O CÉU É UM BOM LUGAR PARA SE VISITAR, MAS...

Versão para impressão
Céu

A história de um homem que adormece no sofá e sonha que está no céu.

No sonho ele aprende que mesmo o céu, com todas as suas maravilhas e prazeres, não pode trazer felicidade para um homem sem Cristo.

Um início humorístico que termina com pensamentos profundos.

Tente!

PERSONAGENS 08:
PASTOR, BEN, ESPOSA, PESSOA 1, PESSOA 2, PESSOA 3, JESUS, HOMEM VELHO (SATÃ)
TEMPO: mais ou menos 40 min.
OBS: O personagem Ben é uma pessoa que aparece na igreja uma vez por ano.
Cena 1
O Homem Velho acompanha Ben durante toda a peça, sempre atrás dele.
 
PASTOR:  (Lê Apocalipse 21:10 e faz uma oração curta)
BEN:  (Encontrando o Pastor na porta) Belo sermão, Pastor. Muito bom.
PASTOR:  Obrigado Ben. Eu só gostaria que você o atendesse mais freqüentemente.
BEN:  Eu vou pensar seriamente em vir para a Páscoa, OK?
PASTOR:  Sinceramente, eu estava pensando na próxima semana.
BEN:  Sem chance. Não sou tão carola assim!
PASTOR:  Você deveria considerar seriamente. O Céu é um ótimo lugar, sabe?
BEN:  Eu sei Pastor! Eu vou para lá!
PASTOR:  E por que você pensa assim?
BEN:  Deus é amor. Até porque Ele não vai me deixar do lado de fora do Céu se eu quiser entrar. Isso não seria amoroso.
PASTOR:  Você está certo. O problema é que você não vai querer estar lá a não ser que conheça a Deus.
BEN:  Qualé Pastor. Eu vou querer ir para o Céu conhecendo a Deus ou não.
PASTOR:  Isso seria insensato, pense bem: tentando viver no Céu de Deus sem conhecer a Deus pessoalmente.
BEN:  Nem tanto! O Céu é um lugar muito grante! Eu só vou evitar Deus e entrar em seus prazeres.
PASTOR:  Os prazeres do Céu não serão nada se não conhecer a Deus. É por isso que Ele na sua justiça exclui aqueles que nunca aprenderam a conhecê-Lo e amá-Lo.
BEN:  Me deixa entender isso. Você diz que Deus é justo quando chuta alguém para fora do Céu e o queima no inferno?
PASTOR:  Os prazeres do céu serão uma tortura suprema para aqueles que não pertencem àquele lugar.
BEN:  Não me vem com essa, Pastor. Prazer é prazer, não importa onde estejamos.
PASTOR:  Você está errado. Os prazeres que desfrutamos aqui são meramente infantis – só tem gente que disfarça mais.
BEN:  Como assim?
PASTOR:  Como o que apreciamos com nossos sentidos: comer, ver, sentir, e outros.
BEN:  E eu acho que no céu nós não vamos ver nem sentir nada, é isso? Apenas sentaremos em nuvens brancas sanitarizadas e tocaremos harpas esterilizadas?
PASTOR:  Ao contrário. Tem tanto para se ver e sentir e experimentar que não existe comparação.
BEN:  É disso que estou falando. O Céu é igual aqui, só que melhor.
PASTOR:  Está certo.
BEN:  Eu sei que estou certo! Então por que estamos discutindo?
PASTOR:  Exatamente isso. Na Terra esses são nossos maiores prazeres. No Céu eles serão milhares de vezes melhores do que aqui, no entanto serão os menores de todos no Céu.
BEN:  Os menores!
PASTOR:  Isso!
BEN:  Ah, qualé, Pastor! Você acha que eu sou bobo ou o quê?
PASTOR:  Agora que você mencionou...
BEN:  (Erguendo o punho e ameaçando) Olha aqui, espertinho! Só porque você teve um pouco mais de educação...
PASTOR:  Desculpe. É brincadeira. Não era para você ficar assim.
BEN:  E você não deveria brincar assim.
PASTOR:  Como eu estava dizendo, os prazeres do corpo que apreciamos aqui serão os menores de todos que o Céu tem a oferecer.
BEN:  Prossiga.
PASTOR:  Nossos maiores prazeres serão os da mente e do espírito. Vamos estudar e aprender sem fazer esforço. Uma vida não será medida em dias ou anos. E haverá uma infinidade à frente. Nós seremos muito mais criativos.
BEN:  Como o quê?
PASTOR:  O próprio Jesus será o nosso professor e vamos criar obras de arte, e música, e esculturas que nunca seriam imaginadas por nenhum desses grandes artistas.
BEN:  Conhecimento... Arte... Música... OK! Parece uma escola! Eu pensei que você ia me falar dos prazeres.
PASTOR:  Esses são os prazeres.
BEN:  Quase me enganou.
PASTOR:  Se você não pode entender a alegria dessas coisas, como você pode querer pensar em um prazer maior?
BEN:  Como o quê?
PASTOR:  Como a alegria da verdade absoluta, da perfeita amizade, do amor perfeito por alguém. Mas o maior de todos é encontrar a Deus pessoalmente.
BEN:  Ah cara! É justamente Ele que eu estou evitando esse tempo todo!
PASTOR:  Viu só? Você não pode desfrutar do Céu então.
BEN:  Eu vou desfrutar do Céu muito mais do que o fogo do inferno.
PASTOR:  Eu duvido. As chamas do inferno estarão lá enquanto houver combustível.
BEN:  Que combustível?
PASTOR:  Pecadores.
BEN:  Ah! Tanques cheios!
PASTOR:  Por outro lado, o Céu é eterno. Um pecador que acidentalmente entrar no Céu se sentirá deslocado para sempre. Como Deus não gosta de ver ninguém infeliz, ele não vai forçar que um pecador fique no Céu.
BEN:  Que doce Ele...
PASTOR:  Eu já vi que você ainda não entendeu.
BEN:  Nem uma única palavra... Eu sou um homem de prazeres. Sou feliz só em comer a comida do céu e nadar no rio que tem lá.
PASTOR:  É melhor começar a freqüentar mais a igreja Ben. Esse é um dos caminhos para conhecer a Deus.
BEN:  Te vejo no ano que vem Pastor... ou talvez na Páscoa se eu sentir vontade.
 
 
 
Cena 2
ESPOSA:  (Está cozinhando quando Ben entra, vindo da igreja) Onde você esteve?
BEN:  Na igreja.
ESPOSA:  Mas você foi à igreja no Natal passado!
BEN:  Ã hã...
ESPOSA:  Desse jeito você vai virar membro, não?
BEN:  Ã hã...
ESPOSA:  Tá legal... coloque a cerveja no isopor enquanto eu termino o jantar, OK?
BEN:  OK.
ESPOSA:  O que você aprendeu na igreja?
BEN:  Ah, nada... Eu só estava discutindo com o pastor de como é o Céu.
ESPOSA:  Quem ganhou?
BEN:  Como se pode ganhar? Ninguém foi até lá prá ver!
ESPOSA:  É...
BEN:  Mas de uma coisa eu tenho certeza: aquele Pastor sabe quando curvar a cabeça quando se fala de Céu.
ESPOSA:  Bem, vai tirar um cochilo enquanto termino a janta. E vê se não fuma agora! Não quero mais buracos no meu sofá!
BEN:  E quem tá fumando? (senta-se no sofá, tira o maço de cigarros e coloca de lado) Dá prá imaginar? Aquele cara falando que eu não vou gostar de estar no Céu? Há!
 
 
Cena 3
JESUS:  (Apenas a voz) Acorde Ben.
BEN:  Quê?
JESUS:  Acorde Ben.
BEN:  Quê...? O quê? Ei, aonde eu estou afinal? Cara! Que lugar! Eu devo estar sonhando! (se belisca) Ai! Acho que não. Uau! Eu nunca vi um lugar assim. Nunca!!! Cara, parece uma floresta, uma cidade e um parque, tudo em um lugar só! Olha só essa árvore! Deve ter uns 300 metros! Eu não acredito! Aquela é ainda maior! E aquela outra é... Mas que lugar é essa afinal? Eu já ouvi falar de Grandes Árvores, mas isso é de outro mundo! Uma casa! (Bete palmas) Casa o caramba! É uma mansão! Olha só isso! Isso é um palácio! E que palácio! O dono dessa casa deve ser um bilionário! Ouro, prata e diamantes por todo o lugar! Ei amigo! Você aí no jardim! É você! Você trabalha aqui?
PESSOA 1:  Glória à Deus!
BEN:  Não, não. Eu perguntei se você trabalha aqui?
PESSOA 1:  Sim, graças à Jesus! Glórias ao nome de Jesus!
BEN:  Você parece bem sadio!
PESSOA 1:  Todo mundo aqui é assim... Até mesmo você.
BEN:  (Surpreso com sua nova condição física) Uau! Olha só! Olha só prá isso! (Flexiona os músculos do braço) Rapaz! Arnaldo Suasnega que mexa comigo agora! (Soca o ar) Vem, vem! Dou-lhe uma de direita, e outra de esquerda, e duas e três...
PESSOA 1:  (Confusa com seus gestos) Perdão?
BEN:  Oh... He, he, he... Nada... Mas, onde estamos mesmo?
PESSOA 1:  No Céu.
BEN:  Ha, ha, ha... Com certeza amigo! Diga, onde estamos? O dono dessa casa deve ser muito rico.
PESSOA 1:  Não. Sou só eu.
BEN:  Você vive aqui? Cara, que muito loco! Não deve ter outro lugar como esse no mundo todo!
PESSOA 1:  Com certeza! Mas isso não é nada comparada com a casa na cidade que Jesus fez para mim.
BEN:  Jesus? Ah, sim, claro. Quem é o arquiteto dessa maravilha?
PESSOA 1:  Sou eu. Mas minha casa na cidade é muito melhor.
BEN:  Deve ter custado uns milhões não?
PESSOA 1:  (Já esqueceu o que é dinheiro) Alguns milhões de quê?
BEN:  Sei lá... De Reais!
PESSOA 1:  Reais?
BEN:  (Começando a se questionar sobre o QI da pessoa): Muito dinheiro.
PESSOA 1:  Ah, dinheiro! Não... Foi de graça. Assim como tudo por aqui.
BEN:  De graça! Qualé cara! Tá pensando que eu nasci ontem? Nada é de graça!
PESSOA 1:  Tudo aqui é de graça.
BEN:  E onde estamos afinal?
PESSOA 1:  Já lhe disse: No Céu.
BEN:  Sem chance!
PESSOA 1:  Não parece o Céu?
BEN:  Bom, parece melhor do que eu pensei mas...
PESSOA 1:  Mas o quê?
BEN:  Não pode ser o Céu.
PESSOA 1:  Por que não?
BEN:  Primeiro: eu ainda não morri...
PESSOA 1:  (Risos)
BEN:  (Chateado) E segundo: eu não pertenço a este lugar.
PESSOA 1:  Você é um convidado então. Divirta-se!
BEN:  Está falando sério?
PESSOA 1:  Claro!
BEN:  Isso é o Céu?
PESSOA 1:  Sim!
BEN:  E eu sou um convidado aqui?
PESSOA 1:  (Quase gritando) Graças ao amor de Jesus!
BEN:  Mas, por que você grita esse nome o tempo todo?
PESSOA 1:  (Abaixando a voz) Desculpe... É que quanto mais eu conheço a Jesus (Aumentando a voz) mais eu O amo, e quanto mais eu penso nele, eu fico tão feliz que canto em glória! GLÓRIAS AO NOME...
BEN:  Shhh... (Ben e o Velho Homem cobrem seus ouvidos)
PESSOA 1:  ... de Jesus!
BEN:  Já vi doidos por Jesus iguais a você antes, mas não tanto assim. Você deve ser um recém-convertido não?
PESSOA 1:  (Quase indignado) Desculpe-me, senhor, mas eu O conheço já há várias centenas de anos.
BEN:  Várias centenas!
PESSOA 1:  Sim.
BEN:  Parece que está cansado dele, não?
PESSOA 1:  Cansado? Com certeza não! Toda vez que eu falo com Ele, eu conheço um novo aspecto dele que nunca tinha visto antes. Seu talento e personalidade são infinitos.
BEN:  Parece legal... (olha em volta) Rápido, se esconda!
PESSOA 1:  Do quê?
BEN:  Você é surdo-mudo? Tem um tigre aqui!
PESSOA 1:  É claro!
BEN:  Esconda-se, estou avisando!
PESSOA 1:  Por quê?
BEN:  Cala a boca e se esconde!
PESSOA 1:  Aqui, gatinho, gatinho, gatinho...
BEN:  Perdeu a cabeça? Esconda-se antes...
PESSOA 1:  Não tenha medo. Aqui no céu os animais são nossos amigos.
BEN:  Não os tigres. Nem no Céu!
PESSOA 1:  (Acariciando o tigre) Boa menina... (Efeito sonoro de um tigre – ou gato)
BEN:  Não acredito.
PESSOA 1:  Gostaria de ver os grandões?
BEN:  Eu... é... bem... eu passo, obrigado. Eu nunca vi nada assim.
PESSOA 1:  Tem muita coisa por aqui que você nunca viu.
BEN:  Quer dizer que eu estou NO Céu? De verdade?
PESSOA 1:  Para uma visita.
BEN:  Eu vou...
PESSOA 1:  ...ser feliz aqui.
BEN:  Então... eu estou no céu?
PESSOA 1:  Com certeza!
BEN:  E este é o seu palácio?
PESSOA 1:  Isso.
BEN:  Então você é rico o bastante para ter um lugar desse, por que você está fazendo todo o trabalho?
PESSOA 1:  Que trabalho?
BEN:  Você sabe... ervas daninhas...
PESSOA 1:  Que ervas danhinhas?
BEN:  (Olhando em volta e não vendo nenhuma) É... bem... molhar todas essas plantas.
PESSOA 1:  Não precisamos de água aqui. Uma névoa molha a terra.
BEN:  Regadores automáticos. Legal! Você cuida mesmo desse lugar hein? Mas eu ainda não acredito nessas árvores. Uau!
PESSOA 1:  E você ainda não viu as grandes.
BEN:  Você deve odiar as folhas durante o outono.
PESSOA 1:  Durante o quê?
BEN:  O outono. (Pessoa 1 fica confuso tentando lembrar a palavra que não é usada há centenas de anos). Você sabe, quando as folhas caem... (Ainda confuso) Quando começa a esfriar... (mais confuso) Sabe... A estação antes do inverno.
PESSOA 1:  (Vagamente se lembrando do inverno): Inverno...?
BEN:  Você sabe o que é inverno, não sabe?
PESSOA 1:  Eu... eu acho que... mas...
BEN:  O oposto do verão.
PESSOA 1:  Verão?
BEN:  É sabe, depois da... Ah, esquece. Mas cadê seus carros?
PESSOA 1:  Carros?
BEN:  É. Você deve ter uns 3 ou 4 Rolls alí atrás, não?
PESSOA 1:  Rolls?
BEN:  É... vamos lá cara... Prá passear por aí.
PESSOA 1:  (Finalmente lembrando) Ah, você quer dizer um carro como aqueles que as pessoas usam na Terra!
BEN:  Isso! Eu estava começando a ficar preocupado com você cara.
PESSOA 1:  Nós não temos carros aqui.
BEN:  Sem carros! Por que não?
PESSOA 1:  E prá quê carros?
BEN:  Ué, para viajar de um lugar (Pessoa 1 começa a gargalhar) ...ao outro. O que é tão engraçado?
PESSOA 1:  Porque, em comparação, um carro aqui seria como uma pessoa andar de triciclo em uma auto-estrada. (Ben fica confuso) Você parece confuso. Veja bem, quem escolhe viver aqui é normalmente duas vezes mais alto do que era. Nós podemos correr mais rápido do que os carros e viajamos para todos os lados.
BEN:  Parece legal, mas você deve ficar cansado.
PESSOA 1:  No Céu?
BEN:  Você não fica cansado?
PESSOA 1:  Aqui é o Céu!
BEN:  Você simplesmente corre para onde quiser ir?
PESSOA 1:  A não ser que seja muito longe. Aí nós voamos.
BEN:  (Estalando os dedos) AGORA você está fazendo sentido! Então ao invés de carros você deve ter um jatinho ali atrás.
PESSOA 1:  (Rindo) Não, não... Nós não usamos essas máquinas antiquadas aqui. Nós simplesmente voamos.
BEN:  (Procurando por asas) Não me venha com esse papo de anjo. Você não tem asas.
PESSOA 1:  Nós voamos com o poder de Deus. Não precisamos de asas. Quer tentar?
BEN:  Eu não sei como.
PESSOA 1:  É como todos os presentes de Deus. Você escolhe fazer e Ele lhe dá o poder. Eu vou te mostrar. Olha para cima daquela árvore e decida voar acima dela... Assim. (Voa por sobre a árvore, Ben fica olhando) AGORA É SUA VEZ.
BEN:  (Ele fica desconfiado, mas decide ir. Pula algumas vezes sem sair muito do chão)
PESSOA 1:  Não, não. Apenas escolha fazer isso e Deus vai fazê-lo voar.
BEN:  (Pensa um pouco e então voa por sobre a árvore) Funciona!!
PESSOA 1:  Como todas as promessas de Deus.
BEN:  Vamos nessa! Vamos voar por aí!
PESSOA 1:  Com certeza! (Os dois saem voando) Ali você vê algumas das várias cabeças de gado e os outros animais do Céu,
BEN:  Tem vários leões... e lobos junto com eles. Vai ser um massacre!
PESSOA 1:  Isso é o Céu! Todos aqui vivem em paz. Não existe a morte!
BEN:  Fantástico! Ei, tem algum rio por aqui?
PESSOA 1:  Sim, aquele ali. É o Rio da Vida.
BEN:  É enorme! De onde ele vem?
PESSOA 1:  Direto do trono de Deus.
BEN:  Cara! Dá prá ver até o fundo!
PESSOA 1:  É claro!
BEN:  E olha só aquelas árvores nos dois lados do rio. Elas são de ouro puro... não, de prata... Sei lá, mas as frutas nelas são lindas!
PESSOA 1:  Essa é a Árvore da Vida. As frutas que você vê nos dão o poder de viver eternamente.
BEN:  Posso pegar uma?
PESSOA 1:  Se você decidir ficar, sim.
BEN:  Sem chance! Eu quero sair desse ligar cara!
PESSOA 1:  Você é quem sabe!
BEN:  (Sem perceber o que disse) Olha só que gozado como essas duas árvores se encontram no meio do rio.
PESSOA 1:  A Árvore da Vida é uma árvore. Ela se encontra no meio, assim como Deus e o Homem se encontram no meio, na pessoa de Jesus.
BEN:  Poético...
PESSOA 1:  (Descendo ao chão) Aqui estamos: Nova Jerusalém!
BEN:  (De “boca aberta” com o esplendor da cidade) Eu não acredito! Eu não acredito! Eu não acredito...
PESSOA 1:  Você está bem?
BEN:  Eu não sei. Digo... É muita coisa para... A beleza, a riqueza... Todas essas pessoas... as mansões...
PESSOA 1:  Deus deu suas maiores riquezas e toda sua criatividade para criar essa cidade.
BEN:  Fantástico! Eu não consigo colocar tudo isso na minha cabeça...
PESSOA 1:  Tem muito mais para ver, mas eu tenho um compromisso. Mas vou chamar um amigo para te mostrar o lugar. Já volto (e some)
BEN:  Mas o... ei! Aonde... (Começa a procurar em volta)
PESSOA 1:  (Volta com um amigo) Oi! Voltamos!
BEN:  Onde você foi?
PESSOA 1:  Até o outro lado de Orion.
BEN:  Alguma avenida por aqui?
PESSOA 1:  Não, a constelação aqui perto.
BEN:  A constel... constelação, tipo estrelas? A Constelação?
PESSOA 1:  Sim.
BEN:  E você trouxe um amigo lá do outro lado dela?
PESSOA 1:  Isso. Bem, eu tenho que ir. Meu amigo aqui vai te mostrar o lugar. Tchau! (E some)
BEN:  (Está com a cabeça cheia) Eu... é...
PESSOA 2:  Alguma coisa errada?
BEN:  Eu estava pensando. Qual é a velocidade do vôo de vocês?
PESSOA 2:  Não sei. Eu não vôo.
BEN:  Não?!?
PESSOA 2:  Não, é muito lento... Prefiro viajar pelo pensamento.
BEN:  Pelo o quê?
PESSOA 2:  Pelo pensamento. Você sabe, você pensa para onde quer ir e PUF! Você está lá!
BEN:  Aí não, já é demais!
PESSOA 2:  É verdade! Quer tentar?
BEN:  Eu não posso.
PESSOA 2:  Pode sim. É como qualquer outro presente de Deus. Você decide paras onde quer ir e Deus dá o poder. Onde você gostaria de ir?
BEN:  Tá falando sério?
PESSOA 2:  Claro! Onde você quer ir?
BEN:  Uh... Júpiter.
PESSOA 2:  (Surpreso porque alguém gostaria de ir para um lugar tão desolado) Júpiter???
BEN:  É, por que não?
PESSOA 2:  E por que alguém ir querer ir para lá?
BEN:  Eu vi alguma coisa sobre ele na sexta série e gostaria de ver.
PESSOA 2:  Tudo bem. Pense em estar em Júpiter.
Ambos: (Dando uma volta e falando) Júúúpiiter!!
PESSOA 2:  Aqui estamos!
BEN:  Hei!! Funciona!
PESSOA 2:  Claro que funciona! Assim como todas as promessas de Deus.
BEN:  (Olhando em volta) Que porcaria! Vamos embora da qui!
PESSOA 2:  Para onde?
BEN:  Para a Lua!
PESSOA 2:  Qual delas?
BEN:  (Como se fosse uma pergunta idiota): E quantas existem?
PESSOA 2:  Bilhões de trilhões em cada galáxia.
BEN:  (Sentindo-se tolo) Oh. Uh... A Lua da Terra, então.
PESSOA 2:  Ótimo. Pronto?
BEN:  Pronto.
Ambos: (Girando de novo) Luuuuua!
BEN:  Uau! É igual às fotografias! (Olhando em volta) Só que pior.
PESSOA 2:  Podemos voltar agora?
BEN:  Por favor.
(Giram de novo. Pessoa 2 desaparece)
BEN:  Espera um pouco. Isso é a Terra? Eu perguntei... (Nota que Pessoa 2 sumiu e entra em pânico) Ei cara! Senhor! EEEEEIIIII!!!
PESSOA 2:  (Reaparece)Sim?
BEN:  (Aliviado) Cara, que bom te ver! Eu fiquei pensando, aqui é a Terra?
PESSOA 2:  Sim.
BEN:  É onde eu vivo.
PESSOA 2:  Não. É onde você costumava viver. Seu lugar agora é no Céu. Vamos.
 
 
Cena 4
PESSOA 3:  Bem, você já está no Céu há um bom tempo. O que achou?
BEN:  Francamente... chato.
PESSOA 3:  Chato? Impossível. O que você fez por aqui?
BEN:  Tudo o que se tem para fazer. Voar, viagens espaciais, comer, nadar no rio. Até ouvi algumas histórias de algumas pessoas. Cara, tem um pessoal aí que passou uns bocados para chegar aqui.
PESSOA 3:  E com certeza valeu a pena. Pergunte àqueles que sofreram mais, e eles dirão que o Céu ainda saiu barato. Bem barato.
BEN:  Eu não entendo como alguém pode lutar tanto para chegar a um lugar tão chato.
PESSOA 3:  E não entendo como alguém pode achar aqui chato.
BEN:  Olha, o lugar é bonito e tal, o pessoal é legal, mas eu fiz tudo o que se podia fazer e agora eu estou ficando chateado. Quero dizer, não dá para curtir voar e comer todas essas coisas por muito tempo, não é?
PESSOA 3:  Ah, mas estes são os menores prazeres do Céu.
BEN:  Agora você está falando igual ao meu Pastor.
PESSOA 3:  Ele é um homem sábio. Ah, você já viu Jesus?
BEN:  Não.
PESSOA 3:  Ah, não me admira que está chateado! Ele é o prazer principal de todos os que vêem aqui. Vamos vê-lo?
BEN:  Não. Tudo bem. Eu já ouvi sobre Ele...
PESSOA 3:  Ouvir sobre Ele e conhecê-Lo em pessoa são coisas totalmente diferentes. Vamos, você tem que conhecê-Lo!
BEN:  Não. Esqueça. Eu estou chateado.
PESSOA 3:  Sem Jesus como seu amigo, a vida é chata não importa o que você faça.
BEN:  Tá. Eu conheço vários prazeres e não preciso de ninguém.
PESSOA 3:  Como o quê?
BEN:  Como um belo pedaço de bife.
PESSOA 3:  A comida do Céu não é boa o bastante?
BEN:  É, é legal, mas não me dá aquela sensação de satisfeito como um bom bife. Bem que eu queria uma bebida agora.
PESSOA 3:  Bebida?
BEN:  Cerveja.
PESSOA 3:  Essas coisas nublam a mente e tornam difícil pensar.
BEN:  É por isso que eu quero. Minha mente está muito clara e eu tenho muito tempo para pensar. Eu me vejo comparado a vocês e... Eu simplesmente não me encaixo aqui. Me dê uma cerveja, OK?
PESSOA 3:  Não. Não temos isso aqui
BEN:  Me deixem sair daqui!
PESSOA 3:  Para onde você quer ir?
BEN:  Mande-me de volta para a Terra!
PESSOA 3:  Aqui é a Terra, a Nova Terra.
BEN:  Claro que é! Eu quero ir embora!
PESSOA 3:  Você pode ir para onde quiser.
BEN:  Tá legal... Mas é tudo igual aqui. Todos sempre cantando, louvando a Jesus, sorrindo, ajudando aos outros. Ninguém nunca me ajudou!
PESSOA 3:  Nós te guiamos por todos os lugares onde quis ir. Nossas artes não o interessam e...
BEN:  Tá, tá, tá... Tudo o que vocês gostam de fazer. Eu não quero nada disso.
PESSOA 3:  As coisas que você quer vão destruir a você e a nós. Até porque você não pode fazê-las. Tem muita vida por aqui.
BEN:  Eu quero sair! Estou aqui por engano.
PESSOA 3:  Deus não comete enganos.
BEN:  Engraçado né? Cadê Ele? Vou lhe dizer umas verdades.
PESSOA 3:  Você sabe onde encontrá-lo.
BEN:  (Começa a andar, nota que Pessoa 3 não o acompanha) Então?
PESSOA 3:  Então o quê?
BEN:  Você não vem?
PESSOA 3:  (Esperançoso) Você quer que eu vá?
BEN:  (Lentamente e cuidando para machucar o máximo) Não! Na verdade não. Estou cheio de você. Estou cheio desse lugar fedido. Na verdade, se eu não fosse educado eu te enchia de porrada.
PESSOA 3:  Isso te faria feliz?
BEN:  Pode apostar!
PESSOA 3:  Então faça.
BEN:  Ah, qualé!
PESSOA 3:  Não, verdade. A dor logo vai passar e você vai se sentir melhor. Então poderemos ser amigos. Por favor, faça isso!
BEN:  Ah, você acha mesmo que eu vou cair nessa? Esqueça amigo. Eu vou falar com Deus. Ele vai me tirar dessa bagunça!
 
 
Cena 5
JESUS:  (Somente uma voz vinda de um alto-falante atrás do palco) Bom dia, meu filho.
BEN:  (voz bastante agressiva) Eu estou procurando por Deus.
JESUS:  Posso ajudar?
BEN:  Eu disse que estou procurando por Deus.
JESUS:  Eu sou Ele. Posso ajudar em alguma coisa?
BEN:  É claro que pode. Quero sair daqui.
JESUS:  Para onde você quer ir?
BEN:  Eu quero voltar para a terra que eu conhecia.
JESUS:  A terra que você conheceu já não mais existe.
BEN:  Você quer dizer que eu não tenho escolha à não ser ficar aqui?
JESUS:  Você pode escolher entre a vida aqui... E a segunda morte.
BEN:  O que é isto?
JESUS:  A segunda morte acontece quando você rejeita o meu amor e escolhe morrer em pecado no inferno.
BEN:  Eu pensei que o inferno havia sido extinguido.
JESUS:  E foi. Se você escolher a morte, teremos que criar um para você.
BEN:  Para sempre?
JESUS:  Eu não fico feliz quando pecadores escolhem o inferno. Portanto, eu faço tudo o que posso para diminuir a estada deles por aqui.
BEN:  Quanto tempo isto leva?
JESUS:  Para alguns, uns poucos momentos. Para outros, dias.
BEN:  Como você pode enviar alguém para uma morte no fogo e ainda se considerar um Deus de Amor?
JESUS:  Eu posso me considerar um Deus de Amor porque faço todo o possível para impedir os homens de irem para lá. O fogo está lá somente para destruir o pecado. Se os homens insistirem em se agarrar ao pecado quando ele está sendo destruído, eu devo honrar a escolha deles.
BEN:  O que resta depois do fogo?
JESUS:  Nada exceto a memória das amizades que poderiam ter acontecido.
BEN:  Por quanto tempo eu sofreria?
JESUS:  Não por muito tempo. Na verdade, a dor mental da percepção do que poderia ter sido, seria a pior parte.
BEN:  Você e seus companheiros iriam me atormentar?
JESUS:  Não. Acontece que sua própria mente se abrirá para enxergar claramente. Você entenderá por qual razão renunciou uma vida de eterna alegria e o pensamento sobre o que esta perda irá...
BEN:  Esqueça!
JESUS:  (cheio de esperança) Então você decidiu ficar?
BEN:  Eu não disse isto.
JESUS:  A escolha é sua. O que fará você mais feliz?
BEN:  Bem... Eu gostaria de ficar aqui, mas para isto acontecer algumas coisas aqui devem mudar.
JESUS:  A argila não deve dar ordens ao oleiro.
BEN:  O que significa isto?
JESUS:  Significa que tudo está perfeito aqui e nenhuma mudança é necessária exceto em Você mesmo.
BEN:  Que mudança?
JESUS:  Você necessita se libertar.
BEN:  Eu sou livre!
JESUS:  Não com ele nas suas costas.
BEN:  Não vejo nada.
JESUS:  Ele tem as mãos sobre os seus olhos. Se você escolher ficar aqui, ele deve morrer.
BEN:  (olhando outra vez) Eu digo que não há nada aqui.
JESUS:  Olhe para a Bíblia, Ben.
BEN:  (horrorizado com o que ele vê) Oh, não!
JESUS:  Ele é o seu mestre.
BEN:  Ele é tão... Tão... Tão feio.
JESUS:  Se você tivesse olhado para a minha palavra, você já o teria visto.
BEN:  De onde ele veio?
JESUS:  Você nasceu com ele.
BEN:  Então não é minha culpa
JESUS:  É claro que não. A não ser que você decida conservá-lo aí. Escolha a morte dele e você será verdadeiramente livre. Você provará a beleza e alegria como nunca antes imaginadas.
BEN:  Matá-lo, heim?
JESUS:  Sim.
BEN:  Certo. (começa a tomar posição para lutar com o velho homem, que assume uma atitude de extrema indiferença)
JESUS:  É melhor que você deixe-me fazer isto, Ben.
BEN:  (confiante) Eu posso lidar com isto, obrigado. Aqui vai o “Faixa Preta” (Ben ataca o velho homem, mas ele facilmente o bloqueia e com somente um braço empurra Ben para o chão, de onde tem dificuldade de levantar).
JESUS:  Você o matou?
BEN:  Não.
JESUS:  Por que não?
BEN:  Acredito que eu não seja suficientemente forte.
JESUS:  Ninguém nunca foi. Eu tenho que fazer isto por você. Você escolheu a morte dele e eu poso fazer isto.
VELHO HOMEM:  Tenha certeza das suas escolhas.
BEN:  Deixe-me pensar sobre as minhas escolhas novamente.
JESUS:  A sua escolha é a mesma que cada homem tem a fazer. Ou viva no Paraíso ou morra com ele no inferno.
VELHO HOMEM:  É melhor ser livre por um momento no inferno, do que passar a eternidade naquele lugar insípido!
JESUS:  Não o ouça.
BEN:  Eu não ouço nada.
JESUS:  Olhe para a Bíblia novamente e escute.
VELHO HOMEM:  Livre-se dele!
BEN:  Livre-se dele!
JESUS:  Do velho homem?
BEN:  Não, daquele espelho. Obrigado. Eu nunca vi algo tão horrível.
VELHO HOMEM:  Não fale desta maneira. Eu sou seu amigo.
JESUS:  Eu o matarei para você.
VELHO HOMEM:  A dor!
BEN:  Espere! Vai machucar?
JESUS:  Não tanto quanto o inferno.
VELHO HOMEM:  Primeiro pense.
BEN:  Deixe-me pensar sobre isto.
JESUS:  (pausa) E então?
BEN:  Não posso decidir.
JESUS:  Não decidir É decidir.
BEN:  Não é justo. Você tornou isto muito difícil.
JESUS:  Eu fiz tudo tão fácil quanto possível. Você simplesmente escolhe e eu farei o resto.
VELHO HOMEM:  (entrando em pânico à medida que a mão de Deus se aproxima dele) Você ficará preso e sozinho aqui para sempre.
BEN:  Pare! Eu não gosto daqui. Não tem nada para mim.
JESUS:  Não com ele nas suas costas. Deixe-me matá-lo...
VELHO HOMEM:  Pare-o! O inferno é melhor do que isto aqui!
BEN:  O que eu tenho que fazer para ir para o inferno?
JESUS:  Você terá que fazer o que todos os homens que foram para lá fizeram.
BEN:  O que foi que eles fizeram?
JESUS:  Eles me crucificaram.
BEN:  Não diga isto.
JESUS:  Esta é a escolha. Mate-me e morra no inferno, ou mate-o e viva no Paraíso.
BEN:  Paraíso versus inferno. Você está me forçando?
JESUS:  Eu tento. Eu queria que todos fossem comigo. Por favor, deixe-me matá-lo.
VELHO HOMEM:  Faça-o implorar.
BEN:  Você irá me implorar?
JESUS:  Eu imploro.
VELHO HOMEM:  Faça-o ajoelhar-se!
BEN:  Você ajoelhará?
JESUS:  (ajoelha-se) Eu imploro, Ben. Fique comigo.
VELHO HOMEM:  Deuses não imploram!
Ben Você está implorando. Que tipo de Deus é você que implora a um simples homem?
JESUS:  Eu sou o Deus que ama você. Eu farei qualquer coisa por sua felicidade.
VELHO HOMEM:  Revoltante.
BEN & VELHO HOMEM:  Esqueça!
BEN:  Você deveria ter vindo em fogo e trovão, e arrancado o velho homem das minhas costas. Isto eu teria respeitado. Não um Deus que implora.
JESUS:  Eu não poderia fazer isto.
BEN:  Porquê não?
JESUS:  A escolha é sua, não minha. Faça a escolha e eu arrancarei o velho homem das suas costas. Faça isto. Por favor.
VELHO HOMEM:  Vamos sair daqui.
BEN:  Eu estou saindo daqui.
JESUS:  Porque você sempre atende quando ele tenta você?
BEN:  Eu não recebo ordens de ninguém, veja! Eu sou meu próprio patrão.
JESUS:  Por favor, Ben. Deixe-me torná-lo livre.
BEN:  Afaste-se!
JESUS:  Eu o matarei para você.
VELHO HOMEM:  (desesperado) PARE-O!
BEN:  (Empurra Jesus para que ele caia no chão)
JESUS:  (Com muita tristeza na voz) Então... você... você escolhe a morte ao invés da vida?
VELHO HOMEM:  Como um homem!
BEN:  Com certeza. Eu prefiro morrer como um homem: livre e independente!
JESUS:  É sua escolha final?
BEN:  É!
JESUS:  Então pegue o martelo e os pregos.
BEN:  Prá quê?
JESUS:  Para me crucificar.
BEN:  Oh... eu...
JESUS:  (Sentindo a indecisão na voz de Ben, levanta-se e tenta de novo) Por favor, Ben, fique. Eu amo você. Vamos fazer grandes coisas juntos, você e eu. Coisas que ninguém mais no universo vão fazer além de nós. Não vá para longe de mim, por favor.
VELHO HOMEM:  Olha só para ele chorando! Que Deus!
BEN:  (Para o Velho Homem) Calaboca! (Para Jesus) Está falando sério? Eu tenho que matá-lo antes de morrer?
JESUS:  Só aqueles que me crucificaram têm uma segunda morte.
VELHO HOMEM:  Seja homem! Mate-o!
BEN:  Acho que não posso fazer isso? Bem... Eu posso! Ouviu? Me dê os pregos.
JESUS:  Tome (Ben os pega) Tenha cuidado com o martelo (Ben pega o martelo) Está meio desgastado, você pode se machucar.
BEN:  Tá bom... Deite-se na cruz. Estique o braço. (Prepara-se para martelar)
JESUS:  Pai, perdoa-o. Ele não sabe o que está fazendo...
Ben está parado, com o martelo erguido. O Velho Homem está tentando forçá-lo a martelar, mas Ben não consegue, então se entrega)
BEN:  Não posso!
VELHO HOMEM:  Você deve!
BEN:  Já disse: não posso!
VELHO HOMEM:  Eu ordeno! Faça!
BEN:  Não!
JESUS:  Posso?
BEN:  Claro! Pegue-o!!
VELHO HOMEM:  Não! Pare-o!!!
BEN:  Por favor, rápido!
VELHO HOMEM:  (Sente uma grande dor) Deixe-me ir!!! Isso é assassinato!! Deixe... (Ele parte. Apenas sua máscara continua no palco)
BEN:  Você matou ele.
JESUS:  Sim.
BEN:  Você matou ele!
JESUS:  Você me pediu.
BEN:  É, eu pedi.
JESUS:  Você está bem?
BEN:  Sim, estou ótimo. Obrigado. E você?
JESUS:  Nunca me senti melhor, obrigado.
BEN:  Sabe, até que esse lugar não é tão ruim assim.
JESUS:  Você vai amar isso aqui. Tem algumas coisas que quero fazer com você. Serei seu amigo, vou te mostrar tudo, faremos coisas que ninguém mais fará.
BEN:  Parece divertido, Senhor.
 
 
Cena 6
BEN:  (Dormindo no sofá) Parece ótimo, Senhor. Desculpe, demorou tanto para eu vir aqui. Acho que nunca percebi o quanto você me ama e eu...
ESPOSA:  (Chacoalhando Ben no sofá) Ben, acorde!
BEN:  Huh?
ESPOSA:  Eu disse acorde homem! Você está babando o sofá todo!
BEN:  Onde estou? Quem é você?
ESPOSA:  Quem sou eu? Ben acorda!!!
BEN:  (Olha para sua esposa e a reconhece) Ah, é você. Então aqui não é o Céu.
ESPOSA:  Céu! (Ben levanta-se para sair) Ei, aonde você vai?
BEN:  Dar uma volta, eu acho. Tenho que pensar em algumas coisas.
ESPOSA:  E quanto à janta?
BEN:  Guarde para mim. (Pega o maço de cigarros, amassa-o e joga fora)
ESPOSA:  Ei, esse maço estava novinho, você acabou de comprar!
BEN:  É. Mas eu vou parar de fumar.
ESPOSA:  Glória a Deus!
BEN:  Você o conhece?
ESPOSA:  Hein?
BEN:  Nada. Te vejo em algumas horas.
ESPOSA:  Bem, é melhor você vestir um casaco. Está um frio terrível lá fora.
BEN:  Claro querida. Obrigado... querida. (Quando está saindo, vê a máscara do Velho Homem jogada no chão, pega-a e sai)
ESPOSA:  (Surpresa com a mudança do marido) Sim querida??? Obrigado querida??? O que está acontecendo com você? Ben, pelo amor de Deus!!!
Diversos: