anjo da guarda", e seu protegido, mas a lição da peça é algo como "esteja preparado, tu não sabes que momento serás chamado".
A peça acontece em um sonho, digo pesadelo.
O Fabrício é o personagem central, que “acordou” depois de ter morrido e não acredita que morreu.
Descobre outras pessoas que morreram, algumas que se salvaram, outras não.
Pra complicar ele descobre que está entre os que morreram e estão condenados, eternamente. O desespero!
Como tudo era um sonho, seu sono está agitado e sua mãe o acorda.

Tudo começa com o hino de som de trombetas.
Inicia-se a narração:
“Por entre vacilações da terra, o clarão do relâmpago e o ressoar o trovão, a voz do Filho do Deus chama: DESPERTAI VÓS QUE DORMES NO PÓ”.
Por toda a terra os mortos ouvirão a sua voz e despertarão (mortos vão se levantando devagar; anjos vão entrando e a música vai aumentando).
Mães que perderam seus filhos, receberão das mãos de anjos suas crianças de volta.
Amigos há muito tempo separados pela morte se unem para nunca mais se separarem.
E com cânticos de alegria sobem para a cidade de Deus.
“TODOS VÃO SAINDO DE CENA E NESTE MOMENTO A MÚSICA JÁ DEVERÁ ESTAR BEM ALTA”
Oh! Maravilhosa redenção! Há tanto tempo objeto das cogitações. Há tanto tempo esperada...
A grande tribulação terminou
 
Roteiro da encenação
 
Cenário: ruínas, túmulos abertos e fechados. Estado de caos.
Desenvolvimento do tema: os acontecimentos aqui descritos são baseados nas informações que temos na Bíblia e Espírito de Profecia, relacionadas a 1ª e 2ª ressurreição e o período dos mil anos. O diálogo e as representações que se seguem são resultado do sonho do personagem principal (Fabrício).
Na introdução do programa será dada uma pista para que as pessoas entendam que é um sonho, porém esta pista não será muito clara, apenas um hino – Manhã do Juízo. O auditório, as pessoas só perceberão efetivamente que se trata de um sonho no final do programa.
 
Introdução
 
Hino: “Na metade do hino entra um Anjo (Gabriela), e se posta tristemente junto ao túmulo”. No final do hino entra Fabrício de + ou -18 anos”.
 
Efeitos musicais: músicas de terror, suspense, vento,...
 
FABRÍCIO: deserto, escuro,... Parece que tudo está tremendo... Um anjo...
 
GABRIELA: Exatamente. Um anjo! Como vai Lucas?
 
FABRÍCIO: Fabrício! Como sabe meu nome?
 
GABRIELA: Oh Fabrício, eu o conheço muito bem. Muito mais do que você possa imaginar. Meu nome é Gabriela.
 
FABRÍCIO: Estou achando tudo tão estranho. Que lugar é este? Como vim parar aqui?
 
GABRIELA: Como veio parar aqui, logo ficará sabendo. Como você está num cemitério. Não há luz do sol. Faz frio. Terremotos são constantes. A terra está totalmente deserta caótica. Não há nenhuma vida, nem animal, nem vegetal.
 
FABRÍCIO: Ninguém? Mas, me diga, preciso me localizar. Que cidade é esta? Só vejo ruínas, escombros. Em que ano estou?
 
GABRIELA: esses escombros, essas ruínas que você vê, são os restos que sobraram da cidade de Cachoeirinha. Você esta precisamente no ano de 3003.
Isto é, falta apenas alguns dias para se completar os 1000 anos preditos no Apocalipse, que ocorreriam após a 2ª vinda de Jesus.
 
FABRÍCIO: Quer dizer que Jesus já veio e esses túmulos...
 
GABRIELA: Esses túmulos que foram abertos, foram os remidos, os Santos que ressuscitaram. Foi o maior acontecimento que esta terra já presenciou.
Eu fiz parte dos milhões de Anjos que acompanharam a Jesus quando Ele voltou a esta terra em poder e glória. Ao nos aproximarmos da terra, tocamos nossas trombetas e Jesus, nosso poderoso comandante, chamou os que dormiam no pó da terra.
 
FABRÍCIO: Deve ter sido maravilhoso... Eu me lembro de um hino que tentava descrever este acontecimento...
 
HINO: Jesus vem vindo (última estrofe e coro)
 
GABRIELA: ( com emoção ) Milhares e milhares de pessoas se abraçavam. Mães que foram separadas de seus filhos, se uniram num abraço eterno. Amigos ceifados pela morte se encontraram e juntamente com todos os remidos de todas as eras foram levados ao Céu.
 
FABRÍCIO: Por favor me fale mais, onde está minha mãe, minha irmã?
 
GABRIELA: Sua mãe, sua irmã e todos os outros santos, estão no Céu juntamente com Cristo e com os outros anjos, estão vendo os registros daqueles que se perderam. Daqueles que não aceitaram a Jesus como seu Salvador.
 
FABRÍCIO: Vejo aqui alguns túmulos abertos,... parece que existe uma inscrição... parece um nome... é... CLÉVERSON BRASIL e ANA MARIA. Eu os conheci, eles cantavam tão bem. Eu gostava muito de um hino que eles cantavam.
 
Dueto – (Somente pela graça )
FABRÍCIO: Aqui está um túmulo fechado. De quem é?
 
GABRIELA: Deve ter a inscrição aí do lado. Olhe bem...
 
FABRÍCIO: Joaquim Reis. Se está fechado quer dizer que ele não ressuscitou? Mas não posso acreditar. Ele era tão dinâmico na igreja. Pregava. Era diretor de jovens.
 
GABRIELA: Realmente, a vista dos homens ele era muito dedicado. Porém, os motivos que o moviam não eram os mais nobres. Era egoísta. Ele nunca se entregou totalmente a Jesus. Para ele, o trabalho, a igreja, era mais importante que o Senhor da igreja. Na verdade ele até pregava sobre Jesus, porém nunca o conheceu.
 
FABRÍCIO: Não posso acreditar.
 
FABRÍCIO: E este túmulo aberto... Antônio Marcos. Não é possível ! o Marcos está no Céu? Ele ressuscitou? Ele era meu vizinho e não era muito recomendável. Mexia com drogas, foi preso, condenado não sei por quantos anos...
 
GABRIELA: É, tudo isso que você falou é verdade. Porém lá no presídio ele conheceu a Jesus. Arrependeu-se de seus pecados e foi perdoado. Entregou-se sem reservas a Jesus e por esta razão está no Céu.
 
FABRÍCIO: Quando cheguei aqui, você estava ao lado daquele túmulo e me deu a impressão que você estava chorando. Porque você estava ali, ao lado daquele túmulo fechado?
 
GABRIELA: Ah Fabrício, eu realmente estava e estou muito triste. Quando esta pessoa, esta criança foi gerada, eu fui designado para lhe ser o Anjo da Guarda.
Foi tão emocionante. Através do poder que recebo de Deus, coordenei as primeiras divisões celulares, a formação e diferenciação dos diversos tecidos que formam o ser humano. Nada me era oculto. Controlei os batimentos cardíacos e a alimentação através do cordão umbilical...
 
FABRÍCIO: Continue...
 
GABRIELA: Esta criança foi muito esperada. E quando esta criança nasceu, era uma criança saudável, bonita. Era um menino e olhos grandes, expressivos...
 
FABRÍCIO: Ah. Agora começo a entender o porque de sua tristeza, quer dizer que esta criança, esta pessoa que você acompanhou durante toda a vida, não está salva?
Não fez parte da primeira ressurreição?
 
GABRIELA: Lamentavelmente este jovem morreu na flor da idade, com apenas 18 anos, e agora está aguardando a 2ª ressurreição, a ressurreição dos ímpios que ocorrerá a pós o milênio. Será ressuscitado por um curto período de tempo, para depois sofrer a morte eterna.
 
FABRÍCIO: Estou ficando curioso. Eu conheci esta pessoa, era meu amigo, por favor me diga de quem era esse tumulo?
 
GABRIELA: Ah, Fabrício! Sinto muito te mostrar isto. Aqui está a lápide.
Veja você mesmo.
 
( música de impacto quando ele ver a lápide )
 
FABRÍCIO: Fabrício Machado Valim. FABRÍCIO MACHADO VALIM!... sou eu,... não pode ser, deve haver algum engano, por favor me explique...
 
( 10 segundos de efeito musical )
 
GABRIELA: (emocionada) É. Infelizmente é você mesmo.
 
FABRÍCIO: Não por favor, diz que isso não é verdade. Como isto foi acontecer. Eu não consigo me lembrar...(efeito sonoro)...lembro apenas que estava andando de moto em alta velocidade... cruzei uma preferencial...e...
 
GABRIELA: Fabrício, você foi uma criança amada, desejada perfeita, você nasceu num lar Cristão. Pelo menos sua mãe era muito fiel. Você foi crescendo. Quando você tinha três anos de idade e você caiu da janela do apartamento onde morava. Fui eu quem te segurou nos braços impedindo que você morresse.
 
FABRÍCIO: Continue...
 
GABRIELA: Você frequentava a escolinha bíblica. Você gostava de participar... tente se lembrar...
 
FABRÍCIO: É verdade, eu me lembro de um hino...
 
(musica infantil)
 
GABRIELA: Você foi crescendo, e aquele amor que você sentia por Jesus, foi diminuindo. Sua mãe coitada, procurava trazê-lo de volta. Passava horas e horas em oração. Porém , religião, salvação, relacionamento com Cristo é algo pessoal. Quantas vezes eu o lembrava na necessidade de ter comunhão com Jesus, ler a bíblia, estudar a lição da escola bíblica.
 
FABRÍCIO: Sim... mas eu fui batizado, eu ia na igreja...
 
GABRIELA: É verdade, ia na igreja mas não ficava lá dentro. Ficava no portão, na rua, conversando os mais diversos assuntos. Se o diácono Jessé o chamava, não atendia, ignorava. Você não se alimentava da palavra de Deus e com isso não recebia força, poder, para ter uma vida cristã feliz, vitoriosa. Procurei por todos os meios trazê-lo de volta, porém tinha de respeitar sua liberdade.
 
GABRIELA: Fabrício, você gostava de música. Você gostava muito de um hino e eu também. Era o que eu mais desejava...
 
FABRÍCIO: Hino!... é verdade. Como eu gostava daquele hino!
 
( Hino sobre anjos )
 
GABRIELA: Fabrício você sentia a minha presença ao teu lado. Sentia em tua consciência meus apelos. Algumas vezes eu tinha esperança que você cederia aos apelos do Espírito santo, feitos por meu intermédio. Muitas e muitas vezes procurei conscientizá-lo de que a comunhão com Jesus era fundamental, através dela você receberia não somente perdão, mas também poder para vencer as tentações que te assediavam.
 
GABRIELA: Porém você não fazia a sua parte, não era amigo de Jesus.
Separado Dele você foi descendo mais e mais... primeiro foram as revistas, as músicas sexo... até que um dia após você tomar uma over dose de cocaína., pegou sua moto e saiu em alta velocidade. Você sofreu um acidente, entrou em coma, não recuperou a consciência e veio a falecer, com apenas 18 anos de idade. Longe de Deus, longe de Jesus. E por esta razão, por sua própria escolha, não te ligaste a fonte da vida, e assim não fizesse parte da 1ªressurreição. Está aqui neste cemitério frio e solitário, aguardando a 2ª ressurreição, a ressurreição dos ímpios.
 
FABRÍCIO: Quer dizer que eu nunca mais poderei ver minha mãe, meus amigos... Deixarei de existir por toda eternidade?
 
GABRIELA: Sim, Fabrício. Em meu coração está um vazio, uma dor indescritível, uma perda irreparável. Fabrício, o meu desejo era dar-lhe as boas-vindas ao Céu, levá-lo ao encontro do maravilhoso Salvador Jesus Cristo. Queria conversar muito com você, tanta coisa para compartilharmos.
Ansiava mostrar-lhe o Céu, as mansões. Enfim coisas tão lindas e maravilhosas que em sua mente finita nem sequer imaginou...
 
(música: começa a aumentar o volume. Hino: Jerusalém)
 
FABRÍCIO: Que música é esta?
 
GABRIELA: Fabrício, eu tenho que ir. É a nova Jerusalém que está descendo do Céu para esta terra. Os mil anos se findaram.
 
(aumenta-se o volume da música)
 
FABRÍCIO: Não. Por favor, não me deixe. Dá-me mais uma chance. Meu Deus estou perdido...estou perdido por favor não quero...
Não! Não!...
(coro do hino Jerusalém)
 
(Fabrício entra em desespero. Entra sua mãe e o sacode. Ele acorda. Estava sonhando).
 
FABRÍCIO: Mãe ( abraça-a ). Que bom ver a senhora. Tive um sonho horrível.
 
MÃE: o que aconteceu meu filho?
 
FABRÍCIO: Sonhei que Jesus tinha voltado e eu fiquei.
 
MÃE: fique calmo tudo não passou de um pesadelo graças a Deus.
 
FABRÍCIO: Não quero mais esta vida, quero voltar antes que seja tarde demais.
 
(oração de FABRÍCIO: trecho musical-)

 

Estilos: 
Diversos: