JOGOS MORTAIS

Versão para impressão
Adolescentes e jovens da igreja estavam reunidos para assistir um filme. O equipamento estragou, resolveram brincar do “Jogo da Verdade”. As máscaras começaram a cair, aquelas vidas “certinhas” que aparentavam, escondiam comportamentos reprováveis. Um a um vai se propondo a mudar de vida, um recomeço de acordo com os ensinamentos bíblicos. Thiago foge da verdade, estava envolvido com tráfico... Vacilou, morreu. Adaptação da peça "Dupla Face", de Autor Desconhecido. Jogos mortais, jogando com a verdade ou a

Adolescentes e jovens da igreja estavam reunidos para assistir um filme. O equipamento estragou, resolveram brincar do “Jogo da Verdade”. As máscaras começaram a cair, aquelas vidas “certinhas” que aparentavam, escondiam comportamentos reprováveis.
Um a um vai se propondo a mudar de vida, um recomeço de acordo com os ensinamentos bíblicos.
Thiago foge da verdade, estava envolvido com tráfico... Vacilou, morreu.
Adaptação da peça "Dupla Face", de Autor Desconhecido.

Jogos mortais, jogando com a verdade ou a mentira. Matando o ser carnal ou o ser espiritual.

Há outra peça JOGOS MORTAIS  Adaptação do filme homônimo.


Personagens: Lucas (O dono da casa), Denise e Cláudia (irmãs), Letícia, Adriana, Anderson, Thiago – todos evangélicos – Sérgio (ateu, amigo do irmão de Lucas) e André (evangélico, irmão de Lucas). Todos são jovens/adolescentes.
Base Bíblica: Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; (Colossenses 3:5).

ATO I – AS APRESENTAÇÕES
(Todos os intérpretes deverão estar sentados na plateia conforme forem anunciados, vão levantando e se apresentando como num desfile).
NARRADOR: Dizem que o diabo gosta de brincar com as pessoas, o pior é que muita gente cai no jogo sujo dele e depois não entende porque...
Todos sabem que o diabo é mentiroso, derrotado, que veio para roubar, matar e destruir, mas quantos de nós estamos dando ouvidos as suas mentiras? Ou pior, quantos de nós, estamos vivendo suas mentiras?
Ah a mentira! Como é doce seu começo, mas quão amargo é o seu final!
Hoje você vai conhecer alguns jovens, que participarão do jogo que mudará as suas vidas:
Lucas um jovem bacana, cheio de amigos, aquela pessoa que você faz questão de chamar para todos os eventos. Ele é legal, inteligente e apaixonado por internet! Hoje ele convidou a galera da Igreja para assistir um filme na casa dele, dá só uma olhada nos convidados (Lucas chega com os DVDs na mão, e enquanto o pessoal se junta a ele, ficam discutindo “em off” qual é o melhor filme).
Anderson, ele é tímido, mas muito gente boa, diz por aí que ele vai muito em evento mundano, mas deixa pra lá, é tudo inveja e intriga da oposição mesmo!
Letícia ela é romântica, gosta de rosa e de conversar, aliás o seu maior hobbie é bater papo na internet.
Denise e Cláudia elas são irmãs, brigam bastante e de vez em quando passam dos limites, mas são legais, Denise a mais velha é muito simpática, porém não dá bola para os meninos da Igreja e Cláudia, a caçula ama passear no shopping e ouvir música.
Juntando-se ao time, tem a Adriana, ela é meio metida, não conversa com muita gente, sonha em casar com um cara rico e inteligente, mas tirando isso ela é até legal.
E por fim, mas não menos importante, nada mais, nada menos que ele, o garoto mais famoso do grupo, as meninas se estapeiam por ele, os meninos morrem de inveja, o mais popular, o mais requisitado, Thiago!
E então, “que comece o jogo”.

 

ATO II – O EMPECILHO
LUCAS: E então, vocês decidiram que filme vamos assistir?
LETÍCIA: “Um Amor pra Recordar”, é claro! É fofo, romântico e fora que o Landon é lindo!
DENISE: Ah não, o menino pode até ser bonito, mas não é crente, eu sou mais a Galinho Chicken Little, é tão fofo.
THIAGO: Ah não, vamos assistir “Jogos Mortais II”, irado!
ANDERSON: Tô com o Thiago, “Jogos Mortais”, é o que há.
LUCAS: E você Cláudia, qual escolhe?
CLÁUDIA: “Um Amor para Recordar”.
DENISE: Você sempre do contra né?.
CLÁUDIA: Lógico Denise, você é cheia de ideias infantis.
DENISE: (irônica) Falou a adulta!
LUCAS: Vocês não vão começar a brigar né? (pausa) E você Adriana?
ADRIANA: Ah, eu preferia “As Patricinhas de Beverly Hills”, ou “Meninas Malvadas”, mas já que não tem, vai qualquer um mesmo.
LUCAS: Eu voto em “Jogos Mortais II”.
THIAGO: Isso ai, ganhamos, “que comece o jogo”!
LETÍCIA: Ah não Lucas, esse filme é muito violento, vamos assistir “Um Amor pra Recordar” mesmo.
LUCAS: Ah, mas vocês não se decidem mesmo heim? Vamos fazer assim então, a gente assiste “Um Amor pra Recordar” agora e depois que as meninas forem embora, a gente vê, “Jogos Mortais II”, fechado?
THIAGO: Fechado.
ANDERSON: Ah, tá certo então.
LUCAS: Fechou então, eu vou colocar o DVD.
(Enquanto as meninas comentam, Lucas tenta colocar o DVD)
LETÍCIA: Ai, já vou me preparar pra chorar! É tão lindo!
CLÁUDIA: “Nosso amor é como o vento, não posso vê-lo, mas posso senti-lo”.
LETÍCIA: E quando ele registra a estrela no nome dela? Tão romântico.
CLÁUDIA: E quando ele dá o suetter de presente então? Tão fofinho.
THIAGO: Sou mais o Jigsaw, falando “quero jogar um jogo”.
LUCAS: Gente, sem querer ser estraga prazer, mas o DVD não está funcionando.
(Nisso começa a cair uma forte chuva)
ADRIANA: Isso que dá comprar produto falsificado, se fosse como eu que só compra no shopping.
DENISE: Não fala besteira, Adriana.
LETÍCIA: Fala sério Lucas, você tá brincando né?
LUCAS: É sério, Lele. Não tá funcionando de jeito nenhum.
THIAGO: Você ligou na tomada?
LUCAS: Dããã, é claro né.
CLÁUDIA: E agora? Pra ajudar ainda tá chovendo, ninguém merece.
(Toca a campainha)
LUCAS: Temos companhia. Deixa eu ir ver quem é. (pausa) Oi Sérgio.
SÉRGIO: Oi Lucas, seu irmão tá em casa?
LUCAS: Tá não, mas entra aeh, daqui a pouco ele tá aí.
SÉRGIO: (dá uma olhada dentro da casa, vê os amigos evangélicos) Não, melhor não, eu volto mais tarde.
LUCAS: Não cara, entra ai, vai ficar tomando chuva?
SÉRGIO: (relutante) Tá certo.
LUCAS: Pessoal, esse aqui é o Sérgio, amigo do meu irmão. Sérgio, esses aqui são meus amigos da Igreja.
ADRIANA: De qual Igreja você é?
SÉRGIO: De nenhuma, eu sou ateu e detesto crente.
ADRIANA: Nossa que estresse, você tá precisando de umas boas comprinhas no shopping, hanni (pausa), mas assim, porque que você não gosta de crente?
SÉRGIO: (olhando para Letícia) Nem queira saber.
LUCAS: Tá, e agora, o que a gente vai fazer? O DVD queimou e nem dá pra sair por causa da chuva.
THIAGO: “Quero jogar um jogo”.
ANDERSON: Boa, cadê o baralho?
DENISE: Ai que coisa mais mundana!
THIAGO: Que frescura Denise, o que, que tem?
DENISE: Tem que não convém, vamos brincar de jogo da verdade.
CLÁUDIA: Ai que infantil!
LETÍCIA: É melhor nós ficarmos orando.
LUCAS: Ah, pode ser legal gente, nós aproveitamos e nos conhecemos melhor.
ADRIANA: Depois eu que fujo de oração, heim, Lucas! (risos). Mas é melhor que do que ficar olhando um pra cara do outro, vamos fazer uma bola papel, ai vamos passando pra ver quem responde, ok?
LUCAS: Ok.
THIAGO: “Que comece o jogo”.
LUCAS: A Denise deu a ideia, então, ela começa.
DENISE: Tá certo, a única regra do jogo é que só pode falar a verdade. Certo?
TODOS: Certo.
DENISE: Você não vai participar, Sérgio?
SÉRGIO: Não.
DENISE: Tá bom então, (conforme for fazendo a pergunta, vai jogando a bola) Anderson, você está sempre na Igreja, não falta em nenhum culto, mas também vai em diversos eventos mundados, você não se deixa influenciar?
ANDERSON: Não, é tranquilo, eu vou e fico na minha. Cláudia, eu te admiro tanto (pessoal fica zoando) acho legal você mesmo sendo nova, é tão certinha, fiel e tal, o que você faz para se manter assim?
CLÁUDIA: Ah, eu oro muito, jejuo e principalmente fico longe de tudo que vem do mundo.
DENISE: (irônica) Deus tá vendo!
CLÁUDIA: O que você está insinuando, heim?
DENISE: Você sabe muito bem.
LUCAS: Meninas, não vão brigar vai, é só um jogo.
CLÁUDIA: Tá bom. Lucas, você é tão legal, super amigável, conversa com todo mundo, mas dizem as más línguas que você gosta da Rebeca, é verdade?
THIAGO: “Você está com medo?”
LUCAS: (sem graça) É vai, é verdade. Sérgio, agora é sua vez (joga a bola).
SÉRGIO: Eu já falei que não quero participar! (joga a bola para o canto, Adriana pega a bola).
LUCAS: Calma cara, é só um jogo, é só dizer a verdade e pronto.
SÉRGIO: Quem vê assim vocês são verdadeiros.
CLÁUDIA: Sérgio, nós somos crentes, só falamos a verdade.
SÉRGIO: Ah, sei. É óbvio que vocês falarão somente o que for conveniente. (pausa, pega a bola bruscamente da mão de Adriana e joga em Letícia). E aí Letícia, gostou dos pegas que eu te dei semana passada?
(Letícia permanece calada, assustada, enquanto ninguém sabe ao certo o que falar)
DENISE: (risos) Para gente, tá na cara que ele tá inventando isso.
LUCAS: Poxa Sérgio, tudo bem você não queria brincar, mas também não precisa ficar ofendendo né?
SÉRGIO: Ofendendo, eu? Vocês é que me ofendem com tanta hipocrisia!
CLÁUDIA: Não fala besteira Sérgio, você nem conhece a Letícia. Aqui todo mundo sabe que a Lele não faria isso.
SÉRGIO: (irônico) Pra você ver como são as coisas, lá na sala de bate-papo, todo mundo sabe que a Letícia é fácil.
(Letícia se levanta, pega a bolsa para ir embora)
ADRIANA: Quem diria heim? Logo a Lele que se fazia de tão santa?
LETÍCIA: (levanta a máscara) Quem é você pra falar de mim, sua patricinha? Você é muito pior do que eu, ou você não acha que eu não vejo você ficando com tudo quanto é menino que vem de outra Igreja?
ADRIANA: (levanta a máscara) Fazer o que né fofa? Eu sei que sou linda por isso todos os meninos querem ficar comigo, mas pelo menos eu fico com crente, pior você que fica com qualquer um.
LETÍCIA: Ah, então se “menina corrimão” não tem problema, desde que seja com crente?
ADRIANA: Como você é ridícula, vivia se escondendo atrás da imagem de santa e agora quer me dá lição de moral (ficam discutindo).
LUCAS: Parem agora vocês duas! Vocês não estão vendo que o Sérgio só tá arrumando confusão? Vocês acham que a Letícia ia ficar arrumando namorado pela internet?
SÉRGIO: Porque não Lucas? Você que se diz tão certinho, mas vive entrando em site pornográfico, porque a Letícia não poderia ficar com os amigos da net?
LUCAS: (tira a máscara) Que mentira, eu só entro de vez em quando! (tenso, pois percebe que acabou de se entregar).
SÉRGIO: Haha, quanta hipocrisia! Sempre não pode, mas de vez em quando não tem problema? É por essas e outras que eu não sou evangélico.
ANDERSON: Poxa, Lucas, logo você que eu pensava que não fazia isso.
LUCAS: Quem é você para me condenar, Anderson? Logo você que vive nas baladas, tomando cerveja com os amigos e contando piada suja? E ainda tem a cara-de-pau de dizer que é para evangelizar!
DENISE: Chega! Eu que não fico aqui, nem mais um minuto!
THIAGO: (tom de deboche) Porque Denise? “Você está com medo”?
DENISE: Eu não, medo do que?
THIAGO: Ah, sei lá, de revelarem uns podres de você.
DENISE: Não tem podre nenhum, ao contrário de você que anda com uma turma da pesada fora da Igreja e eu aposto que você anda puxando uns tragos de vez em quando!
THIAGO: (tira a máscara) Puxo sim, e daí? Pelo menos eu sou sincero, o que você vai fazer a respeito, sua santarrona?
CLÁUDIA: Santarrona? Ah tá, a suja falando do mal lavado!
DENISE: O que você quer dizer com isso, heim, pirralha?
CLÁUDIA: Para de fingimento Denise. Você sabe muito bem que não é nenhum exemplo fora da Igreja, você vive desobedecendo nossos pais, mentindo igual uma doida e ainda namora há dois anos com um garoto da escola.
DENISE: (tira a máscara) Como você é ridícula Cláudia! O pai e a mãe sabem do meu namoro, eles só não falam nada porque tem vergonha, aliás, eles brigam o dia inteiro, nem se respeitam mais, vão falar o que de mim? E você Dona. Cláudia, (tira a máscara) fica ai dizendo que ora, jejua e se mantém longe das coisas mundanas né? Mas só se for dentro da Igreja, porque fora queridinha, eu é que tenho que aguentar seus palavrões, suas músicas mundanas e ah, e ver você saindo com roupa indecente. (ênfase) Bem santa né?
SÉRGIO: Não sei quem é o pior de vocês! Bando de hipócritas! Por isso não acredito em Deus, porque se Ele existe, vocês o envergonham todos os dias!
LETÍCIA: Você se acha muito esperto, Sérgio, mas você sabe muito bem que esperteza não leva ninguém para o céu.
SÉRGIO: E ficar com um monte de gente que você nunca nem viu na vida é passaporte garantido pra ir pra lá, né?
LETÍCIA: Pra você pode não significar nada, mas todas as vezes que eu ficava com você, ou com qualquer outro menino eu ficava me odiando por dentro, chegava em casa e desabava a chorar, porque me sentia suja, indigna de Deus.
SÉRGIO: Grandes coisas! Pra mim você continua sendo uma mina fácil! Mas na boa, um conselho de amigo, ao invés de ficar se lamentando, porque você não sai logo da Igreja? Um pecado a menos.
LETÍCIA: Você tem razão, eu preciso fazer uma escolha, mas eu não vou escolher o pecado, eu escolho a Deus.
SÉRGIO: Ah é? E quantas vezes você já não disse isso lá na sua Igreja e quando saiu de lá fez as mesmas coisas? Eu não acredito nisso.
LETÍCIA: Sérgio, realmente eu já fiz isto várias vezes, aliás, quase todo o domingo eu ia receber oração e quando saia fazia as mesmas coisas, mas era assim, porque eu achava que poderia viver dos dois lados, porque eu tirava minha máscara quando entrava na Igreja e deixava ela guardadinha, até sair e colocar de novo. Mas agora vai ser diferente, porque eu não quero mais usar a máscara (joga a máscara fora) eu quero ser cristã de verdade, aliás, eu sempre ouço que Jesus é a Verdade que liberta, e é essa Verdade que eu quero viver.
Senhor, (oração) sou pecadora, não sou digna de Ti, mas em nome de Jesus, me perdoa Senhor. Eu não quero mais ser assim, suja, não quero mais ser motivo para as pessoas apontarem e condenarem, não quero mais ser uma menina fácil, quero aceitar a Sua vontade, ainda que seja difícil. Limpa a minha vida com Teu sangue, me veste de roupas brancas, restaura Senhor a minha vida, eu quero viver somente para Ti Jesus.
(Ficam todos olhando atônitos)
CLÁUDIA: Denise, eu quero te pedir perdão, porque apesar de nós sermos irmãs, eu tenho muita inveja de você.
DENISE: Eu também quero te pedir perdão, Clau, eu sou sua irmã mais velha, e deveria te ensinar, mas como vou falar de Deus se nunca tive uma experiência com Ele?
CLÁUDIA: Chega de mentiras, chega de desculpas para não servir a Deus direito.
(Denise e Cláudia, jogam fora às máscaras e oram)
DENISE: (oração) Senhor, muda as nossas vidas, eu sei Senhor que ficamos falando que somos rebeldes porque nossos pais estão em conflito, mas Deus, eu quero ter uma experiência Contigo.
CLÁUDIA: Isso, ó Pai, restaura nossas vidas, e através de nós, restaura o nosso lar. Perdoa os nossos pecados, muda nossas vidas, tira o amor pelo mundo do meu coração e que o Senhor tome o primeiro lugar das nossas vidas.
LUCAS: (joga a máscara fora) Senhor, minha carne é fraca Pai, mas isso não é desculpa, pois sei que se o Espírito estiver melhor alimentado vencerá a carne, por isso eu te peço Senhor, me esvazia de mim, me dá força, me liberta do vício da pornografia e de todos os outros, limpa meus olhos, minha mente e o meu coração. Toma Senhor o primeiro lugar da minha vida, não quero me esconder mais, quero poder chegar diante de Ti com o coração em paz, com a paz que só o Senhor pode dar. Me perdoa Senhor, em nome de Jesus.
ANDERSON: Sérgio, talvez você esteja pensando que isso aqui é tudo fingimento. Eu errei muito, e o pior, fiquei dando desculpas para os erros, me escondi atrás da máscara da amizade achando que se eu falasse que era para evangelizar ninguém iria condenar minhas práticas. Mas eu estava errado, essa máscara é uma ilusão, porque, por mais que eu conseguisse enganar os homens eu nunca consegui enganar a Deus, e eu quero mudar, não quero usar mais essa máscara (joga a máscara fora), mas antes de orar entregando toda a minha vida a Deus, eu queria te convidar a fazer o mesmo, a tirar a máscara.
SÉRGIO: Eu não uso máscara, não sou como vocês!
ANDERSON: Tem certeza que você não usa? Você já parou pra pensar que essa auto confiança, esse desejo de criticar os evangélicos, esconde em você uma frustração de não conseguir ser um cristão, e um vazio no qual você tenta preencher com prazeres carnais, mas só te deixa mais vazio?
SÉRGIO: (tira a máscara) E pra que eu vou ser cristão, se vocês não vivem conforme Cristo ensinou?
ANDERSON: Sérgio, para de dar desculpa, eu não tenho mais máscara, enquanto tinha uma estava cego, mas agora sem ela eu posso ver. Você está vendo essas pessoas aqui ajoelhadas? Você lembra que coisas horríveis foram faladas delas aqui? E agora elas estão buscando a Deus, pedindo por transformação. Enquanto nós estávamos nos escondendo atrás de uma máscara, tínhamos prazer na mentira, mas agora nós podemos ver que por mais dura a verdade, ela ainda é melhor. Jesus é a Verdade que liberta Sérgio, Ele pode te libertar do pecado, do vício, da falta de paz!
SÉRGIO: Você acha que é fácil, Anderson? Você acha que vai ser fácil chegar pra minha família amanhã e dizer: Gente, olha agora eu sou crente! Ou pros meus amigos e falar, galera foi mal, não vou mais em balada porque agora eu virei crente?
ANDERSON: Sérgio, eu sei que não é fácil, só que o caminho mais fácil, nem sempre é o melhor. Sabe qual é o caminho mais fácil? É viver na mentira, é usar uma máscara e tentar fingir ser outra pessoal. Mas sabe qual é o problema da máscara Sérgio? É que ela não nos esconde totalmente e um dia ela cai. Pra que vamos viver, escondidos, se podemos ser livres? Livres para não pecar, livres para adorar a Deus, livres para poder andar na rua sem ser apontado como um marginal!
SÉRGIO: (joga a máscara fora) Eu quero ser livre, eu quero, Jesus por favor, me liberta!
ANDERSON: (abraça Sérgio e ora) Senhor, primeiro eu queria Te pedir perdão, por tudo que fiz de errado, também quero Te pedir para transformar minha vida, eu quero mudar, mas sozinho eu não consigo, me transforma Senhor, me ajuda viver somente para Ti, toma Senhor, o primeiro lugar da minha vida. E o Sérgio Senhor, perdoa ele também, o torna Teu filho, enche ele do Espírito Santo, em nome de Jesus.
ADRIANA: (joga a máscara fora) Jesus, eu sempre dei prioridade para o que não valia a pena, se a roupa que eu estava era de marca, se meus amigos eram bem de vida, nunca quis saber de ter um relacionamento contigo, mas Deus, isso não me levou a nada, por favor, transforma minha vida, Senhor, de tal modo que o Senhor seja minha prioridade. Me perdoa, pelo preconceito, por pisar nas pessoas e principalmente por nunca ter Te buscado de verdade. Mas agora, eu quero ser diferente, quero que as pessoas olhem pra mim e me vejam não como uma menina fútil, mas como uma mulher de Deus. Em nome de Jesus.
(Thiago, começa a olhar de um lado para o outro, sem saber para onde ir)
THIAGO: Não, eu não posso viver sem ela (agarra a máscara) o que as pessoas vão pensar de mim? Eu fumo sim, mas é só para agradar a galera que eu ando, eu não posso colocar minha popularidade em risco, eu não posso viver sem minha tão amada máscara! Ela sempre foi minha companheira, ela sempre me deu de tudo, eu não posso viver sem ela, foi mal Jesus. (sai e encontra com André que não usa máscara).
ANDRÉ: Que foi Thiago? O que aconteceu?
THIAGO: Aconteceu que eu odeio a verdade!
ANDRÉ: Como assim? Eu não estou entendendo.
THIAGO: Eu não gosto da verdade, nós fomos jogar o jogo da verdade e eu me dei mal, fui desmascarado, eles ai (apontando) resolveram mudar, mas eu não posso viver sem máscara, ninguém vai me aceitar do jeito que eu sou, a verdade acaba comigo.
ANDRÉ: Thiago, quem acaba com você é a mentira! Você não quer jogar o jogo da verdade, mas tá jogando o jogo da mentira. Se a a verdade acaba com o seus prazeres mundanos, a mentira acaba com sua vida espiritual!
THIAGO: Eu não consigo viver sem a mentira, ela é necessária na minha vida!
ANDRÉ: Não é! Você está escravizado pela mentira, mas a verdade, que é Jesus, pode te libertar! Você disse que a verdade acabou com você? Então deixe que a verdade mate o Thiago carnal e faça nascer uma nova criatura!
THIAGO: Não dá.
ANDRÉ: Porque não dá Thiago? Jesus é a Verdade que liberta, que desculpa você vai dá para Ele?
THIAGO: Desculpa nenhuma, só vou dizer que foi mal Jesus, não deu. (sai)
(Toca uma música de fundo, André começa a orar “em off” pelas pessoas que estão ajoelhadas enquanto Thiago vai embora e se envolve numa discussão que deverá ser gravada em fita, ao final, todos devem se abraçar em sinal de confraternização).
Diálogo Gravado
THIAGO: Salve, salve, brow. Beleza?
TRAFICANTE: Beleza mano, aeh, Thiago, tu vacilou cara, tu foi dar pó pras mina, os gambás baixaram tudo na favela.
THIAGO: Vacilão é você mano, as mina mó truta e você não queria dá da boa pra elas, eu fui lá e dei sim, que que tem?
TRAFICANTE: Tem que tu é um vacilão, nóis podia tudo ter ido em cana meu.
THIAGO: Ah mano, aeh véio, eu não tenho nada a ver com isso não cara.
TRAFICANTE: Ah não é?
THIAGO: Que isso cara, endoidou foi?
TRAFICANTE: Tá ligado que tu tá sujo nas parada né véio.
THIAGO: Que isso cara, a gente é irmão;
TRAFICANTE: Aprende uma coisa, Zé mané, na gíria do pó e pedra, só é irmão quem sabe dançar conforme a música, e tu vacilou cara, agora tu vai vacilar lá no inferno.
THIAGO: Peraí cara, vamos conversar mano (som de tiro).
THIAGO: Ai, foi mal Jesus, não deu.

 


ATO III – O ENTERRO DE THIAGO
(Os amigos de Thiago entram trazendo seu caixão por meio da plateia e o colocam na frente dela, desapontados ficam ao redor, enquanto André faz o discurso).
ANDRÉ: Hoje, com muita tristeza, nós estamos participando de algo que nunca imaginamos na vida. O Thiago era um grande amigo, um rapaz que te fazia rir, que amava brincar, mas acabou morrendo por causa de uma destas brincadeiras. O Thiago brincou com Deus, com sua vida espiritual, com ele mesmo. Hoje ele está morto porque não quis morrer para o pecado, preferiu morrer para a vida do que para o pecado. Preferiu o jogo da mentira ao invés da verdade. Mas apesar de tão diferentes, os jogos da mentira e da verdade, tem algo em comum, eles são mortais, a mentira mata nossa vida espiritual, e a verdade, mata nossa natureza pecaminosa. O Thiago vai deixar saudade, muita saudade, mas principalmente vai nos deixar a lição de que nossas escolhas têm consequências, ele pode escolher a vida, mas preferiu correr a passos largos para a morte. Que hoje, junto com o Thiago, nós enterremos nossa falta de compromisso com Deus, nossos desejos pecaminosos, nossas brincadeiras com a vida espiritual. Somos falhos, somos imperfeitos, mas temos um alvo a seguir e este alvo é Cristo, que tudo que nos impede de alcançar este alvo, seja enterrado a cada dia, porque ainda que seja difícil, é melhor vencer cada dia os obstáculos com Cristo, do viver a ilusão mortal da mentira.
 
Depto de Teatro do CAAD (Conj. de Adolescentes da Assembleia de Deus, Min. do Belém - SP)
 
 

Estilos: