A PARÁBOLA DO JARDINEIRO

Versão para impressão

A PARÁBOLA DO JARDINEIRO -  Teatro CristãoA PARÁBOLA DO JARDINEIRO
Ilustração adaptada para se tornar uma esquete. A notícia de uma rosa encantada que traria alegria para a vida de quem a cultivasse.
Um narrador conta a história de três jardineiros que ficaram seduzidos pela história.

Narrador:
Jardineiro 1:
Jardineiro 2:
Jardineiro 3:
Flor:
 
 
PARTE I:
 
NARRADOR: Há muito, muito tempo, espalhou-se pela cidade que havia uma rosa especial, que aquele que a cultivasse com carinho, teria para si uma rosa muito preciosa, capaz de trazer ao seu coração uma alegria que ele jamais sentira.
 
Muitos jardineiros saíram ao encontro de um lugar onde pudesse cultivar essa preciosa....
 
Três jardineiros passaram por um mesmo lugar...
 
O primeiro jardineiro apareceu todo altivo, esperançoso e trazendo em si a esperança que ele, por si só, poderia encontrar o lugar onde a rosa pudesse ser cultivada. Andou, andou, andou, olhando ao seu redor por todos os recantos onde pudesse encontrar algum solo ideal. Só lhe serviria o solo ideal. O lugar teria que ser belo, atraente, e que chamasse logo a sua atenção, e, acima de tudo, que tivesse todas as condições para proliferação, pois ela, uma rosa bonita, só poderia vir de uma terra rica e de um lugar maravilhoso...
 
Passou por um jardim, onde existia um pouco de água, ar e muito pouca terra em torno de muitos pedregulhos...
 
Olhou para as plantas que cresciam em redor, pegou um pouco da terra, olhou com desprezo, colocou as ferramentas nos ombros e disse:
 
JARDINEIRO 1: "Dessa terra, jamais nascerá flor alguma, não tenho tempo a perder com uma terra feia num lugar pobre."
 
E retirou-se, sem nada cultivar.
 
 
Parte II:
NARRADOR: Passou-se algum tempo e outro jardineiro ouvira falar da mesma rosa preciosa e falou: "Já não suporto viver tão sozinho e sem fazer uma coisa que me traga alegria... Vou procurar a rosa preciosa de que tanto falam e vou cultivá-la, ainda que tenha que levar muitas ferramentas e necessite cultivar numa terra não muito boa..."
E saiu o segundo jardineiro à procura do lugar para o cultivo da rosa preciosa.
Procurou também por todos os lugares, olhando ao seu redor, para tentar encontrar as mínimas condições para o cultivo, e vislumbrando ao longe um pouco de área verde, correu ao encontro do lugar e disse, imediatamente:
JARDINEIRO 2: "Ah! Aqui existem condições de plantar o que eu quiser. E vou logo preparar a semente e cultivar porque, tenho certeza, em breve nascerá a rosa que tantos propagam pela cidade."
E, imediatamente, semeou a semente que trouxera.
 
Foi descansar um pouco em casa e voltou depois, para ver se a semente germinara...
 
Mas, a semente não germinou. O jardineiro não teve dúvida. Pegou seu material e disse:
"Se a semente não germinou até agora, não germinará mais, porque conheço de rosas, e agora que estou vendo que este terreno não é tão propício. Vou cultivar em outro lugar."
 
Parte III:
NARRADOR: O tempo passou e um terceiro jardineiro ouvira falar da mesma mensagem que, em algum lugar, poderia brotar uma rosa preciosa que traria uma alegria à sua vida que ele jamais sentira.
E o terceiro jardineiro saiu à procura da sua rosa preciosa...
Jardineiro entra cantando o hino "Tempo de Colheita", carregando um carro de mão com adubo, ferramentas, sementes e água.
Como os outros jardineiros, este andou procurando por todos os lugares e em todas direções, o lugar para plantar a rosa tão preciosa...Encontrou, finalmente, aquele lugar...
Olhou as plantas que nasceram ao redor, olhou a terra, amassou-a, e sentiu que poderia, ali, plantar.
Olhou para o ar, para a água, e, num momento de reflexão, agradeceu a Deus pelo lugar que terminara de encontrar.
Tomou as ferramentas e começou a preparar a terra...
Notou que a terra era fraca, mas se ele a adubasse com cuidado, a terra poderia ser muito mais fértil.
 
Adubou a terra, espalhou a semente, foi buscar a água e regou a semente que plantara. De joelhos, orou a Deus em agradecimento:
JARDINEIRO 3: "Senhor Deus, eu Te agradeço por esta terra que tu providenciastes para que eu cultivasse a minha semente. Eu Te agradeço porque Tu provestes a água, o solo, o sol para que existam condições desta semente germinar. Prometo, meu Deus, cuidar desta semente que Tu me ajudastes a semear e espero, um dia, colher a rosa que possa me dar alegria."
 
E o jardineiro foi para a sua casa para descansar, após um árduo trabalho.
 
Depois voltou para verificar o que acontecera. Pôde notar, naquele momento, que uma linda rosa brotou em seu jardim...
 
Mas algo diferente acontecera com aquela rosa...
Foi colhê-la e ela estava ligada a uma grande trepadeira que pendia e se descolava por vários caminhos...
 
Pegou-a e começou a seguir... Segui mais e eis que dava numa grande caixa... O que seria?... Um presente?... Talvez... Ficou pensando... Mas resolvera abrir para ver de que se tratava...
 
Ali estava o grande presente que a rosa lhe trouxera... A flor da alegria que cultivara e Deus a tinha para si reservado...
 
 
Fonte WEB
Estilos: 
Diversos: