A CARTA

Uma carta chamuscada

Ricardo era um crente discreto, não fazia questão de assumir diante da sociedade que cria em Cristo.
Pensava ele que tendo uma vida regrada era o suficiente, era contrário aos “evangelistas de rua” que abordam nos trens, parada de ônibus… Os considerava  fanáticos, pensava que estavam ridicularizando o evangelho.
Ricardo teve um sonho(pesadelo).
Sonhou que havia recebido uma carta do seu amigo Marco, que  havia morrido e escrevia do inferno, Na carta cobrava o fato de não ter falado de Cristo, Salvação, Graça, Perdão em Jesus…

Personagens
Narrador
Ricardo
Marco
Evangelista
Mensageiro 1
Mensageiro 2
Voz do telefone


PRIMEIRO ATO
EVANGELISTA:   Boa tarde... me desculpem se estou interrompendo suas atividades. Quero apenas entregar-lhes  estes Novos Testamentos.
Convido vocês para lerem, é a palavra de Deus.
Neste livro vocês encontrarão todas as  respostas, tudo aquilo que não souberam resolver... Deus se preocupa com vossas almas.
RICARDO:   Não obrigado.
EVANGELISTA:   Estou seguro de que serás surpreendido pela leitu...
RICARDO:   Já te disse que não
Os teus métodos me ofendem e me causam repulsa.
Eu já entendi o que está fazendo...
Fala que quer salvar a minha alma mas apenas me irrita.
Eu já sou cristão, e o que você está fazendo é rebaixar o evangelho
Eu apenas deixo que as pessoas vejam como eu vivo.
Diferente de ti, não fico metendo o meu nariz na vida dos outros.
Você é uma pessoa fanática e eu sinto pena de você.
EVANGELISTA:   Compreendo. Entendo que para algumas pessoas sou considerado fanático…
Alias, também foi assim com Pedro, Paulo, João… Muitos da sua época os consideravam fanát…
RICARDO:   Como ousas!
Está se colocando no mesmo nível dos apóstolos?
Está Louco!
Saia daqui!
Pessoas como você é que transformam o evangelho numa simples religião.
NARRADOR:   Quando Ricardo dormiu teve um sonho estranho.
Começa vendo os que morrem nos seus pecados.
RICARDO:   Senhor! Obrigado por eu não ser como estes homens.

SEGUNDO ATO

NARRADOR:   Uma alma que está no ambiente do “tormento eterno”, e de lá deste terrível ambiente escreve uma carta e suplica que a sua mensagem chegue a alguém que esteja no “mundo dos vivos”…
CARTEIRO 1:   Olha só, nunca tinha visto isso antes, mas…
Seu pedido foi atendido.
CARTEIRO 2:   Nós vamos levar a sua carta ate o destinatário.
NARRADOR:   Os mensageiros começam a sua longa e árdua jornada.
Andam por cavernas desconhecidas, um caminho de trevas, caminho subterrâneo, nunca imaginado pelos que vivem acima dele.
Era como um pesadelo sem fim.
Gritos que fazem estremecer a alma.
Ruídos de terror inimaginável.
Fedor de enxofre asfixiante.
Tudo em meio a densas trevas.
Ali era o “depósito” de incontáveis multidões dos que se rebelaram contra Deus.
Os que morreram em seus pecados
Aqueles que desprezaram o presente de amor.
Os que rejeitaram a promessa de vida eterna nos céus
Os que negaram o Salvador(aquele que os salvaria deste terrível lugar)

TERCEIRO ATO

CARTEIRO 1:   Já estamos chegando!
NARRADOR:   Ricardo sabia que estas almas perdidas passaria a eternidade nas trevas, lamentando e chorando
CARTEIRO 2:   Ufa! Finalmente chegamos.
CARTEIRO 1:   Vamos entregar logo esta carta.
RICARDO:   (toca o telefone) Sim? Pastor?
PASTOR:   Estou ligando para agradecer por seu generoso presente para a igreja.
Eu te agradeço muito.
RICARDO:   Bom, senti que era o meu dever de cristão.
CARTEIRO 1:   Ricardo. Olha a carta. Ricardo.
RICARDO:    (Solta o telefone) Quê? Que se passa? Quem está aí? Quem é?
CARTEIRO 1:   Somos os carteiros dos condenados.
CARTEIRO 2:   Temos uma carta para você.
CARTEIRO 1:   É de um amigo seu. Ele enviou de lá do inferno.
NARRADOR:   São tormentos fumegantes pelos séculos dos séculos.
Eles não têm repouso nem de dia nem de noite.
Eles serão atormentados por todos os tempos, para todo o sempre.
É a habitação da vergonha e confusão perpétua.
Confusão ininterrupta.
A fornalha ardente que não se pode apagar.
Lá há choro e ranger de dente.
Fogo eterno, trevas, lago de fogo, lá é o próprio inferno.

QUARTO ATO

RICARDO:   (Levanta num salto, do banco que havia cochilado) Parece que eu tive um pesadelo.
Foi a última vez que eu tomei remédio com refrigerante,
Mas o que que é isso?
Uma carta…
Parece que eu estou ficando louco.
Deixa eu ver o que está escrito…
MARCO:   Meu amigo. Parte da culpa é sua.
Quando eu ainda estava vivo, na terra, andávamos juntos e nunca me mostrou o caminho.
Conhecia o Senhor, Sua Glória, conhecia a Verdade, mas nunca compartilhou comigo.
Sabia muitas coisas que eu não conhecia, poderia ter me guiado até Deus.
Mesmo sendo amigos, experimentou o renascimento e não me ofereceu a mesma experiência.
E agora, estou aqui, condenado, no inferno porque não me falou da Salvação, do Senhor.
A prendi coisas boas contigo, sim.
Sempre te considerei um amigo, confiava em ti.
Mas minha eternidade não precisava ser aqui.... Mas agora é tarde, nunca me falaste.
Andamos as vezes sob o sol, outras sob a lua... Poderia ter me falado da Luz
Deixou eu viver, amar e morrer... E sabia que eu não iria para o céu.
Confiava em ti, te considerava um amigo pra todo o tempo, na tristeza ou na alegria.
Mas agora, vendo o fim triste que sobrou pra mim vejo que amigo mesmo você nunca foi.
Atenciosamente Marco
RICARDO:   Que sonho mais assustador!
Meu Deus, parecia tão real.
Oh Senhor, o que eu menos quero é que o Marcos vá para este lugar tão horrível.
A bíblia fala deste lugar. “A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite...” Apocalipse 14:11
Mesmo que por conta disso eu perca a sua amizade... Vou falar de Cristo, que Ele deixou o céu, veio até nós e nasceu de uma virgem.
Vou dizer que Cristo morreu na cruz, que por ele derramou seu sangue para livrá-lo dos seus pecados.
Direi que ressuscitou dentre os mortos e voltou para o céu.
Mas antes Ele deixou uma promessa, a de que voltaria.
Direi para o Marcos dizer sim para Jesus.
Que ele deve deixar Jesus ser o seu Senhor e Salvador pra no dia final ir para o céu.
Sim eu vou chamar o  Marco
Vou ligar na segunda à noite, ele vai me escutar...


*[Cântico A Última Hora Cantor Cristão
 Ao findar o labor desta vida,
Quando a morte a teu lado chegar,
Que destino há de ter a tua alma?
Qual será no futuro o teu lar?
...]

RICARDO:   Aló!?
Boa noite, o Marco está?
VOZ AO TELEFONE:   Boa noite... É o Ricardo?
RICARDO:   sim...
VOZ AO TELEFONE:   Não ficou sabendo de nada?
RICARDO:   Sabendo de que?
O que está acontecendo?
VOZ AO TELEFONE:   No sábado a noite o carro do Marco e da Fabiana aquaplanou e colidiu com um caminhão de carga… (chorando)
A Fabiana está em estado grave no hospital, mas Marco não resistiu. Morreu no local do acidente.
RICARDO:   O!!!!
Deus não!
Não pode ser, não não… ele está perdido e eu não falei nada.
Nãããããããõ!!!!
Não pode….
NARRADOR:   Está escrito assim na Palavra de Deus: "Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; e tu não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniquidade, mas o seu sangue, da tua mão o requererei.” Ezequiel 3:18

*A música original(em espanhol) não foi encontrada
Ojala Quieras Hermano” Rubén Sotel
No local esta uma sugestão do tradutor(primeira estrofe apenas)

Fonte WEB

Estilos: 
nº de personagens: