A OVELHA PERDIDA

Versão para impressão

A OVELHA PERDIDA, os perigos e tentações que o mundo oferece ao jovem cristão, no seu caminho se apresentam as situações convidadtivas...

Abre-se a cortina, e é encenada a seguinte situação: um Pastor está finalizando um estudo bíblico sobre os perigos e tentações que o mundo oferece ao jovem cristão. Acabada a reunião de jovens, ao ir para casa, uma jovem vai encontrando pelo caminho várias tentações que lhe irão desviar do bom caminho. A jovem então vai para casa. Encontra a primeira tentação o LUXO. Este seduz ao jovem com o poder, dinheiro, as alegrias e prazeres do mundo...

JOVEM: Nossa! Quem é você?

LUXO: Não interessa quem sou! O que interessa é essa roupa horrível que você está usando. Tá péssimo!

JOVEM: Porque? É uma roupa normal, como qualquer outra...

LUXO: Aí é que esta! Para fazer sucesso no mundo é preciso ser como eu (mostra as joias e as roupas que esta vestindo). Você tem que ter roupas bonitas, elegantes. Tem que ter muitas joias, dinheiro. Se você não tiver isso, vai continuar sendo uma ninguém, as pessoas não prestam atenção em você. Duvido que, vestida desse jeito, você consiga arrumar um namorado. Vai se produzir, vai fazer qualquer coisa! Mas não fica desse jeito, e sai de parto de mim que breguice pega!

A jovem fica pensativa, e começa a pensar na possibilidade de “mudar o visual”.Aparece uma amiga, que vai representar o SEXO. A amiga conta para a jovem uma experiência que teve ao sair de uma festinha.

SEXO: Oi, menina! Tudo bem?

JOVEM: Tudo bem, e você?

SEXO: Comigo, melhor impossível. Se você soubesse o que eu fiz no sábado passado depois de uma festinha...

JOVEM: O que? Conta logo que eu já estou curiosa!

SEXO: Fui numa festa, e lá encontrei com um gato, lindo, maravilhoso e começamos a nos paquerar. Querida, não teve jeito! Saímos da festa e resolvemos dar uma voltinha. Olha, não deu outra! Foi dentro do carro mesmo! Foi demais! Você tem que experimentar. No próximo sábado tem outra festa. Se você estiver afim de ir...

JOVEM: Mas tem juventude! E eu nem sei como vai ser essa festa.

SEXO: Que juventude o que! Vamos à festa, que eu te apresento um garoto lindo. Aí você sai com ele, e... Querida, te garanto que é muito bom. Essa festa vai ser “do cabide”!

A jovem começa a achar a possibilidade de ir à festa como um bom programa pra sábado à noite e acaba deixando a juventude de lado. Fica a imaginar como será o tal garoto que a amiga irá apresentar.

Nesse momento, entra no palco uma garota viciada. Cigarro na mão, visual “grunge”, etc., a jovem fica totalmente espantada ao ver aquela “figura”. Esta, então, lhe oferece o “bagulho”. O VÍCIO será a tentação mais terrível para, agora, ex-jovem cristã.

VÍCIO: Que é que foi, cara? Tá afim? (oferece a droga para a jovem)

JOVEM: Sei lá... O que é isso? Pra que isso serve?

VÍCIO: O que, isso aqui, ah, você viaja... Você vê o mar, o céu, o mundo todo... É um barato... Experimenta?!? Tenho certeza de que não vai se arrepender.

JOVEM: Ah, não sei se devo.

VÍCIO: Vai, pega, é só um trago, não vai ti fazer mal.

A jovem aceita, experimenta e gosta. Vai viajando, viajando... E é nesse ponto que começa o grande drama, quando a MORTE começa a lhe rondar.

MORTE: Vamos! Vamos! Acelera as coisas para mim! Estou ansioso para levá-la ao meu reino.

JOVEM: (assustada, a jovem começa a perguntar quem está falando) Quem é? Quem está falando, não vejo ninguém aqui? O que está acontecendo, comigo?

MORTE: Você não pode me ver, mas pode apenas me ouvir. O que eu mais gosto nas minhas vítimas é esse desespero das horas finais. Mas vamos, (com bastante ironia) ande logo com isso que eu não tenho o dia todo, estou com pressa. Tente uma overdose. Você viaja muito mais e pode morrer logo também. Vamos lá, tome uma decisão, viver ou ...

A fala da MORTE é interrompida por um grito da jovem.

JOVEM: - CHEGAAAA!!!!!!

A MORTE sai do palco. A jovem caída no chão fica tentando se livrar de todas as tentações que começam a circular em torno dela. E lhe lançam todo tipo de palavras de desprezo.

LUXO: Eu não disse? Eu não falei? Continuou a mesma cafona de sempre. Não tem dinheiro, não tem poder, não tem nada. Só podia ficar deste jeito.

SEXO: Burra! Sonsa! Não conseguiu nem segura aquele gato. Não vai arranjar namorado nunca desse jeito.

VÍCIO: Pra que foi querer usar demais o “bagulho”? Não foi desse jeito que eu ti ensinei? Até eu sei que muito faz mal... É uma tonta mesmo, não vai entrar na onda nunca.

MORTE: Morrer?!? Nem isso você sabe fazer direito. Quero mais é que você sofra muito aqui no mundo, pois o inferno será um consolo mais que “ardente”.

Nesse momento, as tentações e a morte se agrupam de um lado do palco, e entra mais um personagem, o PASTOR DA IGREJA da jovem.

PASTOR: Irmã, o que aconteceu? Porque fez isso?

JOVEM: Pastor, por favor me ajude! Eu fiz coisas horríveis. Estou tão arrependida.

PASTOR: Não se preocupe, filha, pois para Deus o seu arrependimento já basta. Venha comigo. Vamos voltar para a sua verdadeira casa, eu te ajudo.

O Pastor ajuda a jovem se levantar, e ao dar o primeiro passo, olha para trás, em direção das tentações. Estas lhe chamam ainda mais uma vez. A jovem decide não voltar atrás e segue junto com o Pastor, dizendo:

JOVEM: Isso, nunca mais. Quero voltar para casa, para os meus irmãos na fé, para a Igreja e para junto do meu Salvador, Jesus Cristo.

 

O site de onde a peça foi retirada não está mais ativo.

Diversos: