Os Milagres de Jesus

Versão para impressão

Encenação de alguns dos milagres de Jesus

Expulsão da legião de demônios do jovem gadareno

Curas, tais como a da mulher que sofria de hemorragia e a do servo de um centurião.

Ressurreição da filha de Jairo.

A ênfase recai sobre milagre da ressurreição da filha do sacerdote Jairo, com o fim de destacar o rompimento das barreiras religiosas impostas pela Tradição dos judeus.

 
PERSONAGENS PERFIL ATORES
Jesus: Protagonista. A personagem é o fio condutor dos quatro milagres nesta peça.
Pedro, Tiago e João Pescadores: Amigos e irmãos de laço familiar. Foram os primeiros discípulos escolhidos por Jesus.
Jairo: Sacerdote local.
* Ada: Esposa de Jairo.
* Zilá: Filha.
* Matias: Servo.
Gadareno: O endemoninhado de Gadara.
Cuidadores de Porcos I e II: Donos dos porcos que caíram no abismo possessos de espíritos malignos..
* Centurião: Capitão Romano que faz petição a Jesus pra curar o servo.
* Anciãos I e II: Senhores piedosos que rogam a Jesus em favor do centurião.
OBSERVAÇÃO:
“ * ” 1. Os asteriscos foram colocados em alguns personagens, para indicar que os nomes são fictícios, identificando os personagens Ada, Zilá e Matias.
2. As passagens Bíblicas em Mt.7.5 – 13 e Lc. 7.1 – 10, “A CURA DO SERVO DE UM CENTURIÃO”. Este evento foi em Carfanaum, antes de Jesus ir a Gadara. Foi inserida para ganhar tempo na chagada de Jairo. Esta cena fica sugestiva. Foi escolhida por mim, pelo fato de ser uma das mais belas e comoventes passagens Bíblicas.

 

NARRADOR
Enom era uma pequena aldeia pertencente à cidade da Galiléia. Lá morava um homem querido pelo povo, Jairo. Ele era o líder local daquele lugar. Sacerdote observador da Lei Mosaica, Jairo aguardava dias melhores para seu povo e a esperança do Messias prometido.
Jairo, além de ser o principal sacerdote, também era pai de um adolescente de doze anos, que era educado sob o temor do SENHOR e ouvia atentamente à instrução das Escrituras Sagradas. Neste tempo, Jesus Cristo estava ativo em seu Ministério Terreno. A jovem Zilá já ouvira falar muito dele, de suas pregações, curas e milagres que fazia no meio do povo e pelo grande amor que ele tinha pelas crianças.
CENA 1
Jairo está se preparando para ir a Sinagoga quando Zilá o observa, com muito orgulho e admiração, o seu pai.
Zilá – Pai, o senhor tem um carinho muito grande pelas coisas sagradas! Dia após dia, observo o zelo como se veste, como toca nas coisas do SENHOR... Tem um tempo para sai com a amada filha?
Jairo – Tenho que está na sinagoga antes dos rabinos para repassar o estudo diário. Mas posso dispor este tempo para você.
Zilá – Qual o tema de hoje?
Jairo – (pega o Rolo, beija e em seguida abre o Pólo de Deuteronômio 18-15-19 e lê) Como está escrito, Moisés foi bem claro na anunciação de um profeta semelhante a ele. Líder, condutor, sábio, justo e salvador.
Zilá – E o que acontecerá depois?
Jairo – Como diz nos rolos de Isaías (Is. 54.1-17), será glorioso o futuro de Sião.
Zilá – Pai, o senhor já ouviu falar de Jesus?
Jairo – Como não poderia ouvir? Este homem é assunto em toda Jerusalém. Ele vem pregando a vinda do Reino de Deus, vem curando pessoas, já arrebanhou vários seguidores... Há cerca de um mês, estando eu na Assembléia Geral em Jerusalém, encontrei-me com Nicodemos, que em segredo me falou que ele é um homem dotado de grande sabedoria divina.
Zilá – No seu ponto de vista, o que pensa sobre ele?
Jairo – Zilá, na lei de Moisés temos que professar a Deus somente, e como culto único.
Zilá – E se ele for o homem prometido nas Escrituras?
Jairo – Boa pergunta, filha. Mas não acredito que seja ele. Estamos aguardando a vinda de um grande rei, forte e libertador. O rolo de Isaías nos promete isto... Não se decepcione, Zilá. Agora te pergunto: se ele for apenas mais um desses profetas que vivem iludindo e arrancando dinheiro do povo desesperançado?
Zilá – Ouvi dizer que amanhã ele virá para nossa aldeia e depois tomará rumo a Nazaré. Posso ir vê-lo para matar minha curiosidade, papai? Irei com a mamãe até o Lago da Galiléia. Vai estar assim de gente.
Jairo – Tudo bem, pode ir com sua mãe. Mas não vão me comprometer! (dá-lhe um abraço de despedida e percebe algo estranho em Zilá). Filha, o que você tem? Está febril?! *Ada, venha aqui!
*Ada – O que foi, Jairo?
Jairo – Zilá está febril!
*Ada – Hoje pela manhã ela havia se queixado de uma pequena dor de cabeça. Vou preparar um chá para amenizar a febre.
Jairo: - Zilá, se você não melhorar, não poderá ir ao lago. Se até o final da tarde estiver melhor, vá até a Sinagoga com os rabinos e deixe as ofertas de agradecimento no gazofilácio. Estou partindo, minha esposa (beija a testa da esposa e em seguida, a filha). Você ficará boa. Qualquer coisa, mande *Matatias me avisar. (despede-se com saudação Rabínica) SHALOM ADONAY!
*Ada: - SHALOM ADONAY!
Jairo sai de cena, acompanhado de sua esposa e filha.
CENA 2
NARRADOR –Do outro lado do lago na cidade de Gadara, Jesus ensinava aos seus discípulos Pedro, João e Tiago as maravilhas do Reino de Deus. Próximo dali havia um cemitério, lá se escondia um homem, que gritava dia e noite. Nada, ninguém podia prendê-lo. Nem mesmo prender com as correntes era o suficiente forte para dominá-lo.
Jesus está ao centro. Pedro, à sua direita. Do outro lado, os irmãos Tiago e João.
Jesus: - Se alguém quiser me seguir, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Quem quiser salvar sua vida, perderá, mas aquele que perder sua vida por minha causa, a encontrará. E se alguém se envergonhar das minhas palavras, cada um receberá a recompensa diante dos seus próprios atos no dia da glória do Pai e dos seus santos anjos. Mas para que isso aconteça, é necessário que o filho do homem seja traído e morto pelos pecadores e no terceiro dia ressuscitará.
Pedro – Senhor, isto jamais te acontecerá e eu jamais te abandonarei.
Jesus – Pedro, isso tem que acontecer.
Pedro – Não, Senhor. Se for preciso, darei minha vida por ti.
Jesus: - Pedro, é da vontade do Pai, até que se cumpra a escritura.
Pedro: - Não, mestre, isso jamais... (Pedro é interrompido)
Jesus: - Para trás, Satanás! Tu és pedra de tropeço pra mim. Não tem em mente as coisas de Deus e sim dos homens.
João (mudando o assunto) – Como precisamos fazer as obras de Deus?
Jesus: - A obra de Deus é crer naquele que Deus enviou... (Jesus é interrompido por um estrondoso grito, entrando em cena o endemoninhado. Este corre em direção a Tiago, derrubando-o com um soco. João corre pra defender o irmão. Pedro coloca-se ao centro dos três. O endemoninhado toma uma pedra, seguindo em direção a Jesus que ordena com o dedo indicador, fazendo com que o endemoninhado caia de joelhos).
Gadareno – O que temos nós contigo? Veio nos atormentar antes do tempo? Ainda não chegou a nossa hora. Rogo-te por Deus que não nos atormente. Sabemos quem tu és. O Santo de Deus.
Jesus – Qual é o teu nome?
Gadareno (tom grave) – LEGIÃO! Porque somos muitos (muda o tom para voz de coitadinho). Por favor, eu lhe suplico, filho do Deus Altíssimo. Não nos mande para o abismo, nem expulse desta região. Permita-nos entrar naquela manada de porcos.
Jesus: - Agora te cala e sai deste homem, espírito imundo!
NARRADOR – Então, os espíritos imundos saíram e entraram nos porcos, que se atiraram do precipício abaixo em direção do mar e se afogaram. Os cuidadores de porcos foram ver o que aconteceu e viu o homem em perfeito juízo.
Cuidador 1 – O que aconteceu aqui? Vi meus porcos caindo no abismo.
Cuidador 2 – Ei, eu conheço este homem! Era o endemoninhado que vivia nas sepulturas.
Tiago – Isto falou com plena certeza. Era o endemoninhado, mas Cristo o expulsou a legião de demônios que foi para os porcos que caíram no mar.
Cuidador 1 – Quanto prejuízo! Peço, por Deus, que se retirem daqui.
Gadareno (corre em direção a Jesus que se retira) – Mestre, mestre! Deixe-me ir contigo?
Jesus – Não, portanto volta para tua cosa, para tua esposa e teus filhos que te ama. Vai volta para tua casa e testemunha a tua família e teus amigos o que Deus fez por ti.
Gadareno – Sim, mestre, retornarei à minha família e contarei a toda Decápolis como Deus teve misericórdia de mim (alegre).
CENA 3
NARRADOR – Na manhã seguinte, Jairo aguarda ansioso por alguma notícia sobre a saúde da sua filha.
Matias – Meu Senhor! Meu Senhor!
Jairo – O que foi Matias? Notícias de minha filha?
Matias – E não são boas, meu senhor. Ela piorou! Os rabinos que estiveram lá nos deram poucas esperanças; Talvez... ela não sobreviverá!
Jairo – E agora, JEOVÁ JIRÉ? O que fazer? É a minha única filha. Ada não pode conceber outro filho.
Matias – Meu Senhor, sempre fui seu servo fiel em tudo que me pediu. Aprendi não só a respeita-lo, mas honro-me em cumprir todas suas ordens. O senhor é um espelho para mim. Sinto-me como parte da família. Vejo como se Zilá fosse também minha filha. Senhor, ouça-me pelo menos uma vez! Não como servo. Já não há outro recurso. A não ser...
Jairo – A não ser o quê, Matias?
Matias – Porque o Senhor não recorre a Jesus, para que ele cure sua filha?
Jairo – Enlouqueceu, Matias?
Matias – Senhor, esqueça nossa tradição pelo menos por este momento! Quantas e quantas vezes quebramos nossos rituais por coisas fúteis e até para o nosso benefício?!
Jairo – É uma escolha muito difícil... Se Jesus...
Matias – Lembre-se de que é a vida de sua filha que está em jogo.
Jairo – (pensativo, mas decidido) Você está certo, Matias! Chame um rabino para me substituir! Irei ao encontro de Jesus. Fique em casa! Ajude a minha esposa no que ela precisar.
Matias – Sim, meu Senhor! Tomaste uma sábia decisão. O farei imediatamente.
CENA 4
NARRADOR – Jairo estava com o seu coração cheio de esperanças e foi ao encontro do Mestre. No Lago de Enom, Jesus é aguardado por pessoas e abordado por um judeu.
Ancião 1 – Senhor, ouve-me! Há um criado de um centurião que está sofrendo horrivelmente. Ele está em uma cama, paralítico, quase à beira da morte. O centurião ouviu falar dos teus feitos e pediu a nós que tu fosses curar o seu servo, pois ele é muito estimado. Senhor, este centurião é digno que ele lhe faça isto, porque é amigo do nosso povo. Ele mesmo nos edificou a sinagoga.
Jesus – Eu irei pessoalmente à sua casa.
Centurião – (se aproxima de Jesus) Senhor, não te incomodes. Não sou digno de que entres na minha casa. Mas apenas manda uma palavra, e o meu servo será curado. Pois também eu sou um homem sujeito à autoridade de Roma, tenho soldado às minhas ordens, se digo vai e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele faz.
Jesus – (admirado, volta-se para o povo) Em verdade afirmo que nem mesmo em Israel achei fé como esta. Muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugares à mesa com Abrão, Isaque e Jacó no Reino de Deus (toca o ombro do Centurião). Vai. Seja feito conforme a tua fé.
Ancião 2 – Centurião! Centurião!! A doença dissipou! O teu servo foi curado (levando-o pelo braço, o Centurião alegre agradece com sorriso, tentando voltar para agradecer) * (Mt 7.5 – 13 / Lc 7.1 – 10).
Jairo – (chega desesperado) Senhor, sou um pai desesperado! Minha única filha está morrendo! Vem comigo, impõe a tua mão sobre ela, para que se seja curada e viva.
Jesus é tocado.

Jesus – QUEM ME TOCOU?
Pedro – Mestre, vês!! Há uma grande multidão... Ainda pergunta quem lhe tocou?
Jesus – Sim, porque de mim saiu grande poder.
Mulher – (se manifesta com temor) Fui, fui eu Senhor! Há doze anos sofria de um sangramento, recorri a vários médicos, místicos, gastei tudo que tinha...Em vez de melhorar, ficava pior. Ouvi falar do Senhor e dos seus milagres. Então pensei que se o tocasse, somente no seu manto, eu ficaria curada da hemorragia. Quando o toquei, cessou de vez.
Jesus: - Filha, vai-te em paz! A tua fé te curou! Ficaste livre do teu sofrimento (despede-se com um beijo na testa).
* Matias – (chega com a triste notícia) Não precisa mais incomodar o mestre. Está tudo acabado. Sua filha morreu. (Jairo com expressão de não querer acreditar). Você me ouviu Senhor? Zilá está morta. Morta!! (Jairo chora).
Jesus – Calma, não temas, creia somente. Pedro, Tiago e João! Venham comigo! Homem, nós iremos à tua casa.

NARRADOR – Jesus foi com Jairo para casa, levando consigo os três discípulos.
CENA 5
Jairo – Ada, trouxe Jesus.
* Ada – (chorando) Agora é tarde.
Jesus: - Calma, ela apenas dorme. Onde está a menina?
* Ada – No quarto.
Jesus – Deixe-me a sós com ela. E vocês, venham comigo! (Jesus a coloca em seu colo, com a cabeça dela apoiada em seu braço esquerdo. Com a outra mão, segura a mão da menina, em oração, olhando para cima. Em seguida, fala com autoridade, em aramaico). Talita cumi, menina, eu ordeno levante-se!
Zilá – (Acorda e fica surpresa ao ver Jesus) Papai me fez uma grande surpresa! Eu queria ver Jesus, e o trouxe até a mim! Por que está chorando, mamãe?
* Ada – De felicidade, minha filha!
Jairo – Obrigado, Mestre. Bem sei que tu és realmente o filho de Deus.
Jesus – Agradeça ao Pai. Ele teve misericórdia desta criança e pelo teu amor por ela. Alimente-a! Ela passou muito tempo sem comer. E não contem a ninguém, até que se cumpram as Escrituras.
NARRADOR – Não se tem mais registro sobre Jairo e sua filha, sobre o Centurião e o sobre o homem de Gadara, mas a Bíblia narra a historia de um pai por amor à sua filha que quebrou todas as barreiras da tradição. E o homem de Gadara foi considerado o primeiro missionário na terra dos gentios.
Quanto à mulher que sofria de hemorragia, ela desapareceu na multidão, mas não há historia, porque alguém viu, ouviu e escreveu para que soubéssemos que podemos receber e estender a mão da fé e tocar em Jesus em qualquer momento de necessidade.

 

Diversos: