A EXECUÇÃO

Versão para impressão

Uma lista de crimes hediondos é lida contra o acusado. O que pode salvá-lo da execução?

Personagens:Acusador; Tambor; Executor (Felonius à la Shrek); Acusado; Guarda; Cristão

 

Script:

(Tambor entra tocando – alto e devagar (pode ser uma gravação). As luzes acendem. Entram pelo fundo da igreja o acusador, o acusado, o guarda e o executor. O guarda traz o acusado preso. Quando chegam ao palco, o acusado é jogado pelo guarda, o acusado se ajoelha. O executor se posiciona ao lado do guarda. O acusador fica à frente do palco para falar ao público)
Acusador: Ouçam! Ouçam! Estamos reunidos para testemunhar a execução do traidor da vila! (Som de vaias) Silêncio, enquanto leio a lista de crimes. Aos 6 anos ele roubou um biscoito do pote de sua mãe. Aos 12 anos ele mandou seus pais o “deixarem em paz”. Aos 15 anos ele contou uma piada suja. Por toda sua vida ele cometeu muitos crimes mais hediondos e sérios. Por conta de tal comportamento ele foi sentenciado (faz uma pausa) à morte!
Tambor, executor e guarda: (Ao mesmo tempo, erguendo o punho cerrado) Morte! Hoorrah!
Acusador: Vamos prosseguir!
(O executor ergue seu machado. Tambor começa a tocar. Quando o machado começa a cair...)
Acusador: Esperem! (Executor, tambor e guarda ficam desapontados. Fala ao acusado) Você tem alguma última palavra?
Acusado: (Se livrando das correntes e da máscara) Eu protesto!
Acusador: Baseado em quê?
Acusado: Eu não fiz nada errado.
Acusador: Nada errado? (Conforme fala as acusações vai se aproximando) Mentira, trapaça, rebelião, desobediência...
Acusado: OK. OK. Talvez meu comportamento não fosse dos melhores. Mas não significa que devo morrer.
Acusador: (Dando-lhe as costas) A Lei diz que se você fez apenas uma coisa errada – um único pecado – então você merece morrer. (Para o executor) Corte-lhe a cabeça!
Tambor, executor e guarda: (Ao mesmo tempo, erguendo o punho cerrado) Cabeça! Hoorrah!
(O executor ergue seu machado. Tambor começa a tocar. Quando o machado começa a cair, o acusado ergue a cabeça e o machado passa direto)
Acusado: Espere um minuto! Eu fiz coisas boas – doei dinheiro para a caridade, ajudei velhinhas a atravessar a rua...
Acusador: A Lei diz que não há bem o bastante para pagar a pena pelo pecado. (Para o executor) Corte-lhe a cabeça!
Tambor, executor e guarda: (Ao mesmo tempo, erguendo o punho cerrado) Cabeça! Hoorrah!
(O executor ergue seu machado. Tambor começa a tocar. Quando o machado começa a cair, o cristão entra correndo)
Cristão: Com licença!
Acusador: O que é agora?
Cristão: A Lei diz que a pena por tudo o que é errado é a morte, certo?
Acusador: Sim! (Enchendo o peito) “O salário do pecado é a morte”.
Tambor, executor e guarda: (Ao mesmo tempo, erguendo o punho cerrado) Morte! Hoorrah!
Cristão: E quem aqui nunca pecou?
(Pausa. Todos olham em volta e coçam as cabeças percebendo que todos são pecadores)
Cristão: Então, todos aqui merecemos morrer.
Executor: Cortar nossas cabeças?!?!
(Todos olham para o executor. Guarda e tambor o agarram. O cristão fica de um lado do acusado, o acusador do outro)
Cristão: Espere um pouco? E se alguém perfeito, que nunca pecou, assumisse os nossos pecados e fosse punido em nosso lugar – você deveria deixar este homem ir, certo?
Acusador: Eu acho que sim.
Cristão: Então lhe dê uma chance. Jesus Cristo foi executado na cruz para pagar o preço por nossos pecados!
Acusado: (Ergue a cabeça e olha para o público) Isso é uma ótima notícia!
Executor: Não para mim. Assim eu fico sem emprego! (é consolado pelo guarda e pelo tambor)
Cristão: Isso depende. Todos nós temos de tomar uma decisão: de aceitarmos ou não o caminho que nos foi dado por Deus.
Acusador: (Ao acusado) Bem, parece que você tem uma escolha a fazer. (Tambor começa a tocar, baixo e vai crescendo) Pagar a pena pelo seu pecado, que é a morte.
Tambor, executor e guarda: (Ao mesmo tempo, erguendo o punho cerrado) Morte! Hoorrah!
Acusador: ...Ou escolher a vida eterna com Cristo Jesus.
Acusado: Hmmm... (Pensando no que decidir)
(Luzes se apagam e o tambor para)

 

 

 

Diversos: