O DESPERTAR

Versão para impressão
Um berro para acordar

Ulisses é filho de lideres da igreja, lá dentro era um exemplo cantava, pregava... Mas fora da igreja tentava esconder este envolvimento com a igreja.

Um Anjo mostra para Ulisses as pessoas carentes da Graça de Deus que estavam muito perto dele.

Ulisses vê seu preconceito (com um negro, com uma prostituta... ), e este preconceito impede a salvação de sua amiga...

Ele desperta, arrependido promete empenho total na evangelização

NARRADOR – A paz do senhor a todos. É noite e estamos felizes por estarmos aqui. Temos irmãos de todos os gêneros, todas as cores, todas as classes sociais e isso reflete bem a realidade do Brasil. Vivemos num país multicultural, um país de brancos, pardos, índios e negros. Basta olhar para o irmão que está ao seu lado e perceberá alguma diferença, seja no cabelo, na cor da pele, na profissão. Mas temos consciência de que para Deus somos todos iguais. Somos um. Somos todos irmãos. (pausa)

Porém, existem pessoas que não se atentam pra isso, que esnobam os outros por se considerarem superiores, não aceitam as diferenças e simplesmente ignoram o próximo. E o pior é que muitas vezes existem pessoas assim entre nós.

Dentro da igreja existem pessoas que têm as características de um personagem que vamos conhecer agora: Ulisses.

Ulisses de longe é um jovem cristão como qualquer outro, filho de membros importantes na igreja, cresceu ouvindo as histórias de Moisés e da Arca de Noé, e continuou na igreja até os 18 anos, para orgulho dos pais.

Mas será que realmente foi assim? Será que ele de fato permaneceu fiel? Será que ele não cometeu erros? Igreja, preste bem atenção! Você vai conhecer agora a história de Ulisses, um jovem de aparências.

 

ULISSES: (entra em cena) Eu não acredito que perdi metade do meu dia nessa igreja! Cara, na boa! Eu não aguento mais isso! Às vezes eu fico me perguntando o que é que eu ainda faço nessa igreja! Nada me agrada! O pastor não me agrada, o dirigente de mocidade não me agrada, os irmãos não me agradam! Uma igrejinha morna, sem sal, sem graça! Eu sou um guerreiro por ter suportado tudo isso até agora! (pausa) Hoje o pastor falou de missões! (ri) Meu Deus, até parece que eu vou perder meu tempo precioso evangelizando... se pelo menos desse dinheiro! Cara, a salvação é individual, eu me preocupo com a minha e você se preocupa com a sua, inclusive, eu tenho certeza que já to salvo! O resto, que se vire! Quem se importa com isso?! Eu não! Eu sou jovem, tô solteiro e o que eu mais quero no momento é aproveitar tudo isso! Que se vire o mundo, que se vire tudo, irmão! (ri, pausa)

Nossa, mano! Agora parece que o sono me pegou de vez! Deve ter sido o culto chato de hoje! Meu, se tivesse demorado mais dez minutos eu tinha dormido no banco! (boceja) Pois é, vamo dormir, né? (dorme)

ANJO: (demora, observa) Ulisses! Ulisses! Ulisses, desperta, jovem! ULISSES!

ULISSES: Eu! Eu! Sou eu, mas não fui eu não, mano!

ANJO: Ulisses... Porque as coisas são tão difíceis com você...

ULISSES: Q-Q-Quem é você?! Você invadiu meu quarto, eu vou chamar a polícia agora! (levanta) Onde já se viu, uma coitada com cara de anjo invadindo meu quarto!

ANJO: Não vai adiantar nada você chamar a polícia, Ulisses!

ULISSES: Como é que você sabe meu nome, hein?! Você me conhece por acaso, aliás, eu te conheço?! Já sei, você deve ser uma das admiradoras do Ulissinho aqui, né?! Nossa, não, olha, eu já sabia... Mas ó, a gente pode se falar amanhã, tá meio tarde agora, né?!

ANJO: Ulisses, eu não sou sua admiradora! Eu sou um anjo enviado pelo Senhor!

ULISSES: Anjo do... Ah, meu Deus, eu só posso estar sonhando! Não pode ser verdade! Ulissinho, acorde, Ulissinho, acorde agora, mano, vamos! (pausa) Eu vou fechar os olhos, e você vai sumir! (fecha e abre) Ah! Você tá aqui ainda!

ANJO: Se você visse com os olhos da fé, saberia que é verdade! Mas você não tem mais fé... Sua fé praticamente sucumbiu, Ulisses!

ULISSES: Claro que eu tenho fé! Eu tenho fé sim senhora! Porque alguém entraria aqui vestido de anjo, sendo que a porta e as janelas do meu quarto estão... TRANCADAS! Meu Deus, você é um anjo mesmo!

ANJO: Sim, Ulisses! Você demorou muito, hein?! Eu sou um anjo mensageiro, tenho uma mensagem pra você!

ULISSES: Pra mim?! Uma mensagem de Deus?! Ô Glória! Aleluia, Jesus! Eu vou ganhar meu carro amanhã?!

ANJO: Ulisses, os bens materiais não são os mais importantes!

ULISSES: Ué, mas o que pode ser, então?!

ANJO: Me acompanhe! Neste momento, nós iremos para outra dimensão! Você sabia que milhões de pessoas, especialmente jovens têm sido influenciados pelo uso de drogas, pela prostituição e tem vivido cada vez mais abaixo da linha da pobreza?!

ULISSES: Olha, eu posso dizer que eu sabia sim, viu?! Mas, tipo assim, MILHÕES?!

ANJO: Milhões!

ULISSES: Misericórdia! E a culpa é de quem?! Dos políticos! Claro! Se eles investissem na educ...

ANJO: Você tem certeza que a culpa é só deles?! Ulisses, você não se sente nem um pouco culpado por isso?

ULISSES: Eu?! Claro que não, porque eu seria o culpado?!

ANJO: (balança a cabeça) Preste atenção no que você vai ver e escutar agora!

 

Entra em cena o Mendigo.

MENDIGO: Hoje é um dia muito especial pra mim! É o meu aniversário! Meu coração está palpitante de alegria, mas quando olho em volta, logo me entristeço! Não tenho nada! Não tenho família, não tenho amigos, não tenho ninguém! Eu perdi meu filho e minha esposa no mesmo dia! Há 4 anos atrás minha mulher estava grávida, morávamos com meus pais! Quando eles descobriram, nos expulsaram de casa! Fiquei sem saída, não tinha pra onde ir! Perdemos tudo, fiquei só com a roupa do corpo e comecei a implorar por esmola! Eu não podia deixar meu filho morrer, não podia! Mas era tarde, eu não era ninguém! Sem ter o que comer, onde se abrigar, minha mulher acabou perdendo o bebê e morrendo no parto! A partir daí eu não via mais esperança em nada, não acreditava mais em nada! Virei mendigo! Levo a vida pedindo ou revirando lixo, procurando restos de comida! Faz mais de 3 dias que eu não como sequer uma fruta sem fungos ou bichos! Será que alguém não teria algum alimento pra mim?! (pausa) Eu durmo embaixo da ponte e infelizmente, as pessoas passam por mim e me ignoram. Vêem a minha miséria e viram a cara, com nojo de mim, e... Você! Eu conheço você!

ULISSES: Não! Olha, você deve estar me confundindo com alguém...

MENDIGO – Claro que conheço! Eu pedi a você dinheiro ou um prato de comida, e você disse pra eu me afastar de você, me tratou como se eu fosse um animal! Me chamou de sujo, porco, e ainda chutou a minha caixa de papelão! Meu lar! Você chutou meu lar, quem você pensa que é, seu filhinho de papai?! Pensa que foi fácil pra mim?! Pensa que estou assim porque eu quero?! Olha pra mim! OLHA PRA MIM!

ULISSES: Eu não sei do que você tá falando!

MENDIGO – Mentira! Você sabe sim! Fala a verdade! FALA A VERDADE!!!

ULISSES: FICA LONGE DE MIM, SEU MENDIGO! VAI TRABALHAR, SEU SUJO! Meu Deus, eu não acredito que eu fiz isso!

MENDIGO – Você fez isso pela segunda vez! E me humilhou duas vezes! Partiu meu coração duas vezes! Cuspiu em mim duas vezes! Gente como você é quem merecia sofrer! (se posiciona ao redor dele)

ANJO: Ulisses, olha como você tratou esta vida! Deus te trouxe aqui nesta terra pra você fazer a diferença, pra você ser como Jesus foi! Você poderia ter evangelizado ele...

ULISSES: Não dava pra evangelizar ele, anjo! Ele tava todo sujo, imundo, o que as pessoas iam falar de mim?!

ANJO: (abaixa a cabeça) Ainda não acabou! Prepare-se pra ouvir mais!

 

Ex-presidiário entra

EX-RESIDIÁRIO: Quê que é, heim?! Não sou bandido não! Passei um tempinho na cadeia, mas isso não quer dizer que eu seja bandido! Tem tanta gente preconceituosa nesse mundo! O fato de eu ser negro não tem nada a ver com isso, não é? Ah tá, acredito!

Tudo bem, pode ser que eu tenha sido um bandido, já que eu cometi muitos crimes. Roubo, assassinato, desacato à autoridade... Alguns eu fiz, outros não! O fato é que eu me arrependi muito, de verdade de tudo que eu fiz, mas as pessoas não aceitam isso. Pra todo canto que eu olho tem gente me julgando, com preconceito... Só que o mais difícil é encontrar um emprego! Ninguém vai contratar um ex-detento, é inútil! Mesmo que eu diga que minha mulher está grávida e eu tenho mais três filhos pra criar, eles não vão se importar! É como se a liberdade não tivesse valido de nada... Ei, você! Porque virou as costas pra mim?! Porque?! Eu apenas ia pedir uma informação pra você, se lembra?!

ULISSES: Como é que eu ia saber?! A Marina já tinha me falado sobre você, já tinha me dito que você era um presidiário! Olha pra mim! Você acha que eu ia falar com um presidiário?! Um marginal como você?! O fato de não conseguir emprego é mais uma pena que vocês tem que pagar pelo mal que fizeram!

EX-PRESIDIÁRIO: Você nem sabe porque eu fui preso! Eu poderia ter sido inocente, sabia?!

ULISSES: Mas não foi! Você mesmo disse isso! E mesmo que fosse, detento é detento!

EX-PRESIDIÁRIO: Você deveria ter me evangelizado! Você poderia ter levado a palavra pra mim...

ULISSES: Eu tava com medo de você!!! Será que você não se toca disso! Até o dia que você morrer, todos vão ter medo de você!

EX-PRESIDIÁRIO: Você não tem coração! É por causa de gente como você que me tornei assim! Fui criado ao redor de marginais que tinham mais humildade que você, seu racista, hipócrita! Você só pensa em você mesmo! Você é quem deveria estar aqui no meu lugar! Vem todo playboyzinho, bonitinho por fora, mas por dentro você fede mais que lixo! Depois, as pessoas dizem pra mim que eu tenho que ser crente! (ri) Crente?! Crente como ele?! Eu prefiro ser marginal! Eu nem acredito que você é cristão! Gente como você é quem merecia estar aqui no meu lugar! (se posiciona ao redor dele)

ANJO: Ulisses... porque não falou do amor de Deus à ele?!

ULISSES: Ele é um criminoso! Ele poderia ter me matado!

ANJO: Quando se ama a Deus acima de todas as coisas, o medo vira uma mera cinza, que passa distante dos nossos corações! Esse é o principal problema! Você não ama a Deus como deveria! Talvez seu coração fique mais quebrantado com a próxima pessoa...

 

Drogada entra

DROGADA: Remove a minha pedra, me chama pelo nome! Eu nunca entendi esse hino! É o único que eu sei! Sempre que ouvia, meditava na letra, mas ninguém nunca me explicou... Porque?! (ri)

Porque ninguém me dá valor! Eu estou abaixo da base da pirâmide social! Um cachorro de rico fica bem acima de mim! Também, né?! Quem vai querer se aproximar de uma drogada?! Quem iria querer trocar uma ideia comigo?! Ninguém! Eu me lembro como se fosse ontem do dia que eu comecei a usar drogas! Minha mãe morreu no meu aniversário de 7 anos. Dá pra imaginar como foi difícil?! Depois que ela se foi, meu pai passou a se embriagar; de bar em bar e quando chegava em casa, me batia. Eu precisava me refugiar, e o refúgio que eu encontrei foi na maconha, no crack, no êxstase, na heroína...

No começo, eu pensei que eu ia conseguir me livrar. Pensei que era mais fácil! Mas não consegui! Eu passei a usar todo dia... quando meu pai descobriu, ele me colocou pra fora! Um médico já me diagnosticou com overdose! Se eu não parar de usar, eu vou morrer daqui a um mês! Isso mesmo! Eu quero mudar, eu quero largar tudo isso, mas não consigo! (olha para Ulisses)

Sabe quem é esse aqui?! Não?!

Vou contar uma historinha sobre ele! A gente estudava na mesma escola! Ele sabia tudo que eu tava passando, aliás, a escola toda sabia! Sabe como ele era conhecido lá?! Como o “playboyzinho gospel”! Ele negava até a morte que era crente, pra quem quisesse ouvir, mas domingo de noite ele tava lá, cantando, pregando, chorando que era uma beleza!

Sabia que só uma palavra tua podia ter me libertado?! SABIA?! Sabia que um simples “Jesus te ama” podia ter feito minha vida mudar?! Hã?!! FALA!

ULISSES: (cabisbaixo, emocionado) Eu não tive coragem! Fiquei com medo do que meus amigos iam dizer!

DROGADA: Essa é boa! Ficou com medo?! Você não tem ideia do que eu passei, não tem ideia do quanto foi difícil pra mim sair dessa...

ULISSES: VOCÊ SAIU POR ACASO?!

DROGADA: NÃO! Não saí! E a culpa é de quem, hein?! Pode ter sido tua! Pensa nisso, brother! Eu tô quase morrendo de Aids, e tu nunca nem foi me visitar! Fala que é mentira agora! (Ulisses abaixa a cabeça) Se eu chegar a morrer sem salvação, pode ter certeza que a culpa também vai ser tua! (se posiciona ao redor dele)

ULISSES: Chega! Chega, eu não quero mais isso! Eu não quero saber de nada! Me leva de volta pro meu quarto, pra minha cama! Eu não quero ouvir mais nada!

ANJO: Não, Ulisses! Você vai ouvir tudo, até o final! Talvez a próxima pessoa não vai te trazer tanto remorso...

 

Empresária entra

EMPRESÁRIA: Olá, boa noite! Oi, tudo bem? É, eu sou uma mulher de negócios, meu salário é equivalente a meio milhão de reais. Pois é, bastante dinheiro, não é? Quem vê jura que eu sou completamente feliz, que não tenho problemas, que minha vida é uma maravilha total. Bem, posso dizer que estou realizada profissionalmente. (telefone toca) Só um minuto.

Alô? Não. Sim, sim. Tá certo, Cloves, espera que já estou chegando. Fala pra Joana colocar o café na minha mesa!

Desculpem, era um dos meus funcionários. Bom, onde estava... Ah, sim, trabalho bastante para sustentar a mim e à minha filha, juntamente com meu esposo. Às vezes até ajudo pessoas necessitadas. Mas, com tantas realizações, eu não me sinto feliz, sabe?! Sinto um vazio por dentro, como se faltasse alguma coisa que eu não sei o que é! Mesmo com todo o dinheiro que tenho, não sou feliz. Claro que eu gosto de ganhar dinheiro, quem não gosta?! Mas eu acabo ficando sem tempo pra minha própria família. Já perdi o diálogo com meu esposo, minha filha me despreza, e nem me chama de mãe! Ela chama a babá de mãe! E o que eu posso fazer?! Nada! A culpa é minha mesmo! Eu nem vi os primeiros passos da minha filha, não amamentei, não presenciei praticamente nada do desenvolvimento dela. Mas não que eu fosse má ou não gostasse dela, eu estava realmente muito sem tempo. Quase não parava em casa... Meu Deus, eu sou uma mãe tão desnaturada... (olha) Ulisses, querido! Quanto tempo...

ULISSES: Meu Deus, quanto tempo mesmo, hein?!

EMPRESÁRIA: Você tá enorme, criatura!

ULISSES: E você tá ótima!

EMPRESÁRIA: Ah, muito obrigada, mas... Eu não to ótima não!

ULISSES: Mas porque?!

EMPRESÁRIA: Bom, meu pai... morreu! E eu nem tive tempo de ir pro velório dele! Eu não fui pro velório do meu próprio pai, Ulisses! Você sabe o que é isso?! Eu me sinto um lixo, um nada!

ULISSES: Não fala isso! Você tem tudo que você precisa, você tem dinheiro, você é tão bonita, é praticamente famosa, ah, quem me dera ter o que você tem pra quê se preocupar com isso?!

EMPRESÁRIA: Ah, Ulisses, quantas pessoas se enganam com isso! Pensam que são felizes só porque tem o bolso cheio, mas se você soubesse a maldição que há atrás de grandes lucros sem Deus, você não falaria isso! Hoje, eu percebo que trocaria tudo que eu tenho pra conhecer esse Jesus de que todos falam e dar a ele todo o meu tempo! Ulisses, eu não sou nem um pouco feliz, e tudo porque eu não conheci Jesus, eu precisei de uma palavra de consolo tantas vezes, eu precisei tanto de um amigo em alguns momentos... porque você só estava comigo nas alegrias?! Porque nunca participava das minhas tristezas?! Porque você nunca me falou de Jesus?! Eu vim descobrir que você era crente por outras pessoas! Você era meu amigo unicamente por causa do meu dinheiro?!

ULISSES: Claro que não, pelo amor de Deus... Eu... eu jamais chegaria a esse ponto...

EMPRESÁRIA: Então porque nunca me deu uma palavra de afeto?! Nunca me consolou, me ofereceu apoio?! Você não tem ideia do quanto eu precisei disso! Ulisses, você sempre foi cristão, e nunca nem falou de Jesus pra mim...

ULISSES: Mas pra quê falar de Jesus pra você?! Você tem tudo! Pra quê você precisa de Jesus?!

EMPRESÁRIA: Como é que você sabe que eu tenho tudo?! Como você sabe que eu sou feliz?! Ah é, porque você nunca me viu triste, né?! Nunca se importou com minhas tristezas! Nunca sequer me evangelizou Ulisses! Eu precisei muito disso, sabia?!

ULISSES: Mas eu...

EMPRESÁRIA: Você não merece minha amizade! Você é um hipócrita, se torna amigo das pessoas por interesse! Você é quem deveria estar aqui no meu lugar! Aí sim você saberia o que é sofrer! (se posiciona ao redor dele)

ANJO: Você nem imaginava que ela não era feliz, né, Ulisses?! Perdeu tanto tempo gastando o dinheiro dela, se fazendo de amigo, que nunca percebeu a infelicidade dela... E são muitos os que vivem assim! Preste atenção na próxima pessoa que vai entrar!

 

Famoso entra

FAMOSO – Boa noite, Brasil! Boa noite mãe! Boa noite pai! Boa noite crianças! Cheguei!

Não tão me conhecendo?! Como assim, eu sou o rei da televisão brasileira!

Ah meu Deus, eu to fora do estúdio! Às vezes eu esqueço que tenho vida! Faz tanto tempo que eu apresento esse programa, vendendo minha imagem, que eu já nem sei mais quem eu sou de verdade! A mídia nos trata como produto! Nos massacra de uma forma que a única coisa que eu posso fazer é seguir, seguir sendo famoso, dando autógrafos, como se nada mais importasse! Faz tanto tempo que eu não tenho mais privacidade... Eu tenho muito dinheiro! Estou onde muita gente gostaria de estar! Sou amigo do Rodrigo Faro, troco mensagens com a Xuxa, vou às festas do Silvio Santos... Mas de que vale tudo isso?!

Eu sou infeliz!

Não realizo minhas próprias vontades! Finjo ser o que eu não sou! Eu sinto tanta falta do tempo que eu era só uma pessoa normal, desconhecida, anônima! (pausa, respira)

Se eu contar minha história de vida pra vocês, eu me emociono! Todos pensam que sempre foi assim, que tudo foi fácil pra mim, mas não foi! Eu já sofri muito bullying na infância, era massacrado pelos meus colegas, pelo simples fato de ser negro! Eu sentia a necessidade de me vingar, de mostrar que eu era melhor, de fazer todos eles invejarem minha vida! Eu consegui! Mas me arrependo tanto! Eu trocaria tudo isso por uma vida normal! (pausa, pensa)

Sabe, eu me lembro de um menino em especial, era o que mais me humilhava! E o pior de tudo é que ele era crente! Mas ele me humilhava tanto que eu não acreditava quando as pessoas diziam! Eu sempre pensei que os cristãos eram dóceis, humildes... quando eu tentava me aproximar dele, ele me esnobava, me tratava mal!

Como será que ele está hoje?! Será que está feliz?! Será que... (olha para Ulisses) Espera... é você! Era você o garoto que me humilhava!

ULISSES: Não, eu não sei do que você ta falando, eu só conheço você pela mídia, sou um grande fã, mas...

FAMOSO: Era você sim! Nunca me tratou bem! Nunca sequer falou de Jesus pra mim! Nem mesmo agora!

ULISSES: Ah, pelo amor de Deus! Você não se lembra da Marylin Monroe? O que ela falou quando o Billy Grahan foi pregar pra ela? Que ela não precisava de Jesus! Deus me livre de passar por uma situação como essa! Você hoje está bem acima de mim!

FAMOSO: Hoje?! Porque você me humilhava? Porque eu não era da sua cor?

ULISSES: Olha, eu não quero falar sobre isso, me desculpa!

FAMOSO: Sempre achou que ia pro céu, né? Filho de dirigente, a mãe, líder do círculo de oração! Você achava que seu galardão tava garantido, né?!

ULISSES: Eu já pedi pra você se afastar de mim, por favor! Não é porque você é famoso que tem o direito de me questionar!

FAMOSO: Você é um hipócrita! Me trata bem porque eu sou rico e famoso! Se eu ainda estivesse na situação de antes você me esnobaria, não me daria atenção! Você não tem ideia do quanto poderia ter me ajudado, Ulisses! Ao invés de me humilhar, você poderia ter me levado a palavra, feito a diferença diante daquele povo! Porque você não fez isso, heim?! Responde! AGORA! FALA!

ULISSES: PARA COM ISSO! Eu simplesmente me deixei levar pelos colegas, eu tinha necessidade de ser aceito...

FAMOSO: E eu, heim?! Não tinha?! Hoje eu sou infeliz, vivo de mentiras, de zelar pela imagem por culpa sua! Você é quem merecia passar por tudo isso! (se posiciona ao redor dele)

ULISSES: Anjo, por favor! Eu já entendi tudo, eu... eu já sei de tudo, agora me leva embora desse pesadelo, pelo amor de Deus!

ANJO: Ulisses, essa pessoa que vai entrar é a última! Preste bem atenção no que ela vai dizer!

 

(Prostituta entra)

PROSTITUTA: O quê que é, heim?! Será que uma mulher como eu não pode visitar lugares assim?! Hã?! Era só o que me faltava! Quem vê jura que minha vida é facílima!

Ah, ela é uma perdida que ganha dinheiro pelo prazer!

Prazer?! (ri) Quanto prazer, até parece que eu A-DORO fazer isso! Eu trocaria tudo pra ser uma enfermeira, uma professora... Mas eu não pude concluir meus estudos. Meus pais morreram, fui criada pela minha avó e quando completei 14 anos, minha avó também morreu. Então, eu não tinha mais alternativa, decidi levar a vida mais fácil que encontrei e que na verdade é a mais horrível do mundo. Os homens me tratam como se eu fosse descartável! Quero largar isso, mas não tenho forças, nem tenho pra onde ir! Queria ter uma família e um emprego de verdade. Todo mundo olha pra mim com nojo, já cheguei até mesmo a ser espancada! Ninguém sequer conversa decentemente comigo. Sabem, eu tive um amigo de infância! Nós éramos tão unidos, uma amizade que ia além de tudo, eu pensei até que nós chegaríamos a nos casar um dia! Ele era muito rico e eu era uma pobre coitada! Isso quando minha avó ainda era viva! A coisa que eu mais admirava nele era a fé que ele tinha! Todo domingo ele me convidava pra gente ir pra escola dominical! Nossa, eu amava tudo aquilo, sentia tanta paz! Era perfeito! Mas chegou o dia em que nossa amizade foi enfraquecendo, ele passou a falar menos comigo, conforme crescia... E os pais dele praticamente obrigavam ele a ir pra igreja! Eu sinceramente já não conhecia mais ele! Estava muito mudado! Quando minha vó morreu, aí foi pior! Ele nunca mais olhou sequer na minha cara! Passava por mim e nem me cumprimentava, como se nunca tivesse me conhecido, como se... como se uma borracha tivesse apagado tudo que nós vivemos, e... Ah, meu Deus! Ulisses! Ulisses, é você?! (Ulisses tenta se esconder) Ulisses, olha pra mim, fala comigo! Parece até que você não me conhece mais! Ulisses! Ulisses! (balança ele, tentando animá-lo)

ULISSES: ME SOLTA! Sua indecente, eu não conheço você!

PROSTITUTA: Como assim você não me conhece?! Eu sou sua amiga de infância, esqueceu?!

ULISSES: Quer saber de uma coisa?! Esqueci! Há 15 minutos atrás eu tinha esquecido, mas você fez questão de me fazer lembrar de tudo outra vez, né?!

PROSTITUTA: Ulisses, você esqueceu das brincadeiras, da nossa amizade tão forte, que passava por cima de todos os preconceitos?! Porque você tinha que mudar comigo?! Porque?!

ULISSES: Pensa no que as pessoas iam falar de mim! Pensa! Eu me senti obrigado a fazer isso! Eu não podia ser amigo de uma... uma mulher como você! Uma mulher da vida!

PROSTITUTA: (pausa) Você conseguiu se desfazer de mim!

ULISSES: Como assim?! (PROSTITUTA se cala e se posiciona ao redor dele) Como assim, me explica isso! ME EXPLICA!

ANJO: Ela não é mais deste mundo, Ulisses!

ULISSES: O quê?! Quer dizer que... que ela aceitou Jesus! Meu Deus, que bom, eu não acredito que...

ANJO: Não!

ULISSES: Não?!

ANJO: Ela está morta! Morreu atropelada! No exato momento que você virou as costas pra ela, no aniversário da Marina, lembra?!

ULISSES: Não! Não, não pode ser! NÃO! Eu devo ter falado com ela, evangelizado ela alguma vez, não é possível que...

PROSTITUTA: Não, Ulisses! Você nunca mais me evangelizou! Eu perdi minha salvação! Estou condenada!

ULISSES: Não! Não, você não tá não! Não! Minha amiga, me perdoa, me perdoa por isso! Jesus te ama! Jesus te ama, ele quer te salvar, você tem que sair dessa vida de...

ANJO: É tarde demais, Ulisses! O tempo que você deveria ter evangelizado já passou!

PROSTITUTA: Eu nunca signifiquei nada pra você, o seu orgulho sempre falou mais alto! Sabe porque eu entrei nessa vida?! Não foi só pelas tragédias que eu passei, também foi porque eu me sentia sozinha, a única pessoa que eu confiava, meu melhor amigo, virou as costas pra mim! Eu não tinha mais motivo pra viver como eu estava, eu precisava de sustento, porque nem nisso você me ajudou! Adeus, Ulisses! Confesso que, apesar de tudo, foi muito bom ter conhecido você! (Aparecem dois homens de preto, que levam-na)

ULISSES: Não! Nããããããão! Por favor, me perdoa! Eu nunca me esqueci de você, sempre que lembrava, eu tentava esquecer, meu coração estava muito duro e meus olhos fechados pra entender o quando você foi importante na minha vida! Nunca tive amigos de verdade, e me arrependo muito disso tudo ter acontecido! Não pode ser! Meu Deus, não pode ser! Faça alguma coisa por ela, tem que haver alguma solução! Porque não me deixa ir no lugar dela, ela não merece! Por favor, Senhor! Eu não posso ter sido tão rude, tão mesquinho, esse não sou eu! Não sou eu, anjo! Eu sei que não sou eu! Eu preciso salvá-la!

ANJO: Realmente não é você! Deus conhece seu verdadeiro eu, Ulisses! Você só precisa dar lugar!

ULISSES: Eu é que merecia morrer, não ela! (olha para os outros) Eu é que merecia passar fome, revirar latas de lixo e pedir esmola! Eu é que merecia ser preso, condenado, solto e viver uma vida sofrida! Eu é que merecia sofrer com o vício, perder tudo, viver nas ruas e ainda por cima, ser vítima do preconceito das pessoas! Eu é que merecia ter o desprezo da família, perder o pai e viver sem felicidade, com amigos falsos! Eu que merecia ser humilhado pelos colegas na infância e ser massacrado pela mídia. EU! EU MERECIA ISSO! Meu Deus, como eu me arrependo!

ANJO: Era isso que Deus esperava de você: o arrependimento! Isso é o que faz de você uma pessoa diferente: a capacidade de se arrepender, porque muitos pecam e não se arrependem, mas você se arrependeu! Portanto, mediante o seu arrependimento de todo coração, Deus perdoa!

MENDIGO: Você ainda tem uma chance! Nenhum de nós morreu!

DROGADA: Eu estou perto da morte, mas se você correr, ainda dá tempo de evangelizar!

EMPRESÁRIA: Ulisses, e eu ainda estou aqui, precisando de um ombro amigo que me apresente Jesus!

EX-PRESIDIÁRIO: Eu ainda estou aqui, esperando seu auxílio, eu preciso de uma esperança, Ulisses!

FAMOSO: Ulisses, eu não guardo mais nenhum rancor com relação a você, mas eu preciso que você fale de Jesus pra mim.

ULISSES: É isso! Eu preciso evangelizar, eu preciso falar do amor de Deus pra vocês e pra muitos outros perdidos como vocês! Nunca mais deixarei que uma alma se perca! Não há nada pior do que essa dor que eu a partir de hoje carrego no meu coração, por ter perdido uma grande amiga!

(TODOS SAEM MENOS ULISSES E O ANJO)

ANJO: Deus em toda sua graça permite que acontecimentos como esse se realizem para ensinar aqueles que de alguma forma negligenciam sua palavra, mas ele te ama muito, Ulisses, e por mais que essa fatalidade tenha acontecido, ele te dá uma nova chance de serví-lo! Nunca mais volte a ser como antes, Deus faz de você hoje uma nova criatura!

ULISSES: Senhor, obrigado pela tua misericórdia! A partir de hoje, eu declaro que morri para o mundo e pra mim mesmo e viverei somente para ti, por onde quer que eu andar, irei anunciar seu evangelho! Usa-me, Senhor! Eu quero despertar! E quando eu despertar, eu vou orar, jejuar e cumprir o seu ide!

GRUPO 1: E você?! Quantas almas vão ao inferno por sua negligência?!

GRUPO 2: Quantas almas têm se perdido pelo seu orgulho, sua preguiça, seu descaso?!

TODOS: Desperta, igreja, Deus conta com você!

 

Peça do Matteus Medeiros

 

Estilos: 
Diversos: