A PAIXÃO DE CRISTO (para jovens)

Versão para impressão

A PAIXÃO DE CRISTO - Teatro Cristão Toda a história da paixão de cristo é contada.

Começa na última Ceia, passa pelo Monte das Oliveiras, a Crucificação e a Ressurreição.

No site tem também:

PAIXÃO DE CRISTO
A PAIXÃO DE CRISTO (para crianças)
A PAIXÃO DE CRISTO

 

CENA 1 – Ceia
Música de Abertura
NARRADOR – A história que agora vamos narrar aconteceu a quase dois mil anos atrás. Deus enviou Seu filho para salvar a humanidade do pecado. E Jesus deu sua vida para remissão dos nossos pecados. Por isso hoje, mais do que assistir essa história, é preciso que cada um de nós reflita sobre os ensinamentos e o sacrifício que Jesus fez por nós. Jesus pregou a paz e o amor ao próximo – e ainda assim foi crucificado. Quantas vezes nós com nossos pecados não acrescentamos mais um espinho à sua coroa, mais uma martelada aos cravos que rasgaram sua carne? É preciso seguir sempre os ensinamentos de Jesus e não esquecer que somente através Dele se vai ao Pai. É preciso não esquecer do sacrifício que Jesus fez por nós na cruz. Vamos então refletir sobre a dor de Jesus para que possamos renascer para Ele e junto com Ele na Páscoa.
NARRADOR - Estamos em Jerusalém na época da Páscoa. Jesus sabia que essa seria sua última Páscoa. Por isso reuniu-se com os discípulos para a última Ceia. E disse Jesus:
JESUS – Em verdade vos digo que um de vós, que comigo come, há de me trair.
NARRADOR – Os discípulos de entristeceram e começaram a perguntar, um após o outro:
DISCÍPULOS – Sou eu? Sou eu? Sou eu?
NARRADOR – E Jesus respondeu:
JESUS – Um de vocês me trairá.
(Jesus está atrás da mesa, ao centro, tendo 6 apóstolos de cada lado. Jesus reparte o pão)
NARRADOR – Depois Jesus tomou o pão, o abençoou, o partiu e o deu a seus discípulos dizendo:
JESUS – Tomai e comei todos vós. Isso é o meu corpo que é dado por vós.
(Jesus entrega o pão aos apóstolos, que vão passando para os outros)
NARRADOR – Depois Jesus tomou o cálice em suas mãos, deu graças e o deu a seus discípulos dizendo:
(Jesus ergue a taça de vinho)
JESUS – Tomai e bebei todos vós. Esse é o meu sangue, que será derramado para o perdão dos pecados. Façam isso para se lembrarem de mim.
(Sonoplastia de fim de cena)
Cena 2 – Monte das Oliveiras
NARRADOR – Depois disso Jesus foi para um jardim, no Monte das Oliveiras. Lá chegando disse a seus discípulos:
(entram Jesus e os discípulos)
JESUS – Orai para terdes forças contra a tentação.
NARRADOR – Jesus se afastou do grupo. Indo mais para o fundo do jardim se ajoelhou e orou:
JESUS - Pai: se for possível afaste de mim esse cálice de sofrimentos. Porém não seja como eu quero, mas como Tu queres. Seja feita a Tua Vontade.
NARRADOR – Jesus voltou para perto de seus discípulos. Nesse momento chegou Judas Iscariote trazendo guardas armados para prenderem Jesus.
(entram Judas e os guardas)
NARRADOR - Jesus sabia de tudo que ia acontecer com Ele. Então Judas se aproximou de Jesus e foi lhe dar um beijo de saudação.
(Judas se aproxima de Jesus e o beija na face)
JESUS – Judas: é com esse beijo que vens me trair?
NARRADOR – Jesus disse aos guardas:
JESUS – Se é a mim que procurais deixai que estes se retirem.
NARRADOR – E assim se realizou o que Jesus tinha dito: “Não perdi nenhum daqueles que me confiaste”. Depois Jesus disse:
JESUS – Vinde armados de espadas para Me prender. Eu estive no meio de vós, dia após dia. Eu falei às claras para o mundo, dentro do templo, onde todos se reúnem. Por que não vos atrevestes a Me prender quando estava no meio de Vós? Mas essa é a vossa hora, é a hora do poder das trevas.
NARRADOR – Os guardas então prenderam Jesus, que foi levado a Pôncio Pilatos, governador romano.
Cena 3 - Julgamento
(No caminho se juntam aos guardas vários Judeus. Pilatos aparece.)
NARRADOR - Os chefes do povo fizeram muitas acusações falsas a Jesus:
JUDEUS: “Ele está revoltando o povo! Ele diz que é o salvador do povo! Ele diz que é rei!”
NARRADOR – Ouvindo isso Pilatos perguntou a Jesus:
PILATOS – Tu és o rei dos Judeus?
JESUS – Estás dizendo isso por ti mesmo ou os outros te disseram isso de mim?
PILATOS – Por acaso sou judeu? O teu povo e o sumos sacerdotes te entregaram a mim. Que fizestes?
NARRADOR – Mas Jesus ficou em silêncio, de maneira que Pilatos se admirou. E perguntou novamente:
PILATOS – Tu és o rei dos Judeus?
JESUS – O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo os meus guardas lutariam para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu reino não é daqui.
PILATOS – Então tu és rei?
JESUS – Tu o dizes: eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar o testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.
NARRADOR – Pilatos parou por um momento pensando naquelas palavras. Depois perguntou a Jesus:
PILATOS - Verdade? O que é a verdade?
NARRADOR – Mas não esperou resposta. Virou-se e foi falar com os Judeus:
PILATOS – Não encontro nenhuma culpa nesse homem. Mas existe entre vós um costume: que pela Páscoa eu vos solte um preso. Quereis que eu solte o rei dos judeus?
NARRADOR – Então os judeus começaram a gritar:
JUDEUS – Jesus não! Solte Barrabás! Solte Barrabás!
NARRADOR – Barrabás era um bandido. Mas para atender aos judeus Pilatos soltou Barrabás e mandou flagelar Jesus.
(Pilatos faz um sinal aos guardas, que retiram Jesus de cena. Os judeus permanecem em cena, de lado.)
NARRADOR - Os soldados chicotearam Jesus. Depois fizeram uma coroa de espinhos e a colocaram na cabeça de Jesus. Zombando de Jesus os soldados diziam: Toma tua coroa, rei dos judeus. A coroa de espinhos feriu a cabeça de Jesus. Puseram-lhe um manto vermelho e troçavam dele: ¨Viva o rei dos Judeus!¨- e davam-lhe bofetadas. Pilatos saiu de novo e disse aos judeus:
(Entra Pilatos. Os judeus de aproximam.)
PILATOS – Olhai: eu o trago aqui fora para que saibais que não encontro nele crime algum.
(Entram 2 guardas e Jesus todo ensanguentado.)
NARRADOR – Quando viram Jesus os judeus começaram a gritar:
JUDEUS – Crucifica-o! Crucifica-o!
PILATOS – Mas não encontro nele crime algum.
JUDEUS – Todo aquele que se diz rei declara-se contra César.
NARRADOR – Pilatos então fez sinal para um dos guardas, que lhe trouxe uma vasilha com água. Lavou as mãos, enxugou-as e disse:
PILATOS – Que recaia sobre vossos ombros o peso dessa morte.
JUDEUS - Crucifica-o! Crucifica-o!
NARRADOR – Pilatos entregou Jesus para ser crucificado e os soldados o vestiram com suas próprias vestes e o levaram.
(Os soldados colocam a cruz no ombro de Jesus.)
Cena 4 - Crucificação
NARRADOR - Os soldados o fizeram carregar a cruz por toda a cidade até o monte Gólgota, onde Jesus seria crucificado.
(Sonoplastia: Jesus caminha com os soldados atrás e o povo, até o local da crucificação. Enquanto Jesus caminha os 2 ladrões entram e ficam em seus lugares.)
NARRADOR – Jesus tropeça e cai pela primeira vez, batendo o joelho esquerdo com força no piso., ferindo-o por causa do peso da cruz.
Os soldados que acompanhavam Jesus o chicotearam para força-lo a se levantar e continuar sua caminhada.
No meio do caminho, coberto de feridas e sangue Ele viu Maria, sua mãe, que chorava ao ver toda maldade que faziam com Ele. Outra vez os soldados o chicotearam.
Jesus voltou a andar. Mas já fraco pela falta de alimentação e pelos maus tratos caiu pela Segunda vez. Verônica se aproxima de Jesus e limpa seu rosto com um pano. Os soldados perceberam que Jesus já estava sucumbindo. Então obrigaram Cirineu a carregar a cruz para ele.
NARRADOR - Jesus sobe o morro do Calvário e lá chegando cai pela terceira vez. As Santas Mulheres, incluindo Maria – sua mãe, observam tudo aquilo cheias de pesar e dor. Jesus agora permanece caído no chão. Cirineu deixa a cruz ao lado de Jesus e se afasta.
Primeiro os soldados crucificaram os dois ladrões. Depois vieram até Jesus, o despiram de suas vestes e o deitaram sobre a cruz. Pregaram primeiro a mão direita com um cravo de ferro e o sangue santo do Senhor jorrou. Depois fizeram o mesmo com a mão esquerda.
Não contentes com tudo isso os soldados ainda fixaram os dois pés de Jesus com um único cravo. O sangue de Jesus escorria e manchava a madeira da cruz.
Depois levantaram a cruz. Maria Madalena se aproxima da cruz, se ajoelha e beija os pés de Jesus.
NARRADOR – Os soldados romanos prendem Jesus à cruz. Jesus é crucificado entre 2 ladrões. E os judeus passavam e diziam:
JUDEU 1 – Tu não és o rei dos judeus? Então salve-se!
JUDEU 2 – Se és filho de Deus desce da cruz!
JUDEU 3 – Salvou os outros e não pode salvar-se.
JUDEU 4 – Se és rei de Israel desce da cruz e nós creremos em ti.
NARRADOR – E também um dos ladrões disse:
MAL LADRÃO – Se tu és Cristo salva-te a ti mesmo e a nós.
NARRADOR – Porém o outro ladrão o repreendeu:
BOM LADRÃO – Tu nem agora temes à Deus, estando na mesma condenação? Nós recebemos o castigo que nossos feitos mereciam; mas esse homem... não fez mal nenhum.
NARRADOR – E olhando para Jesus o bom ladrão falou:
BOM LADRÃO – Senhor, lembre-se de mim quando estiveres no Teu Reino.
JESUS – Eu prometo: hoje mesmo estarás comigo no Paraíso.
NARRADOR – Indiferentes ao sofrimento de Jesus os soldados repartiam suas roupas. Pegaram as vestes de Jesus e as repartiram em 4 partes, uma para cada um deles. No entanto a túnica era inteiriça e eles jogaram a sorte para ver quem ficaria com o Manto Sagrado.
NARRADOR – As dores de Jesus aumentaram dramaticamente. Seu esforço para respirar era enorme. Mesmo sofrendo na cruz Jesus olhou para o céu e perdoou a todos dizendo:
JESUS – Pai: perdoa-lhes. Eles não sabem o que fazem.
NARRADOR – Jesus havia perdoado aquelas pessoas que lhe faziam tanto mal, mesmo agonizando na cruz. Então ele disse:
JESUS – Tenho sede.
NARRADOR – Um dos guardas fixou uma esponja na ponta de sua lança, molhou no vinagre e levou até os lábios de Jesus. Jesus não aceitou. Jesus ainda sofreu por mais algum tempo. E antes de morrer disse:
JESUS – Pai: em Tuas mãos entrego meu espírito.
(Jesus morre na cruz. Sonoplastia.)
NARRADOR – E inclinando a cabeça para frente morreu. Houve trevas por toda a Terra, escurecendo-se o sol. A Terra tremeu, muitos túmulos se abriram dos quais ressuscitaram os corpos dos justos, e o véu do templo rasgou-se ao meio. Ao ver tudo isso um centurião exclamou:
CENTURIÃO – Esse homem era mesmo o filho de Deus!
NARRRADOR – Logo seria Páscoa e Pilatos não queria ver ninguém crucificado na comemoração. Por isso mandou quebrar as pernas dos condenados para acelerar a morte. Chegando ao Gólgota os soldados viram que os dois ladrões ainda estavam vivos. Por isso quebraram-lhes as pernas com uma barra de ferro. Quando chegaram a Jesus viram que ele já estava morto. E assim se cumpria o que estava escrito: “Nenhum osso de seu corpo será quebrado”.
Para Ter certeza da morte de Jesus um centurião enfiou uma lança na altura de Seu coração. E então mais sangue jorrou do corpo de Jesus.
Cena 5 - Ressurreição
NARRADOR – Jesus foi retirado da cruz por José de Arimatéia com a ajuda de alguns discípulos e das Santas Mulheres. Ao ver o corpo do filho profanado e injuriado Maria chorou amargamente.
José de Arimatéia possuía um túmulo novo, encravado na rocha, perto do Calvário. E foi nele que colocaram o corpo de Jesus.
No dia seguinte os sacerdotes judeus foram pedir a Pilatos que colocasse guardas a frente do túmulo de Jesus. Eles temiam que os discípulos tirassem o corpo de Jesus do sepulcro e dissessem que Jesus havia ressuscitado Assim Pilatos enviou três guardas para vigiarem o túmulo.
(entram guardas para vigiar o túmulo).
NARRADOR - Eis que um anjo do Senhor desceu do céu e removeu a pedra do sepulcro causando um grande terremoto.
(Sonoplastia. Entra o anjo e a pedra da entrada rola.)
NARRADOR – Os soldados ficaram muito assustados e caíram ao chão como mortos.
(Os soldados desmaiam.)
NARRADOR - Na manhã do terceiro dia Maria Madalena e Maria foram até o túmulo.
(entram Maria Madalena e Maria)
NARRADOR - E acharam a pedra revolvida do sepulcro. E olhando não acharam o corpo do Senhor Jesus. E eis que um anjo do Senhor se aproximou e disse:
ANJO – Por que buscais o vivente entre os mortos? Ele não está aqui, mas ressuscitou
NARRADOR – As mulheres foram contar aos outros tudo que viram e ouviram.
(saem Maria e Maria Madalena.)
JESUS – (em off) E eis que estarei convosco todos os dias até a consumação do séculos.
(Sonoplastia.)
F I M
 

O autor mantém o grupo Missa das Crianças do yahoo, onde tem muito mais material. É necessário se logar e entrar no grupo.

Loja do autor

 

Autores: 
Datas: 
Diversos: