ESCAPANDO DAS ARMADILHAS DE SATANÁS

ESCAPANDO DAS ARMADILHAS... Uma armadilha pra rato e uma para urso

Dois demônios estão escalados para tentar desviar o Carlos dos caminhos do Senhor.

Nesta história o Carlos ganha ingressos para um jogo, e os demônios induzem o Carlos a mentir.

Seria apenas uma pequena mentira, mas para encobrir a primeira, outras mentiras vão surgindo…

Até ser descoberto, e agora? Fugir é a solução?


CENA I   -   Na rua

NARRADOR:   Os demônios Chamuscado e Chamuscadinho estão muito desanimados. Haviam preparado grandes tentações para o Carlos e ele não caiu.
CHAMUSCADO:   Se Carlos continuar lendo a Bíblia e orando, que poderemos fazer? Estas orações me dão tanto medo que nem consigo me aproximar dos jovens da igreja.
CHAMUSCADINHO:   Sabe, penso que seria melhor se não tivéssemos nos rebelado contra Deus. Sabemos que estamos condenados, sabemos que podemos até ganhar algumas batalhas, mas no final, a guerra, já está perdida.
MALVADO:   (Irritado) Nunca mais quero te ouvir falar deste jeito. Vamos fazer de tudo para que Deus não venha a desfrutar da vitória. Além disso, é uma injustiça de Deus, Ele ser tão poderoso e não deixar sermos tão poderosos quanto ele. Onde está tua revolta? Teu espírito de vingança? Tua determinação para lutar e destruir Seus planos? Temos tido grandes vitórias que temos que comemorar como Judas, Hitler, Stalin e vamos ter muitas outras.
CHAMUSCADO:   Pois, Judas apenas ajudou na crucificação de Cristo, que acabou tendo a reversão da história quando Ele ressuscitou, e a nossa vitória ficou ofuscada pela grandiosidade que é voltar a vida. Hitler no final das contas, colocou as nações da época como favoráveis aos judeus, que votaram em dar o país pra eles, Israel. Isto foi suficiente para cumprir várias profecias das escrituras, e assim mais gente crê em Deus e…
MALVADO:   (Irado) Cala a boca! Tantos séculos e não subiram de posto. Não conseguem ser eficientes ao lançar as tentações? Vou dar algumas dicas mais uma vez.
Um – Fixar a atenção em algo bom, que eles precisem ou desejem;
Dois – Coloquem nas pessoas o desejo de que precisam imediatamente, ou não poderão mais ter.
Três – Ofereçam a eles uma maneira pecaminosa de conquistar, uma pequena mentira para ir em frente por uma boa causa. A oportunidade de parecerem melhores do que são, deixá-los um pouco orgulhosos… São excelentes estratégias.
Também é um caminho para o sucesso mostrar que fidelidade na obra de Deus exige muito sacrifício.
Convencê-los a quebrar pequenos compromissos.
Mostrar o prazer que dá tomar pra si o reconhecimento e os elogios por alguma coisa boa que acontecer, (com sarcasmo e prazer) isso dá uns problemas entre eles…
Quando eles ouvirem uma crítica, perceberem que não estão recebendo todo o apoio que gostariam, ou se sentirem cansados instiguem “a jogar a toalha”, desistirem de vez, o desânimo é nosso aliado mais fiel.
CHAMUSCADO:   Ao ataque!
NARRADOR:   Carlos está muito bem integrado no grupo. Ele é um líder nato, é talentoso nos esportes, organizou um time de futebol que tem destaque na cidade. Logo ficou responsável pelo evento que teria no domingo após o culto. Ele tinha muitas ideias promissoras, mas deixava muitas coisas para a última hora. Num sábado de manhã estava no centro comprando remédios para a sua mãe quando lembrou que era o dia de um sorteio de vários prêmios de uma loja de departamentos, e ele havia colocado um cupom para participar. Mesmo sem ter sido contemplado nem em rifa da escola, criou expectativa e foi pra frente da loja, uma multidão estava se formando para assistir ao sorteio.
O dona da loja de olhos vendados ia começar o sorteio. O mestre de cerimônia narrava pelo sistema de som. “A bola de futebol autografada  vai para Alfredo Martins.” Mais três cupons são sorteados e o Mestre de Cerimônias anuncia: Agora os ingressos para o Jogo de amanhã as 11h da manhã entre o nosso time _________(que tão bem tem representado a nossa cidade) e o Visitante _________ . Quem estará lá na primeira fila, nas cadeiras numeradas é: Humberto Gomes, Marta da Silva Rodrigues e Carlos Gutierrez”. Carlos vibrava muito. Não contava com a oportunidade de estar tão junto do campo, nas melhores cadeiras…. Apresentou seu documento e foi retirar seus ingressos de cortesia, tinha direito a levar um acompanhante. Estava pensando na alegria do seu pai pela oportunidade de irem juntos, para a primeira fila. Seu pai sempre foi um grande torcedor do time local. D repente sua alegria foi interrompida, lembrou do evento que tinha se comprometido de organizar. Chegou em seu quarto e seu coração estava em guerra. Não sabia o que fazer.

 CENA II   -   No quarto, Carlos sentado

CHAMUSCADO:   Carlos, nuca mais terá outra oportunidade destas. O jogo promete, e o lugar é privilegiado. Sabe que este ingresso é caro, com a situação econômica do país, quando poderá teu pai? Além disso se ficar todos domingos na igreja terá que dar adeus ao futebol.
CHAMUSCADINHO:   Carlos, não pode dizer a verdade para o Daniel. Este tipo de cristão acha que é pecado mortal perder um culto para assistir uma partida de futebol. É melhor dizer pra ele que a tua mãe não está bem de saúde e não vai poder ir na igreja…
CHAMUSCADO:   Lembra que a tua mãe estava espirrando hoje de manhã. É certo que a gripe está chegando.
CHAMUSCADINHO:   Vai logo! Avisa o Daniel agora, ele vai se virar bem e organiza o evento.
CHAMUSCADO:   Não esquece de falar com a entonação de quem está lamentando a situação.
(Carlos liga o telefone)
DANIEL:   (voz) Alô?
CARLOS:   Alô Daniel, tudo bem?
DANIEL:   (voz) Tudo bem, e contigo?
CARLOS:   Mais ou menos. Olha só, minha mãe está doente outra vez, acredita?
DANIEL:   Sinto muito. Pensei que os remédios novos estivessem dando bom resultado.
CARLOS:   Tomara que seja apenas momentâneo. Sei que já estou te pedindo muito, mas vou precisar ficar com ela no final de semana e não sei o que fazer com o evento da igreja que eu tinha me comprometido.
DANIEL:   Pode deixar que eu dou um jeito no que ainda falta. Acredito que já está tudo adiantado…
CARLOS:   Não exatamente. Brenda ficou de trazer pastéis, o Paco tem um dinheiro para pratos descartáveis, a carne e o carvão para o churrasco. Os refrigerantes o Marco estava disposto a levar e a Liliane tem uma bola de Vôlei.
DANIEL:   Não precisa te preocupar. Nós organizaremos tudo hoje de noite. A Fabíola é muito ágil na cozinha, ela me ajuda, fica tranquilo. Nós estaremos orando por ti e pela tua mãe.
CHAMUSCADO:   Viu? Foi muito mais fácil do que você esperava. Já pode curtir o domingo na boa.

CENA III   -   Conversas após o culto do domingo seguinte

NARRADOR:   Carlos foi no jogo de futebol com seu pai, mas não conseguiu curtir muito, o sentimento de culpa o sufocava. Além do medo de ser visto, e ser descoberto.
No final de semana seguinte foi na reunião de jovens e no culto, como se não tivesse acontecido nada. Cumprimentou o pastor antes de ir conversar com os jovens.
(Ruben, Andreia, Lili, Daniel e Fabíola estão de um lado do palco, do outro lado Carlos cumprimentando o pastor)
CARLOS:   Muito obrigado pastor, pelo sermão.
PASTOR:   É Deus quem merece toda a Glória. Ah, ouvi falar que o evento dos jovens do final de semana passado foi muito bom. Soube que era tu que estava organizando. Muito obrigado por teu trabalho.
CHAMUSCADO:   Não diga que foi o Daniel que fez, vão descobrir teu segredo.
CARLOS: Ah, não foi nada.
PASTOR:   Me dá licença? Preciso orar pelo filho da irma Roberta.
(Sai o pastor e Carlos se aproxima dos jovens)
FABÍOLA:   Como está a tua mãe?
CARLOS:   Está bem melhor, obrigado.
ANDREIA:   Que bom, ficamos contentes porque pode estar conosco novamente.
RUBEM:   Tua mãe esteve doente no final de semana passado? Meu irmão disse que você ganhou o sorteio dos ingressos para o jogo de futebol. Ele estava lá na hora do sorteio, esperançoso… Voltou abatido porque não ganhou. Será que a tua ausência na igreja no final de semana passado não teve relação com um jogo de futebol, e não com a saúde   tua mãe? Não fico nada confortável com a hipocrisia.
ANDREIA:   Rubem, não deve julgar o Carlos, nem ninguém sem saber de todos os fatos. Ele pode ter vendido os ingressos para ficar com a sua mãe…
CHAMUSCADO:   Diga que deu pro teu pai. Não deixa de ter uma parte da verdade.
CARLOS:   Meu pai e meu tio são fanáticos por futebol, eles mereciam os ingressos.
CHAMUSCADINHO:   Muito bom Carlos. Não chegou a ser totalmente uma mentira, teve uma aparência do que se desejava.
(Entra o pastor)
PASTOR:   As crianças memorizaram alguns versículos e vão ao parque, gostaria de dar algumas moedas para cada criança gastar como quiser. Preciso de mais troco, alguém pode trocar pra mim este dinheiro aqui?
CARLOS:   Acho que posso ajudar.
(Começa a esvaziar os bolsos catando as moedas que tinha. Aparecem os canhotos dos ingressos do jogo)
RUBEN:   (Reconhecendo os boletos) Olhem. Aí está a evidência. Você disse pro Daniel que a tua mãe estava doente, pra ele assumir a responsabilidade pela programação, mas o que tinha era que ir para o jogo de futebol e queria manter uma imagem de santinho e responsável. Presta atenção no que diz em
Apocalipse 21:8  “Mas os covardes, os incrédulos, os depravados, os assassinos…
DANIEL:   (Com determinação) Rubem, um momento!(Tentando interromper, mas sem sucesso)
RUBEM:   ...os que cometem imoralidade sexual, os que praticam feitiçaria, os idólatras (com muito mais ênfase)e todos os mentirosos — o lugar deles será no lago de fogo que arde com enxofre. Esta é a segunda morte".
(Carlos foge)

CENA IV   -   Quarto de Carlos, sentado, deprimido

NARRADOR:   Carlos foi para a sua casa e se trancou no quarto.
CHAMUSCADINHO:   Está vendo como são estes cristãos? Tudo o que eles querem é uma oportunidade pra te julgar, nem é pra julgar, é pra condenar mesmo.
CHAMUSCADO:   Depois de hoje, nunca mais poderá entrar naquela igreja. Imagina só o que o pastor estará pensando de ti. O líder dos jovens… E com a Andreia então, que até tentou te defender, nunca mais terá uma chance de sair com ela.
CHAMUSCADINHO:   Com esta história a salvação está perdida. Não há como se arrepender depois de ter se arrependido uma vez.
(Batem na porta)
CARLOS:   Quem é?
DANIEL:   Sou eu, Daniel. Quero te ajudar.
CARLOS:   Melhor não Daniel. Não quero ver ninguém
DANIEL:   Carlos, por favor, deixa eu entrar;
CARLOS:   Tudo bem, se não vieres me condenar ainda mais.
DANIEL:   (entrando) Obrigado. Sei que está te sentindo horrível. Eu também gosto de futebol e posso entender a tua situação, mas tem como sair dela.
CARLOS:   Mas de que jeito? Selei o meu destino para o inferno.
DANIEL:   Olha bem, no versículo de Apocalipses está fazendo referência “aos incrédulos” cujos pecados não são perdoados. Assim éramos todos antes de aceitar a Jesus Cristo. É verdade que em alguns momentos temos falta de fé, e vacilamos. Mas a bíblia também diz que o sangue de Jesus Cristo nos limpa de todo o pecado. Agora tu deves confessar a Deus e às pessoas que foram afetadas com mo teu pecado. No caso o pastor e os jovens.
CARLOS:   Mas eu não consigo fazer isso.
DANIEL:   A vida é tua, a escolha é tua. Pode levar contigo o problema, viver em escuridão por dias meses ou até por anos, ou pode confessar, confrontar hoje mesmo e andar em liberdade. Estou disposto a ir contigo pra conversar com o pastor e os jovens, todos foram comer.
Carlos, Deus te ajudará a fazer o que é certo.
(um grande momento de silêncio no qual se vê o Carlos lutando consigo mesmo e Daniel está orando)
CARLOS:   Sim, eu quero confessar as minhas mentiras
DANIEL:   Que bom! Tem muitos que deixam de seguir a Cristo para evitar este confronto. Um orgulho cruel acaba impedindo de resolver a situação.
Se quisermos perseverar, é importante vencer o orgulho com o Poder de Jesus.

Fonte web(em espanhol) MATERIAL JUVENIL

Estilos: 
Diversos: 
nº de personagens: